El Chavo (personagem)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde dezembro de 2009). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo.
Emblem-question.svg
Este artigo ou seção pode conter texto de natureza não enciclopédica.
Justifique o uso dessa marcação e tente resolver essas questões na página de discussão.
Editor, considere adicionar a data dessa marcação. Isso pode ser feito automaticamente substituindo essa predefinição por {{subst:não enc}}.
El Chavo
br: Chaves
Língua original Espanhol
Morada Mora na casa n° 8 da vila
Nascimento 20 de junho de 2006
Idade 8 anos
Origem  México
Dublagem Marcelo Gastaldi, dublagem de 1984-1992 do SBT
Cassiano Ricardo, programa Chespirito
Tatá Guarnieri, 2005-2012 e desenho animado
Daniel Muller, 2013- 2015 em desenho animado
Temporada(s) 8
Outros El Chapulín Colorado

El Chavo Animado

Série Chaves
Primeira aparição Remédio Duro de Engolir (20 de junho de 1971)
Brincando de Escolinha (4 de fevereiro de 1980

Os balões (21 de outubro de 2006)

Última aparição Antes um Tanque Funcionando que uma Lavadora Encrencada (01 de janeiro de 1980)
Aula de inglês (12 de junho de 1992)
Interpretado por Roberto Gómez Bolaños

Jezuz Guzman(voz desenho)

Projecto Televisão  · Portal Televisão

El Chavo del Ocho (Brasil: Chaves do Oito ou simplesmente Chaves) é um personagem da série televisiva mexicana de comédia El Chavo del Ocho[1] . É um órfão de oito anos de idade, interpretado por Roberto Gómez Bolaños.Como seu programa era exibido no canal oito, seu nome ficou "El Chavo del Ocho", no original em espanhol. Por isso, em alguns episódios, o garoto diz morar na casa número oito da vila, apesar de sempre entrar no seu barril. É bastante pobre e vive atrás de um pouco de comida ou doces dos demais habitantes da vila. Possui os próprios brinquedos, geralmente dados ou montados com sucata.

A história do Chaves no Brasil começa quase junto a do SBT. Em 19 de agosto de 1981 entrava no ar a TVS que, alguns anos depois, se tornaria o SBT. Para complementar a programação da recém-formada emissora, Silvio Santos analisou vários pacotes de programação oferecidos por emissoras estrangeiras. Dentre eles estava o da mexicana Televisa, com boas produções a baixos custos. Porém, essa programação só poderia ser vendida por completo com todos os programas, estando entre eles o seriado El Chavo Del Ocho, que não agradou a nenhum diretor do SBT, nem mesmo a Silvio Santos. Porém, sabendo do sucesso que o seriado fazia em toda a América Latina, Silvio Santos decidiu colocá-lo no ar.

Chaves estreou no Brasil em agosto de 1984, no programa do palhaço Bozo. Cerca de três anos depois, o seriado ganhou horário próprio, sendo exibido às 12h30, logo após Chapolin Colorado. Em 1988, Chaves estreou no horário nobre exibindo apenas episódios inéditos, ameaçando a audiência das outras emissoras. No final da década de 1990 começaram os problemas: o seriado mudava de horário constantemente, sem aviso prévio e, em várias ocasiões, fora retirado do ar. Mas Chaves resistiu e continua no ar depois de 30 anos no Brasil, e há 40 anos em toda a América Latina, assim entrando para a história da televisão.

Nome[editar | editar código-fonte]

O Chaves é chamado por todos os moradores da vila apenas pela palavra "chavo", que é uma gíria que no México significa "menino", "garoto" ou "moleque". Essa palavra também pode ser usada no feminino, como "chava", para se referir a uma menina. Como o termo não existe no Brasil e o nome "Chavo" soaria estranho na dublagem em português, o personagem ganhou o nome de "Chaves" na dublagem brasileira.

Personalidade[editar | editar código-fonte]

Ele demonstra uma certa ingenuidade, às vezes tamanha que beira à ironia ou sarcasmo, o que irrita os moradores, principalmente o Seu Madruga (Don Ramón). Possui um grande coração, mas é sempre incompreendido por todos e também vive levando a culpa por tudo o que acontece na vila, daí um de seus principais bordões: "ninguém tem paciência comigo".

