Eh, Eh (Nothing Else I Can Say)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"Eh, Eh (Nothing Else I Can Say)"
Single de Lady Gaga
do álbum The Fame
Lançamento 10 de janeiro de 2009
(veja abaixo o histórico de lançamento)
Formato(s) CD single, download digital
Gravação 2008;
Santa Mônica, Califórnia
(Cherrytree Recording Studios)
Gênero(s) Europop, synthpop
Duração 2:57
Gravadora(s) Streamline Records, Kon Live Distribution, Cherrytree Records, Interscope Records
Composição Stefani Germanotta, Martin Kierszenbaum
Produção Martin Kierszenbaum
Informações sobre o vídeo musical
Gravação 9 a 11 de janeiro de 2009;
Los Angeles, Califórnia
Director(es) Joseph Kahn
Duração 2:57
Cronologia de singles de Lady Gaga
"Poker Face"
(2008)
"LoveGame"
(2009)
Lista de faixas de The Fame
"Beautiful, Dirty, Rich"
(4)
"Poker Face"
(6)

"Eh, Eh (Nothing Else I Can Say)" é uma canção da artista musical estadunidense Lady Gaga contida no seu álbum de estreia, The Fame (2008). Foi lançada como o terceiro single do disco na Oceania e em alguns países europeus, assim como a quarta faixa de trabalho da cantora na França. A composição é uma balada com um andamento mediano sobre romper com um parceiro antigo e encontrar alguém novo. A obra recebeu revisões geralmente negativas da mídia especializada, com os críticos descrevendo-a como "seca e sem vida" interrompendo a "atmosfera de garota má festeira" do projeto.

Deixando de coincidir com a popularidade dos singles anteriores de Lady Gaga, a composição chegou ao número quinze na parada musical australiana ARIA Charts e nove na neozelandesa Recording Industry Association of New Zealand; teve sua melhor posição na Suécia, onde ao segundo lugar na tabela Sverigetopplistan. A canção também se posicionou entre as dez primeiras posições na República Checa, França, Hungria e na região de Flandres da Bélgica. "Eh, Eh (Nothing Else I Can Say)" recebeu certificações de ouro na Austrália, Dinamarca, Nova Zelândia e França.

Seu vídeo musical ítalo-americano que aborda temas dos anos 1950, dirigido por Joseph Kahn, retrata a cantora e suas amigas vagando pelas ruas de um pequeno cenário da Itália. O vídeo foi notado por retratar Gaga contrastante fazendo o trabalho feminino, em comparação com seus esforços anteriores. A artista apresentou "Eh, Eh (Nothing Else I Can Say)" na sua primeira turnê, The Fame Ball Tour (2009), vestindo uma malha branca com listras pretas em forma de relâmpagos e na The Monster Ball Tour (2009–11) dentro de um giroscópio humano.

Lançamento e divulgação[editar | editar código-fonte]

Gaga cantando "Eh, Eh (Nothing Else I Can Say)" em 2009 na The Monster Ball Tour.

A faixa foi lançada pela primeira vez na Nova Zelândia em 10 de janeiro de 2009 e mais tarde na Austrália no dia 30 do mesmo mês,[1][2] sendo a segunda música mais tocada nas estações de rádio do último país no início da semana de 15 dezembro de 2008.[3] Um remix oficial também foi publicado na página oficial de Gaga naquele dia, e uma outra versão editada foi lançada em 3 de março com a capa do single. Em 5 de março, uma edição remixada da obra, produzida pelo Pet Shop Boys, ficou disponível para download gratuito no portal australiano da intérprete.[4]

"Eh, Eh (Nothing Else I Can Say)" foi interpretada em uma versão beatbox nos Cherrytree Studios e lançada no primeiro extended play (EP) de Gaga, The Cherrytree Sessions.[5] A música também foi divulgada no teatro The Wiltern na cidade de Los Angeles.[6]

A canção foi apresentada na primeira turnê da intérprete, The Fame Ball Tour (2009), no segundo segmento, onde a artista vestia uma malha branca com listras pretas em forma de relâmpagos,[7] além de botas e meia arrastão.[8] Ao encerrar a apresentação da canção anterior, "Money Honey", Gaga apareceu no palco ao lado do músico Space Cowboy em uma Vespa. O cenário mudava para revelar formas de relâmpago que contrastavam com a natureza luzente da composição.[9] Quando a música alcançou o refrão, a artista pediu ao público para se juntar a ela enquanto cantava e balançava os braços.[9] O portal The New York Times chamou a apresentação ao vivo de "indiferente".[10] No entanto, o The Hollywood Reporter avaliou a divulgação da faixa dizendo: "Em uma época de muita informação, uma das coisas mais refrescantes sobre Gaga é o seu mistério. Muitas vezes ela se escondeu atrás de máscaras, e a sua apresentação em palco modesta, robótica e na sua maior parte incompreensível, pouco fez para nos permitir conhecer a verdadeira Lady."[11]

