Efeito de lótus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Imagem gerada por computador do efeito de lótus com duas gotas de água assentes sobre microestruturas
Hidrofobia da folha de lótus. As gotas de água não molham a folha (animação computacional).
Água a escoar à superfície de uma flor de lótus

O efeito de lótus é um fenómeno de superhidrofobia causado por uma rugosidade nanométrica. O seu nome provém do lótus (Nelumbo sp), cujas folhas apresentam esta característica[1] . O efeito de lótus confere à superfície uma repulsa da água com capacidades de limpeza, pois a água quando em contacto arrasta consigo partículas.

Outras plantas, como as folhas de Tropaeolum, de couve, de Phragmites, de (Colocasia esculenta), de Verbascum thapsus e certos animais como os patos, em particular nas suas penas, e muitos insetos têm a mesma característica. A capacidade de auto-limpeza das superfícies hidrófobas de estrutura microscópica foi descoberta na década de 1970 e a sua aplicação a produtos biomiméticos deu-se em meados da década de 1990.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Efeito de lótus

Referências

  1. Lafuma, A.. (2003). "Superhydrophobic states". Nature Materials 2 (7): 457–460. DOI:10.1038/nmat924. PMID 12819775. Bibcode2003NatMa...2..457L.