Grande parte de seus problemas ocorre não só por ele ser muito distraído e desastrado, mas por estar sempre com fome. É capaz de suportar vários dias sem comer nada, porém, possui um apetite tão grande ou maior que o do Nhonho, sendo capaz de comer bolos e até frangos inteiros em poucos minutos. No desenho, Chaves mantém grande parte de seus tratos, mas se torna mais gentil e sonhador, além de ficar magoado quando os outros, especialmente seus amigos, o consideram desonesto ou mentiroso.

Seu melhor amigo é Quico, embora este viva tentando humilhá-lo e ambos estejam sempre brigando. Mesmo sendo um menino pobre e considerado parte da gentalha por Dona Florinda, Chaves é bom de briga e consegue nocautear Quico sem falha. Geralmente aplica no bochechudo uma sequência de 3 socos que o mandam ao chão, mas, em brigas, tende a perder feio para Chiquinha ou Nhonho.

Chaves é apaixonado por Paty, a menina mais bonita da escola, e algumas vezes é correspondido. Fica hipnotizado toda vez que olha para ela e desmaia quando ela o beija. Outra característica curiosa é que toda vez que fica muito assustado ele tem um "piripaque", ou seja, fica totalmente paralisado, com o corpo ligeiramente agachado, o rosto voltado para a frente, um braço apontando para o chão e o outro meio levantado. Aparentemente perde a consciência e só volta a si quando lhe jogam água no rosto.

Segundo o criador, produtor e intérprete do personagem na série, Roberto Gómez Bolaños, no livro O Diário do Chaves, lançado em 2006, o garoto havia fugido de um orfanato no qual a mãe o havia deixado bem pequeno, já que lá não se sentia feliz. Foi então que encontrou uma "vila", e uma senhora sozinha, muito idosa, o abrigou no apartamento número 8, junto a ela. Mas logo ela faleceu e Chaves teve que ser despejado, passando a viver dentro do Barril, porém, continuava dizendo para todos que morava no apartamento 8.

Relação com outros personagens[editar | editar código-fonte]

Chaves é uma criança feliz, ingênua e humilde, que apesar de viver em desavenças com os outros inquilinos por suas constantes trapalhadas e enganos, não considera nenhum deles como inimigos e demonstra vontade de ser amigo de todos, até de pessoas com quem ele não tem intimidade, como as donas Florinda e Clotilde.

