El Ateneo Grand Splendid

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
El Ateneo Grand Splendid
El Ateneo Grand Splendid
Fachada da El Ateneo
Estilo dominante Eclético
Arquiteto Peró e Torres Armengol
Inauguração Maio de 1919
Geografia
País  Argentina
Cidade Buenos Aires

El Ateneo Grand Splendid é uma das mais conhecidas livrarias em Buenos Aires, Argentina. Em 2008, o The Guardian a classificou como a segunda livraria mais bonita do mundo.[1]

Caracteríticas[editar | editar código-fonte]

Situado no nº 1860 da Avenida Santa Fé, no Barrio Norte,[2] o edifício foi projetado pelos arquitetos Peró e Torres Armengol[3] para o empresario Max Glücksmann (1875-1946) e aberto como um teatro chamado Gran Splendid, em maio de 1919.[4] O edifício em estilo eclético apresenta afrescos no teto, pintado pelo artista italiano Nazareno Orlandi e cariátides esculpidas por Troiano Troiani,[3] cujo trabalho também pode ser visto no Palacio de la Legislatura de la Ciudad de Buenos Aires.

Interior da livraria

O teatro tinha uma capacidade de cerca de 1.050 espectadores e fez várias apresentações, incluindo espetáculos de tango feitos por artistas como Carlos Gardel, Francisco Canaro, Roberto Firpo e Ignacio Corsini. Glücksmann começou a sua própria estação de rádio em 1924 (Rádio Splendid) no edifício, onde a sua empresa de gravação, a Nacional Odeón, fez algumas das primeiras gravações dos grandes cantores de tango. No final da década de 1920, o teatro foi convertido em um cinema e em 1929 mostrou os primeiros filmes sonoros apresentados na Argentina.

O antigo teatro ornamentado foi arrendado pelo Grupo Ilhsa em fevereiro de 2000.[5] Ilhsa, através da Tematika, possui as livrarias El Ateneo e Yenny (totalizando mais de 40 lojas), bem como o El Ateneo editora. O edifício foi posteriormente renovado e convertido em uma loja de livros e músicas, sob a direção do arquiteto Fernando Manzone;[5] o cinema foi removido e em seu lugar prateleiras de livros foram instaladas. Depois de obras de remodelação e com 2.000 m²,[6] a El Ateneo Grand Splendid tornou-se a principal loja do grupo e, em 2007, vendeu mais de 700.000 livros; mais de um milhão de pessoas visitam o local anualmente.

Cadeiras de praia são fornecidas em todo o edifício, incluindo os ainda intactos camarotes do teatro, onde os clientes podem mergulhar nos livros antes de comprar. Também há um café na parte de trás do que foi uma vez o palco. O teto, os entalhes, as cortinas de carmesim do auditório, a iluminação e muitos detalhes arquitetônicos permanecem. Apesar das mudanças, o edifício ainda mantém a sensação de que foi um teatro um dia.[7] O The Guardian, um importante jornal britânico, classificou a El Ateneo Grand Splendid como segunda melhor livraria do mundo em 2008.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Dodson, Sean (11 de janeiro de 2008). «Top shelves». The Guardian. Londres. Consultado em 10 de maio de 2015 
  2. San Martín, Raquel (17 de janeiro de 2008). «El Ateneo Grand Splendid, una joya entre las librerías del mundo» [El Ateneo Grand Splendid, a jewel among the libraries of the world]. La Nación (em espanhol). Buenos Aires. Consultado em 10 de maio de 2015. Ayer, los empleados de la librería porteña -en Santa Fe 1860- comentaban la noticia. 
  3. a b San Martín, Raquel (17 de janeiro de 2008). «El Ateneo Grand Splendid, una joya entre las librerías del mundo». La Nación (em espanhol). Buenos Aires. Consultado em 10 de maio de 2015 
  4. San Martín, Raquel (17 de janeiro de 2008). «El Ateneo Grand Splendid, una joya entre las librerías del mundo». La Nación (em espanhol). Buenos Aires. Consultado em 10 de maio de 2015 
  5. a b San Martín, Raquel (17 de janeiro de 2008). «El Ateneo Grand Splendid, una joya entre las librerías del mundo». La Nación (em espanhol). Buenos Aires. Consultado em 10 de maio de 2015 
  6. San Martín, Raquel (17 de janeiro de 2008). «El Ateneo Grand Splendid, una joya entre las librerías del mundo». La Nación (em espanhol). Buenos Aires. Consultado em 10 de maio de 2015 
  7. The Guardian http://www.theguardian.com/books/2008/jan/11/bestukbookshops  Em falta ou vazio |título= (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre a Argentina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.