Ejido

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde agosto de 2017).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Se procura o município da Espanha na província de Almería, veja El Ejido.
Ejido em Cuauhtémoc

Um ejido é uma porção de terra não cultivada e de uso público, também é considerada, em alguns casos, como propriedade do Estado ou dos municípios. Para o México, o ejido é uma propriedade rural de uso coletivo de grande importância na vida agrícola do país.[1]

O processo do ejido consiste em o governo tomar terras particulares e utilizá-las como terras comuns: prática comum durante o Império Asteca no México.

Na era colonial do México, o ejido quase desapareceu, mas foi reimplantado pelo sistema de encomiendas. Entretanto, este sistema foi abolido na Constituição de 1917, apesar de ter havido a promessa de restabelecer o sistema de ejidos, o qual não sucedeu até a presidência de Lázaro Cárdenas em 1934.

O propósito de restabelecer o sistema de ejidos era devolver terras ao povo e produzir mais alimentos. A terra pertence ao estado e o banco nacional paga por todo o maquinário e todo o necessário para manter a terra.

Em 1960 23% das terras cultivadas no México eram ejidos.

Referências

  1. Stacy, Lee (2002). Mexico and the United States (em inglês). Nova Iorque: Marshall Cavendish. p. 276. ISBN 0-7614-7403-X 
Ícone de esboço Este artigo sobre economia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.