A obra foi também interpretada na The Monster Ball Tour (2009–11), onde significava o renascimento de Gaga à medida que ela descia do topo no meio de luzes brancas e nevoeiro mecânico.[12] Ela usava um giroscópio humano em torno de seu tamanho, que foi desenvolvido pelo Haus of Gaga e nomeado de "The Orbit".[13] Durante uma visita a França, ela apresentou a música em versão acústica em diversas estações de rádio como Fun Radio e NRJ.[14][15] Na mesma excursão, ela interpretou o número no programa de televisão Taratata.[16]

Composição[editar | editar código-fonte]

Demonstração de 22 segundos da canção, com um ritmo moderado de noventa e quatro batimentos por minuto.

Problemas para escutar este arquivo? Veja a ajuda.

Musicalmente "Eh, Eh (Nothing Else I Can Say)" é descrita como uma balada em comparação com o resto do dance music abastecido nas faixas de The Fame.[17] A canção possui influências do synthpop e do bubblegum pop dos anos oitenta e incorpora demonstrações de "Umbrella", da cantora barbadense Rihanna.[18] Gaga afirmou que a letra da música é sobre amor, explicando: "'Eh, Eh (Nothing Else I Can Say)' é a minha simples canção pop sobre encontrar alguém novo e romper com o antigo namorado."[19] O escritor James E. Perone mencionou a canção em seu livro, The Album: A Guide to Pop Music's Most Provocative, Influential, and Important Creations, dizendo que com as letras, Gaga manteve um foco em relações transitórias. Embora as letras expliquem ao seu ex-amante que tinha encontrado alguém novo e não tivesse a intenção de machucá-lo com a notícia, a repetição contínua da frase "nada mais que eu possa dizer" solidifica a natureza transitória do relacionamento retratado.[20] De acordo com a partitura publicada no Musicnotes.com pela Sony/ATV Music Publishing, a obra é definida no compasso do tempo comum com um ritmo moderado de 94 batimentos por minuto.[21] O alcance vocal de Gaga ocupa o primeiro lugar na nota si♭M3 e vai calmamente para dó♯5, enquanto a peça está posicionada na tonalidade de Mi maior.[21] A canção segue a progressão harmônica de Mi–si♭m–fá♯m–mi–si♭m–fá♯m.[21] O músico de synthpop Frankmusik alterou a obra suave de "Eh, Eh (Nothing Else I Can Say)" para uma mais otimista, além de modificar os vocais da cantora no processo de remistura da faixa para o álbum de remixes, The Remix, como foi observado por Nicki Escuedo da Phoenix New Times.[22]

Crítica profissional[editar | editar código-fonte]

Alexis Petridis, do The Guardian, observou que o número tem a influência do Europop do início dos anos 1990 e "é a primeira canção há muito tempo que merece comparação com a obra de Ace of Base."[23] Matthew Chisling, da Allmusic, deu uma crítica negativa a composição dizendo que "parece ser seca e sem vida no disco".[17] Sal Cinquemani, da Slant Magazine, disse que "o ambiente e o comportamento de'Eh, Eh (Nothing Else I Can Say)' é difícil de comparar quando imprensada entre músicas como 'Poker Face' e 'Beautiful, Dirty, Rich'."[24] Evan Sawdey, do PopMatters, disse que a faixa é o momento mais embaraçoso do álbum e como resultado, faz com que o disco vem a uma parada intermediária, assim, arruinando a "atmosfera de garota má festeira".[18] Joey Guerra, do Houston Chronicle, disse que "Eh, Eh (Nothing Else I Can Say)" é um destaque inflável com alguma personalidade vocal. Ele também acrescentou que "teria sido um enorme sucesso se tivesse sido lançada por um grupo como Spice Girls."[25] Koski Genevieve, do The A.V. Club, criticou as habilidades vocais de Gaga na obra.[26] Jon Caramanica, do The New York Times, chamou a música de "apática",[10] ao passo que Catherine P. Lewis, do The Washington Post, denominou a faixa como uma "balada alegre".[27] A redatora Christina Martin, do periódico diário The Meridian Star, sentiu que a composição, juntamente com "Summerboy" de The Fame, é "uma canção pop alegre e otimista".[28] Matt Busekroos, de Quinnipiac Chronicle, publicou que particularmente o single parecia como um "enchimento".[29]

Vídeo musical[editar | editar código-fonte]

No vídeo, Gaga é vista vagando em uma Pequena Itália.

