Eduardo Milán

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde outubro de 2010)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.

Eduardo Milán (Rivera, 1952) é um poeta, ensaísta e crítico literário uruguaio. Reside hoje no México, onde leciona Literatura na Universidade Nacional Autónoma de México (UNAM).

Publicações[editar | editar código-fonte]

Publicou, entre outros, os seguintes livros de poesia:

  • Estación, Estaciones (1975)
  • Esto Es (1978)
  • Nervadura (1985)
  • Cuatro Poemas (1990)
  • Errar (1991)
  • La Vida Mantis (1993)
  • Algo Bello que Nosotros Conservamos (1995)
  • Son de Mi Padre (1996)
  • Alegrial (1997)
  • El Nombre es Outro (1997)
  • Dedicado a lo que Queda (1997)

Sua obra poética está reunida no volume Manto (1999). Milán também publicou dois volumes de ensaios: Una Cierta Mirada (1989) e Resistir - Insistencias Sobre el Presente Poético (1994). No Brasil, foi publicada a antologia Estação da Fábula (Fundação Memorial da América Latina, 2001), com traduções de Claudio Daniel.

Referências[editar | editar código-fonte]