Eflúvio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde março de 2016)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.

Eflúvio ou deflúvio é o termo dermatológico para designar a perda de cabelos decorrente de um distúrbio no ciclo de vida capilar. Existem dois tipos de eflúvio: anágeno e telógeno, na dependência de qual segmento do ciclo capilar está sendo acometido.

O eflúvio anágeno é característico nos pacientes submetidos à quimioterapia. Contudo, pode ocorrer em diversas situações: medicamentos, inflamação e infecção aguda sistêmica. O eflúvio telógeno, mais comum e predominando no sexo feminino, tem como principais causas a deficiência nutricional (anemia), estresse emocional e alterações hormonais (por exemplo, tireóide).

Diagnóstico[editar | editar código-fonte]

A queixa mais comum do paciente é a perda moderada a intensa dos cabelos de maneira difusa, sem apresentar sintomas associados. O diagnóstico é eminentemente clínico realizado por um dermatologista. Eventualmente a análise microscópica do cabelo pode ser aventada pelo médico. Análise bioquímica pode ser útil em alguns casos. O principal diagnóstico diferencial se faz com a alopecia androgenética.

Tratamento[editar | editar código-fonte]

O eflúvio tende a ter uma boa evolução com o tratamento.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Dermatologia Básica. Sampaio & Rivitti, 1999.