O vídeo musical ítalo-americano inspirado nos anos 1950, foi dirigido por Joseph Kahn e filmado juntamente com a representação audiovisual de "LoveGame" no fim de semana de 9 de janeiro de 2009 em Los Angeles.[30] O trabalho começa mostrando uma Pequena Itália, um ícone de Madona com Menino, e depois Gaga montada num Vespa.[31] A primeira cena retrata ela com algumas amigas, rindo e brincando em um restaurante. E em seguida, ela passeia com suas colegas ao redor enquanto interpreta o refrão da obra.[32] No verso seguinte, ela é mostrada dormindo em uma cama, e então acorda. A artista canta a faixa enquanto cozinha para seu parceiro em uma casa.[32] Logo depois, ela é vista passando roupa, á media que ele conversa com alguém no telefone.[31] Os dois dogues alemães arlequim que apareceram no início da produção de "Poker Face", também são mostrados neste roteiro. Ela deita num sofá com as pernas sobre o rapaz. Uma das últimas imagens mostra-a em um vestido amarelo feito de flores e usando um relógio e um penteado que mostra seu cabelo puxado para cima e dobrado.[31] Em seguida, a câmera rapidamente volta a cena onde está deitada na cama.[32] Em entrevista a Popeater, Gaga explicou sobre o vídeo: "Eu queria mostrar um outro lado de mim — talvez um lado mais doméstico. E queria criar belas e deslumbrante imagens de moda futurista dos anos 50."[32]

Faixas e formatos[editar | editar código-fonte]

"Eh, Eh (Nothing Else I Can Say)" foi lançada através de download digital na loja Amazon contendo apenas o single como faixa com uma duração máxima de dois minutos e cinquenta e cinco segundos.[33] Na Austrália, foi distribuído um CD single com duas edições da canção: a original e uma novas versão da música de trabalho anterior de Lady Gaga, "Poker Face", pelo produtor Space Cowboy.[1] A edição física francesa tem mais duas produções aperfeiçoadas da composição.[34] A versão virtual de remixes divulgada pela iTunes Store tem duas edições dançantes da música.[35] Na Itália, o número também foi editado para serviços digitais,[36] além de ser lançado um extended play (EP) digital contendo oito diferentes produções da faixa.[37]

Download digital[33]
N.º Título Duração
1. "Eh, Eh (Nothing Else I Can Say)"   2:55

Créditos[editar | editar código-fonte]

Lista-se abaixo os profissionais envolvidos na elaboração da canção, de acordo com o encarte acompanhante de The Fame.[38]

Desempenho nas tabelas musicais[editar | editar código-fonte]

"Eh, Eh (Nothing Else I Can Say)" estreou na tabela australiana ARIA Charts no número 38, devido a vendas digitais em 18 de janeiro de 2009.[39] Na semana seguinte a canção subiu para 32[40] e desde então teve o pico de 15 em 1 de março de 2009 se tornando o terceiro single da cantora a ficar entre os vinte primeiros na parada.[41] Depois de treze semanas na listagem, a faixa foi certificada como ouro pela exportação de 35 mil cópias pela Australian Recording Industry Association (ARIA).[42] Na Nova Zelândia, a obra debutou na 40ª posição na edição de 19 de janeiro de 2009,[43] Nos setenários seguintes ela continuou sua ascensão no gráfico e, finalmente, atingiu um pico de nono emprego, depois de passar três semanas na parada, e se tornando a terceira cmposição consecutiva da artista a ficar entre as dez músicas mais vendidas na Nova Zelândia.[44] A faixa foi certificada como ouro em 24 de maio de 2009, pela Recording Industry Association of New Zealand, pela exportação de 7.500 cópias.[45]

Na Billboard em 21 de fevereiro de 2009, "Eh, Eh (Nothing Else I Can Say)" estreou na Canadian Hot 100 no número 68, apesar de não ser lançada como single, mas saiu da tabela na semana seguinte.[46] A obra também estreou no número vinte na Sverigetopplistan em 2 de abril,[47] e atingiu um pico de dois.[48] A composição alcançou o décimo quarto posto na Tracklisten da Dinamarca.[49]

Histórico de lançamento[editar | editar código-fonte]

"Eh, Eh (Nothing Else I Can Say)" foi lançada como download digital na Oceania em 10 de janeiro de 2009 e no Brasil em 16 de março, sendo em seguida lançado em alguns países europeus em fevereiro e março. Sendo distribuída na Austrália e na França como CD single.

