Einstein and Eddington

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Einstein and Eddington
Einstein e Eddington (BR)
 Reino Unido
2008 •  cor •  89 min 
Direção Philip Martin
Roteiro Peter Moffat
Elenco Andy Serkis
David Tennant
Género drama
biografia
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

Einstein and Eddington (br.: Einstein e Eddington) é um filme britânico de 2008 para televisão, do gênero Drama Biográfico, dirigido por Philip Martin para a Company Pictures e a BBC, em associação com a HBO. O roteiro de Peter Moffat dramatiza o trabalho histórico dos cientistas inglês Sir Arthur Stanley Eddington e alemão Albert Einstein, empenhados em elaborarem e provarem a Teoria Geral da Relatividade enquanto os respectivos países se envolviam nos conflitos da I Guerra Mundial. O canal BBC Two exibiu a produção em 22 de novembro de 2008.[1]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

A história começa em 1919 com a expedição do cientista inglês Arthur Eddington à Ilha do Príncipe na África Ocidental, para fotografar um eclipse solar.[2] Logo em seguida há um recuo até 1914, quando Eddington é indicado a chefe de astronomia da Universidade de Cambridge. O país está na I Guerra Mundial mas o cientista não vai para a luta em razão da sua religião (ele é Quaker). Seu superior, Sir Oliver Lodge, lhe fala que os inimigos alemães estão interessados no trabalho de um jovem cientista nascido naquele país chamado Albert Einstein e pede para que descubra do que se trata. Eddington vai à biblioteca e lê sobre a Teoria da Relatividade, a qual percebe que pode superar a mecânica clássica criada por Isaac Newton. Enquanto isso, Albert Einstein é um professor na Suíça que é convencido pelo seu compatriota Max Planck a voltar para seu país natal e se integrar à Academia Prussiana de Ciências.[3]

Einstein deixa a família em Zurique e parte para Berlim, onde ao se instalar começa um romance com sua prima Elsa.[4] Einstein tenta resolver o problema da sua Teoria da Gravidade ao mesmo tempo que fica indignado com seus colegas cientistas que estão engajados na Guerra, desenvolvendo armas tais como o gás venenoso produzido por Fritz Haber. Ele não consegue mais progressos até que recebe uma carta de Eddington, perguntando-lhe sobre a órbita de Mercúrio, a qual não se comportaria exatamente de acordo com os cálculos de Newton, ao contrário de todos os outros planetas do Sistema Solar. A correspondência entre os dois cientistas os coloca em perigo pois tanto as autoridades inglesas quanto as alemãs proíbem quaisquer contatos entre as pessoas dos dois países em guerra.

Produção[editar | editar código-fonte]

O roteirista Peter Moffat e o diretor Philip Martin haviam colaborado antes em Hawking, inspirado no famoso cientista Stephen Hawking.[5]

As locações foram na Academia de Ciências da Hungria, St John's College (Cambridge), e na costa adriática da Croácia. Walter Isaacson foi consultor (com Francisco Diego auxiliando na cena do eclipse).

Referências

  1. BBC website for Einstein and Eddington
  2. Apesar de não mostrado, fotos do eclipse solar visto em Sobral, Ceará no nordeste do Brasil além das de Príncipe foram levadas como provas de Eddington para apoiar a teoria de Einstein e suas predições da Lente gravitacional, apesar de no filme apenas ser mostrada as da expedição africana.
  3. Atualmente parte da Academia de Ciências e Humanidades Berlin-Brandenburg
  4. Moffat comete liberdades artísticas com esse fato, mostrando-o como um romance na época da Guerra, quando na verdade a relação iniciou-se em 1912. — Highfield 1993, p. 147
  5. «David Tennant and Andy Serkis to star in BBC drama Einstein And Eddington» (Nota de imprensa). BBC. 21 de maio de 2008 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]