  • Quico: É seu melhor amigo e principal companheiro em brincadeiras, mas isso não impede Quico de tratá-lo com inveja e egoísmo. O bochechudo sempre se diverte negando ao Chaves seus brinquedos e lanches. Sua forma de punir Quico é quase sempre com uma combinação de três socos, que o mandam ao chão. Chaves também costuma perseguir Quico, quando este zomba dele ou o acerta intencionalmente. Nestas situações, o diálogo é geralmente este:
  • Chaves: "Agora sim, eu te arrebento as bochechas!"
  • Quico: "Não, Chavinho! Não!"
Terminando por Quico fugir e Chaves ir atrás. A situação em geral é finalizada quando Chaves acerta alguém (Senhor Barriga, Professor Girafales e principalmente o Seu Madruga) no lugar de Quico, sendo repreendido; ou de fato acertando Quico com três socos.
  • Situações cômicas: Um dos fatos mais cômicos entre os dois é quando Seu Madruga dá dinheiro a Chaves para que este o ajude em alguma tarefa (como regar um pé de alguma planta); Chaves sempre faz a tarefa de forma errada (no caso, regando os pés de Seu Madruga), e logo depois conta a Quico que ganhou dinheiro de seu Madruga por ter feito a tarefa; Quico, querendo provar que pode fazer o mesmo, também realiza a tarefa de forma errada e é punido por Seu Madruga.
  • Seu Madruga: Os dois são amigos e Seu Madruga, apesar de ser quem mais bate no garoto órfão, é quase tão íntimo dele quanto é de Chiquinha, sendo uma figura paterna para o menino. Há desavenças entre os dois quase sempre devido às trapalhadas de Chaves. Como mostrado na série, Madruga castiga o Chaves com cascudos na cabeça toda vez que o garoto o acerta no lugar do Quico, ou quando o Chaves faz perguntas sobre sua avó.
    • Situações cômicas: Depois que esbofeteia Seu Madruga por algo que ele tenha ou não feito a ela ou a Quico, Dona Florinda diz a ele que cometa o mesmo com sua avó (por exemplo: "E da próxima vez, vá colocar apelidos na sua avó!"). Depois disto, Chaves se aproxima de Seu Madruga e pergunta sobre a avó dele, com relação à frase de Dona Florinda ("Seu Madruga, não ficaria bem para sua avozinha o apelido de ameixa seca?"). Seu Madruga bate no Chaves e faz uma piada relacionada a pergunta do Chaves ("Só não te dou outra porque ameixa seca é o apelido da minha avozinha!").
  • Dona Florinda: A relação de Chaves com Florinda é semelhante à dele para com Madruga (pelo fato de ambos repreenderem Chaves constantemente), tirando a intimidade. Florinda o considera tão parte da gentalha como Madruga, devido à condição social destes. Costuma dar referências à sua postura e educação, além de expulsá-lo de sua casa sempre que ele entra sem ser convidado ou come algum alimento indevido (geralmente demonstrando-se esfomeado). Dona Florinda também critica Quico por ter amizade com Chaves e é raro ver ambos amistosamente. No entanto, há momentos em que Florinda se compadece de Chaves, inclusive quando ele passa a trabalhar como garçom em seu restaurante, ganhando um salário fixo.
  • Chiquinha: São bons amigos, apesar de Chiquinha sempre se aproveitar da burrice do Chaves e deste às vezes perder a paciência com ela. Tem uma certa paixão não-correspondida pelo garoto.
  • Senhor Barriga: A relação entre os dois tem seu ponto forte no fato de Chaves sempre acertá-lo com um golpe, quando o sr. Barriga entra na vila. Chaves também, por burrice, sempre o aborrece com referências à sua obesidade. Apesar de tudo, Sr. Barriga tem uma grande compaixão para com Chaves e sempre quer ajudá-lo. Por exemplo, quando leva Chaves para Acapulco, ao cinema ou o hospeda em sua casa, junto com os outros moradores.
  • Dona Clotilde: O convívio entre os dois é semelhante ao dela para com as demais crianças (e às vezes com alguns adultos). Por ser uma senhora de idade, Clotilde sofre com piadas ligadas à isto, além das crianças acreditarem que seja uma bruxa, em alusão à sua aparência velha e excêntrica, ganhando o apelido de "Bruxa do 71". Chaves, assim como as demais crianças da vila, tem um medo quase alienígena dela, mesmo ela afirmando que não é uma bruxa. Sempre que fica assustado por algo dito ou feito por Clotilde (como em episódios em que a "bruxa" é a personagem central), Chaves tem seu clássico piripaque e fica paralisado, até que alguém jogue água em seu rosto. Em outras situações, Chaves costuma prestar serviços à Dona Clotilde e parece ser bem tratado por esta.
  • Professor Girafales: Se relacionam de modo semelhante a como Girafales trata as outras crianças, já que é o professor delas. Girafales acredita no potencial de Chaves e vê nele (assim como em outras crianças) o futuro da pátria. Mesmo assim, Chaves costuma irritá-lo fazendo piadas em alusão à sua altura ("Professor Linguiça" é a mais comum de todas), assim como repetidamente falando asneiras quanto a assuntos envolvendo conhecimentos gerais. Por Chaves ser um tanto distraído e carente de muitas coisas, Girafales procura ser compreensivo para com ele, mais do que a própria Dona Florinda.
  • Nhonho: São amigos que sempre brincam quando Nhonho vai à vila, mas em alguns episódios, Nhonho se nega a dar algo de comer ao Chaves mesmo tendo de sobra, como churros, ovos, sanduíches e tortas, além de Nhonho ser alvo de piadas constantes de Chaves, ralecionadas á sua obesidade, o que geram brigas entre os dois. A forma de Nhonbho punir Chaves é dando-lhe barrigadas, que lançam Chaves para longe. No desenho, é um dos melhores amigos do Chaves.
  • Pópis: Na série original, os dois têm uma amizade similar a que Chaves tem com Quico, exceto que menos agravante, com Pópis mesmo se compadecendo do menino em alguns momentos. No desenho, na ausência da Chiquinha, Pópis assume vários dos traços dela, inclusive tendo o mesmo tipo de relação com o Chaves, com uma queda não-correspondida.
  • Paty: Chaves é apaixonado por Paty, às vezes brigando com Quico pela atenção dela, e enciumando Chiquinha, que faz de tudo para o menino do barril prestar mais atenção nela que em Paty. No seriado, por vezes o amor vem só da parte do Chaves, já que Paty não esboça nenhuma reação e apenas aceita as investidas amorosas; mas no desenho, o sentimento é mútuo. Chaves pode mesmo ficar deprimido se perceber que magoou Paty ou se ela não acredita nele.
  • Malicha: A amizade entre os dois é semelhante a relação do Chaves com a Chiquinha, tirando o fato de que Malicha tem uma queda por Quico, não pelo Chaves.