País Data Formato Gravadora
 Austrália[2] 10 de janeiro de 2009 Download digital, CD single Interscope Records
 Nova Zelândia[2] Download digital
 Dinamarca[61] 20 de fevereiro de 2009
 Polónia[61]
 Portugal[62]
 Suécia[63] 16 de março de 2009
 Itália[64]
 Reino Unido[65]
 Portugal[66]
 Brasil[67] Universal Music
 França[68] 7 de setembro de 2009 CD single Polydor Records

Notas

Referências

  1. a b c «Eh, Eh (Nothing Else I Can Say) – Lady Gaga». iTunes Store (em inglês). iTunes Austrália. 2 de fevereiro de 2009. Consultado em 29 de dezembro de 2008 
  2. a b c «Eh, Eh (Nothing Else I Can Say)» (em inglês). iTunes. 10 de janeiro de 2009. Consultado em 10 de outubro de 2010 
  3. «Eh Eh goes for add-ons to radio» (em inglês). MusicNetwork.com. 15 dezembro de 2008. Consultado em 31 dezembro de 2008. Cópia arquivada em 7 de março de 2009 
  4. «Eh, Eh remix (Pet Shop Boys)». LadyGaga.com (em inglês). Australian official site. 7 de março de 2009. Consultado em 10 de março de 2009 
  5. «Eh, Eh (Nothing Else I Can Say)». Interscope Records (em inglês). LadyGaga.com. Consultado em 8 de maio de 2009 
  6. «Lady Gaga – Eh, Eh – The Wiltern». Yahoo! (em inglês). Consultado em 8 de maio de 2009 
  7. Pastorek, Whitney (14 de março de 2009). «Lady GaGa live in L.A». Entertainment Weekly (em inglês). Time Inc. Consultado em 16 de março de 2009 
  8. Abraham, Tamara (4 de março de 2009). «Madonna and Cyndi Lauper take style notes as Lady Gaga parades latest leotards in concert». Daily Mail (em inglês). Associated Newspapers. Consultado em 13 de maio de 2009 
  9. a b Downing, Andy (26 de março de 2009). «Lady Gaga delights». Chicago Tribune (em inglês). Tribune Company. Consultado em 15 de abril de 2009 
  10. a b Caramanica, Jon (3 de maio de 2009). «An Artist Whose Chief Work Is Herself». The New York Times (em inglês). Consultado em 8 de maio de 2009 
  11. Rosen, Craig (15 de março de 2009). «Concert Review: Lady GaGa». Billboard (em inglês). Nielsen Business Media, Inc. Consultado em 8 de abril de 2009 
  12. Montogomery, James (19 de dezembro de 2009). «Lady Gaga Brings San Diego A Feast For The Eyes And Ears‎». MTV (em inglês). MTV Networks. Consultado em 21 de dezembro de 2009 
  13. Nestruck, Kelly (30 de novembro de 2009). «Lady Gaga's Monster Ball, reviewed by a theatre critic». The Guardian (em inglês). Guardian News and Media. Consultado em 1 de dezembro de 2009 
  14. «Lady Gaga : Écoute ses titres en acoustique !» (em francês). NRJ. 22 de julho de 2009. Consultado em 8 de setembro de 2010 
  15. «Passage de Lady Gaga dans la libre antenne de Morgan» (em francês). Fun Radio. 11 de setembro 2009. Consultado em 8 de setembro de 2010 
  16. «L'incroyable performance de Lady Gaga à Taratata» (em francês). Info Jeunes. 15 de outubro de 2009. Consultado em 8 septembre 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  17. a b Chisling, Matthew (28 de outubro de 2008). «allmusic ((( The Fame - Overview )))». Allmusic (em inglês). Rovi Corporation. Consultado em 21 de abril de 2009 
  18. a b Sawdey, Evan (12 de janeiro de 2009). «Lady GaGa: The Fame». PopMatters (em inglês). Consultado em 21 de abril de 2009 
  19. «Biography of Lady Gaga». Lady Gaga (em inglês). 24 de outubro de 2008. Consultado em 3 de fevereiro de 2009 
  20. James E. Perone (2012). The Album: A Guide to Pop Music's Most Provocative, Influential, and Important Creations. [S.l.]: ABC-CLIO. p. 192. ISBN 9780313379062 
