Eléonore Denuelle de La Plaigne

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde Fevereiro de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Eléonore Denuelle de La Plaigne
Eléonore Denuelle de La Plaigne por François Gérard, c. de 1807
Nome completo Louise Catherine Eléonore Denuelle de la Plaigne
Nascimento 3 de setembro de 1787
Paris, França
Morte 30 de janeiro de 1868
Igreja de Santo Eustáquio, Paris, França
Nacionalidade França Francesa
Progenitores Mãe: Françoise-Charlotte-Eléonore Couprie
Pai: Dominique Denuelle
Cônjuge Jean-François Revel-Honoré (divórcio em1806)
Pierre-Philippe Augier de Sauzay (morto em 1812)
Conde Charles-Emile-Auguste-Louis de Luxbourg
Filho(s) Carlos, Conde Léon
Ocupação Dama de companhia

Eléonore Denuelle (Paris, 3 de setembro de 1787 - Paris, 30 de janeiro de 1868) foi amante do Imperador Napoleão I de França, e mãe de seu filho Carlos, conde Léon. O seu filho foi a prova que Napoleão era capaz de produzir um herdeiro e que sua esposa Josefina de Beauharnais era infértil; como resultado, ele divorciou-se de Josefina e casou-se com Maria Luísa da Áustria.

Vida[editar | editar código-fonte]

Nasceu como Louise Catherine Eléonore Denuelle de la Plaigne no seio de uma família da classe média. Casou aos 18 anos com um antigo capitão do exército, Jean-François Revel-Honoré. O seu marido foi detido por fraude três meses após o casamento e sentenciado a dois anos de prisão. A 29 de abril de 1806, foi-lhes concedido o divórcio.

Pouco depois ela tornou-se amante do Imperador Napoleão, através de Carolina Bonaparte. Em menos de um ano nasceu o filho ilegítimo do imperador, o Conde Léon. Foi o primeiro filho ilegítimo de Napoleão, e a prova de que ele era capaz de produzir um herdeiro, assumindo-se então que a sua esposa Josefina de Bauharnais era infértil.

Em 1808 o imperador Napoleão arranjou-lhe um casamento com Pierre-Philippe Augier de Sauzay, um jovem tenente, para terminar o caso amoroso real. O imperador pagou-lhe um dote, e o recentemente casado casal partiu para a Espanha. Augier foi dado como desaparecido em combate a 28 de novembro de 1812, durante a campanha da Rússia de Napoleão. Viúva, Eléonore casa com o Conde Charles-Emile-Auguste-Louis de Luxbourg (1814). Manteve-se com o seu marido até a morte deste, 35 anos depois.

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Eléonore Denuelle de La Plaigne
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.