Eduardo Schwalbach Lucci

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Eduardo Schwalbach
Eduardo Schwalbach, postal (cropped).png
Nome completo Eduardo Schwalbach Lucci
Nascimento 18 de maio de 1860
Lisboa, Portugal
Morte 8 de dezembro de 1946 (86 anos)
Nacionalidade Portugal Português
Ocupação Escritor, dramaturgo e jornalista
Magnum opus Fogo sagrado: peça em 3 actos
Assinatura
Assinatura Eduardo Schwalbach.svg

Eduardo Schwalbach Lucci (Lisboa, 18 de maio de 18608 de dezembro de 1946)[1] foi um jornalista e escritor português.

Feito o curso de cavalaria saiu alferes em 1880, mas poucos anos depois deu a sua demissão de oficial do exército para se dedicar ao jornalismo, destacando-se como diretor da Revista do Conservatório Real de Lisboa[2] (1902). Colaborou igualmente na revista Brasil-Portugal[3] (1899-1914) além de outros jornais e revistas, e escreveu inúmeras peças de todos os géneros. Depois da sua estreia com o Intimo, comédia-drama em 3 actos(1892), fez representar sempre com êxito, entre outras: Anastacia & Cia; O Filho da Carolina; Os Pimentas; A Bisbilhoteira, Comédias: Santa Umbelina; A cruz da Esmola e Postiços, Comédias-dramas: Os filhos do capitão-mór; O João das Velhas e o chico das Pêgas, operetas: Retalhos de Lisboa; O Reino da Bolha, Formigas e Formigueiros; Agulhas e alfinetes; O barril do lixo, revistas etc.

Foi deputado, inspector do Conservatório de Lisboa, conservador da Biblioteca Nacional e redactor da câmara dos Pares, cargos que deixou após a proclamação da República, à excepção do último, em que foi aposentado. Depois dedicou-se em dirigir exclusivamente ao Teatro Apolo, de Lisboa. Foi pai do geógrafo Luis Filipe de Lancastre Schwalbach Lucci.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • A Mulher Portugueza[4]
  • À lareira do passado: memórias [5]
  • Fogo Sagrado[6]
  • Revista do Conservatório Real de Lisboa[7]
  • A Sr.a Ministra : comédia em 3 actos[8]

Jornais[editar | editar código-fonte]

  • Occidente (Chronica occidental)[9]

Referências

  1. «Auto da Barriga: farsa-revista em dois actos». Consultado em 31 de Janeiro de 2012 
  2. Revista do Conservatório Real de Lisboa (1902) [cópia digital, Hemeroteca Digital]
  3. Rita Correia (29 de Abril de 2009). «Ficha histórica: Brasil-Portugal : revista quinzenal illustrada (1899-1914).» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 26 de Junho de 2014 
  4. «PT Obras por Data de Lançamento (Português)/2008». Project Gutenberg. Consultado em 13 de fevereiro de 2013 
  5. «Biblioteca Particular de Alfredo Pinto» (PDF). Biblioteca Municipal Rocha Peixoto – Póvoa de Varzim. Consultado em 13 de fevereiro de 2013 
  6. «BIBLIOTECA CAMPOS PEREIRA» (PDF). Universidade Católica Portuguesa. Consultado em 13 de fevereiro de 2013 
  7. http://catalogolx.cm-lisboa.pt/ipac20/ipac.jsp?session=1G3762V094M21.68018&profile=rbml&uri=link=3100018~!116635~!3100024~!3100022&aspect=basic_search&menu=search&ri=1&source=~!rbml&term=Topsius%2C+pseud.&index=AUTHOR  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  8. «A Sr.a Ministra : comédia em 3 actos : original / Eduardo Schwalbach Lucci». Ministério da Educação. Consultado em 13 de Fevereiro de 2013 
  9. «Chronica occidental». Bibliotecas Municipais de Lisboa. Consultado em 13 de Fevereiro de 2013 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.