  21. a b c «Lady Gaga – Eh, Eh (Nothing Else I Can Say)» (em inglês). Music Notes. Consultado em 19 de setembro de 2011 
  22. Nicki Escuedo (28 de Agosto 2010). «Marilyn Manson Gives Lady Gaga's 'The Remix' a Boost». Phoenix New Times. Kurtis Barton. Consultado em 8 de Maio de 2010 
  23. Alexis Petridis, Alexis (23 de outubro de 2008). «Lady GaGa: The Fame: Review». The Guardian (em inglês). Guardian News and Media. Consultado em 2009  |último= e |autor= redundantes (ajuda); Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  24. Cinquemani, Sal (25 de outubro de 2008). «Lady Gaga: The Fame». Slant Magazine (em inglês). Consultado em 21 de abril de 2009 
  25. Joey Guerra, Joey (7 de novembro de 2008). «Bringing real dance music to the masses». Houston Chronicle (em inglês). Hearst Corporation. Consultado em 8 de maio de 2009  |último= e |autor= redundantes (ajuda)
  26. Koski, Genevieve (10 de novembro de 2008). «Lady GaGa – The Fame». The A. V. Club (em inglês). The Onion, Inc. Consultado em 8 de maio de 2009 
  27. Lewis, Catherine P. (28 de setembro de 2009). «Lady GaGa: Critic Review». The Washington Post (em inglês). The Washington Post Company. Consultado em 29 de janeiro de 2010 
  28. Martin, Christina (2 de fevereiro de 2009). «Lady Gaga Gets "The Fame"». The Meridian Star (em inglês). Community Newspaper Holdings. Consultado em 4 de junho de 2010 
  29. Busekroos, Matt (9 de dezembro de 2009). «Bad Romance highlights new GaGa album». Quinnipiac Chronicle (em inglês). Consultado em 4 de junho de 2010 
  30. «Joseph Kahn to direct Gaga's "Eh, Eh" and "Love Game"». Joseph Kahn (em inglês). Jan Media Interactive. 9 de janeiro de 2009. Consultado em 3 de março de 2009 
  31. a b c Reporter, Daily Mail (3 de fevreiro de 2009). «Italians do it better: Lady GaGa celebrates her roots in sexy new video». Daily Mail (em inglês). Associated Newspapers. Consultado em 13 de maio de 2009  Verifique data em: |data= (ajuda)
  32. a b c d Horne, Adam (30 de janeiro de 2009). «Lady Gaga heads to little Italy». Popeater (em inglês). AOL. Consultado em 5 de fevereiro de 2009 
  33. a b «Eh, Eh (Nothing Else I Can Say) – Lady Gaga». Amazon (em inglês). Amazon.com. 2 de fevereiro de 2009. Consultado em 29 de dezembro de 2008 
  34. a b «Lady Gaga – Eh, Eh (Nothing Else I Can Say) – Single(Import)». Amazon.com (em francês). 2009. Consultado em 9 de março de 2010 
  35. a b «Eh, Eh (Nothing Else I Can Say) – Lady Gaga». Big W (em inglês). BIGWentertainment.com.au. 2 de fevereiro de 2009. Consultado em 29 de dezembro de 2008 
  36. a b «Lady Gaga – Eh, Eh (Nothing Else I Can Say)». iTunes (em italiano). 2009. Consultado em 11 de outubro de 2009 
  37. a b «Lady Gaga – Eh, Eh Remix EP». iTunes (em francês). 13 de março de 2009. Consultado em 23 de junho de 2009 
  38. (2008) Créditos do álbum The Fame por Lady Gaga. Streamline, Kon Live, Cherrytree, Interscope/Universal Music Group.
  39. «Australian Singles Chart». Australian Recording Industry Association (em inglês). Hung Medien. 18 de janeiro de 2009. Consultado em 4 de março de 2009 
  40. «Australian Singles Chart». Australian Recording Industry Association (em inglês). Hung Medien. 25 de janeiro de 2009. Consultado em 4 de março de 2009 
  41. a b «Australian Singles Chart». Australian Recording Industry Association (em inglês). Hung Medien. 1 de março de 2009. Consultado em 4 de março de 2009 
  42. a b «2009 Single Accreditatios» (em inglês). Australian Recording Industry Association. 31 de março de 2009. Consultado em 30 de abril de 2009 