Bordões[editar | editar código-fonte]

  • "Foi sem querer querendo." (pedindo desculpas), a que outros personagens podem, fazendo algo em resposta, dizer "Então eu vou fazer isso (eu vou te acertar) querendo por querer!"'
  • "Tá bom, mas não se irrite." (desculpa)
  • "Ninguém tem paciência comigo!" (reclamação)
  • "Isso, isso, isso!" (quando concorda)
  • "Pi pi pi pi pi pi" (choro)
  • "Ai que burro(a), dá zero pra ele/ela!" (apenas em episódios de escola, quando ele não concorda com alguma resposta de um colega de classe, que geralmente é correta)
  • "Não tem por onde." (de nada)
  • "Ah, também eu nem queria…" (quando lhe negam algo)
  • "'Zás e zás e…" (quando esta animado para fazer algo, ele pode acabar isso com alguma discordância ou continuando animado)
  • "É que me escapuliu" (desculpa)
  • "Seu Madruga, sua vovozinha fazia,…"; "era…"; ou "gostava de…" (dito depois que a Dona Florinda fala da avó de Seu Madruga com um tom raivoso)
  • "Agora sim que eu arrebento isso que você chama de cara." (ameaça)
  • "Tudo eu, tudo eu, tudo eu" (reclamação)
  • "Não, primeiro diz se vai me dar..." (quando Quico está fingindo em querer oferecer um pirulito ou outra coisa que ele está comendo, e quando Chaves pede para o Quico dar, ele responde: Compra!)
  • "Vai ver só na saída" (quando é agredido por Nhonho e não consegue acertá-lo)
  • "Agora sim eu te arrebento as bochechas ou essas bochechas de buldogue velho" (quando Chaves ameaça em bater no Quico)
  • "Meu nome verdadeiro é..." (Quando ele tenta falar seu verdadeiro nome, mas é sempre interrompido por alguém que aparece falando ao mesmo tempo)

Vestuário e aparência[editar | editar código-fonte]

Chaves não veste as mesmas roupas em todos os episódios. Dependendo da temporada em que o seriado foi gravado, Chaves usa uma determinada combinação nas cores de suas roupas. Em alguns episódios mais raros, Chaves usa uma roupa diferente do estilo da tradicional (Camisa listrada com bermuda indo até as canelas), mas geralmente, as roupas que Chaves usa são estas:

  • 1971/72 - Camisa amarela listrada com preto (um tanto curta em alguns episódios); Calça azul-clara.
  • 1973 - Camisa branca-acinzentada com listras pretas; Calça amarela. Essa roupa também é usada no desenho animado.
  • Últimos Episódios 1973/75 - Primeiros episódios - Camisa branca-acinzentada com listras pretas; Calça marrom.
  • 1975/77 Primeiros episódios - Camisa Branca com listras pretas; Calça bege.
  • 1977 - Camisa listrada em verde, branco e preto, Calça esverdeada.
  • 1978/79 - Camisa listrada em verde (às vezes marrom, a partir da época em que o Quico passa a usar um boné Vermelho, Amarelo e Preto), branco e preto, e Calça bege.
  • Nos episódios seguintes às séries originais, Chaves utiliza-se de variadas camisetas listradas com algumas cores não-exploradas anteriormente.
  • Nos episódios entre 1975 e 76 (quando a camisa usada por Chaves é a branca e preta), é notável que Chaves está um pouco acima do peso, diferente do físico magro que tinha entre 71 e 74. Á partir de 77, Chaves já se mostra um pouco mais magro.
  • 2006- A sua roupa é branca listrada de Laranja (cor) e Preto, sua calça é amarela laranjada com um retalho amarelo e seu boné é Verde Claro e Verde Escuro.

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Chespirito.com. Personajes/El Chavo del Ocho/Personajes. Visitado em 27 de março de 2011. (em espanhol)