Edwin Congo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Congo
Informações pessoais
Nome completo Edwin Arturo Congo Murillo
Data de nasc. 7 de outubro de 1976 (40 anos)
Local de nasc. Bogotá,  Colômbia
Altura 1,85 m
Informações profissionais
Clube atual Aposentado
Posição Atacante
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1996–1999
1999–2002
1999–2000
2000–2001
2001
2002–2006
2006–2007
2007–2008
2008–2009
Colômbia Once Caldas
Espanha Real Madrid
Espanha Valladolid (emp.)
Portugal Vitória de Guimarães (emp.)
França Toulouse (emp.)
Espanha Levante
Espanha Sporting de Gijón
Espanha Recreativo Huelva
Espanha Olímpic Xàtiva
0110 000(30)
0000 0000(0)
0012 0000(1)
0011 0000(4)
0008 0000(1)
0112 000(21)
0034 000(11)
0006 0000(0)
0002 0000(3)
Seleção nacional
1999–2004 Flag of Colombia.svg Colômbia 00017 0000(3)

Edwin Arturo Congo Murillo (Bogotá, 7 de outubro de 1976) é um ex-futebolista colombiano, que atuava como atacante.

Carreira em clubes[editar | editar código-fonte]

Congo foi revelado pelo Once Caldas em 1996, fazendo parte da equipe vice-campeã nacional dois anos depois. Em três anos, foram 110 jogos e trinta gols marcados pelos Blancos. Na Copa Libertadores da América de 1999, o Once Caldas não teve bom desempenho, caindo na fase de mata-mata, entretanto Congo deixaria sua marca em duas oportunidades, na vitória por 4 a 1 sobre o River Plate, em Manizales.

Passagem pela Espanha, a sequência de empréstimos e o declínio na carreira[editar | editar código-fonte]

Ainda em 1999, o Real Madrid decidiu investir em Congo, mas o técnico dos Merengues, John Toshack, não conseguiu encontrar espaço ao jovem atacante. Emprestado para Valladolid, Vitória de Guimarães e Toulouse sem grande alarde, Congo voltaria ao Real em 2002, mas o time de Madri resolveu dispensá-lo, sem que ele pudesse realizar partidas oficiais.

O atacante decidiu reerguer sua carreira na Segunda Divisão espanhola, quando foi contratado pelo Levante, onde fez parte do elenco que garantiu o acesso para a Primeira Divisão ao final da temporada 2003-04. Escassamente aproveitado no segundo acesso da equipe valenciana em 2005-06, Congo rescindiu seu contrato e foi para o Sporting de Gijón, onde evitou um rebaixamento certo à Terceira Divisão. Seu bom desempenho no time das Astúrias rendeu sondagens de times de La Liga, fazendo com Congo rejeitou propostas de renovação com o Sporting.

No Recreativo Huelva, ele atuou em somente seis partidas. Pensou em regressar a Gijón, mas suas rejeições em renovar o contrato com o Sporting deixaram a torcida rojiblanca insatisfeita com Congo, que sem atuar por boa parte de 2008, decidiu jogar na inexpressiva Quinta Divisão espanhola, representando o Olímpic Xàtiva, onde encerraria sua carreira como atleta profissional.

Fez ainda presenças esporádicas no futebol amador da Espanha, onde defenderia o Benissa. Congo flertou com o retorno às atividades profissionais ao fazer testes no Albacete, mas o time não investiu em sua contratação. Ele, então, resolveu voltar a atuar em campeonatos amadores, desta vez no Paiporta, agremiação que joga a Preferente Regional da Comunidade Valenciana. No novo time, Congo divide-se entre os gramados e o trabalho como dentista.

Seleção[editar | editar código-fonte]

Congo defendeu a Seleção Colombiana de Futebol entre 1999 e 2004, jogando 17 partidas e marcando três gols[1].

Participou de duas edições da Copa América (1999 e 2004). Não esteve na equipe que venceria a Copa América de 2001 de forma invicta.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira de ColômbiaSoccer icon Este artigo sobre um futebolista colombiano é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.