  43. «New Zealand Singles Chart». Recording Industry Association of New Zealand (em inglês). acharts.us. 19 de janeiro de 2009. Consultado em 3 de março de 2009 
  44. a b «New Zealand Singles Chart». Recording Industry Association of New Zealand (em inglês). acharts.us. 2 de março de 2009. Consultado em 2 de março de 2009 
  45. a b «New Zealand Gold/Platinum Singles» (em inglês). Recording Industry Association of New ZealandRadioscope.net. 24 de maio de 2009  Parâmetro desconhecido |accesodata= ignorado (ajuda)
  46. a b «Canadian Hot 100». Billboard (em inglês). acharts.us. 21 de fevereiro de 2009. Consultado em 3 de março de 2009 
  47. «Swedish Singles Top 100». Sverigetopplistan (em sueco). acharts.us. 2 de abril de 2009. Consultado em 3 de abril de 2009 
  48. a b «Swedish Singles Top 100». Sverigetopplistan (em sueco). acharts.sus. 16 de abril de 2009. Consultado em 21 de abril de 2009 
  49. a b «Danish Singles Chart». Tracklisten (em dinamarquês). acharts.us. 31 de julho de 2009. Consultado em 2 de julho de 2009 
  50. a b «Eh, Eh (Nothing Else I Can Say) on European charts». Ultratop (em francês). Hung Medien. Consultado em 16 de setembro de 2009 
  51. «RADIO TOP100 Oficiální» (em inglês). IFPI Slovakia. 1 de maio de 2009. Consultado em 23 de maio de 2009 
  52. «Hungarian Singles Chart – 2011/22» (em húngaro). Mahasz. Consultado em 8 de junho de 2011 
  53. «Nederlandse Top 40 – week 44 – 2009». Radio 538 (em holandês). top40.nl. Consultado em 10 de dezembro de 2009 
  54. «RADIO TOP100 Oficiální» (em checo). IFPI Czech Republic. 23 de abril de 2009. Consultado em 23 de maio de 2009 
  55. «Billboard: European Hot 100 Singles». Billboard (em inglês). Nielsen Business Media, Inc. 16 de maio de 2009. ISSN 0006-2510 
  56. «Certificeringer | ifpi.dk» (em dinamarquês). IFPI Danmark. Consultado em 19 de agosto 2011 
  57. «List of Gold and Platinum certifications in Sweden – 2009» (PDF) (em sueco). International Federation of the Phonographic Industry. 2009. Consultado em 5 de março de 2010 
  58. «ARIA Charts – End Of Year Charts – Top 100 Singles 2009» (em inglês). Australian Recording Industry Association. Consultado em 9 de janeiro de 2010 
  59. «Bilan Economique 2009» (PDF) (em francês). Syndicat National de l'Édition Phonographique. Consultado em 9 de janeiro de 2010 
  60. «Årslista Singlar – År 2009» (em sueco). Swedish Recording Industry Association. Consultado em 9 de janeiro de 2010 
  61. a b «Eh, Eh (Nothing Else I Can Say) [Random Soul Synthetic Mix]» (em dinamarquês). iTunes. 3 de março de 2009. Consultado em 29 de dezembro de 2009 
  62. «Eh, Eh POR download». iTunes. 20 de abril de 2009. Consultado em 8 de março de 2010 
  63. «Eh, Eh (Nothing Else I Can Say) [Electric Piano and Human Beat Box Version]» (em sueco). iTunes. 16 de março de 2009. Consultado em 29 de dezembro de 2009 
  64. «Eh, Eh (Nothing Else I Can Say) [Electric Piano and Human Beat Box Version]» (em italiano). iTunes. 16 de março de 2009. Consultado em 29 de dezembro de 2009 
  65. «Eh, Eh UK download» (em inglês). iTunes. 20 de abril de 2009. Consultado em 8 de março de 2010 
  66. «Eh, Eh POR download». iTunes. 20 de abril de 2009. Consultado em 8 de março de 2010 
  67. «Lady Gaga - Eh, Eh (Nothing Else I Can Say) - Músicas - Terra Sonora». Terra Sonora. Consultado em 25 de setembro de 2011 
  68. «Eh eh nothing else I can say : Lady Gaga en CD single» (em francês). Musique.fnac.com. 17 de junho de 2009. Consultado em 29 de dezembro de 2009