El Risitas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
El Risitas
Nascimento Juan Joya Borja
5 de abril de 1956
Sevilha, Andaluzia, Espanha
Morte 28 de abril de 2021 (64 anos)
Sevilha, Andaluzia, Espanha
Nacionalidade espanhola
Ocupação comediante, ator
Período de atividade 2000-2021

Juan Joya Borja (Sevilha, 5 de abril de 1956 – Sevilha, 28 de abril de 2021) foi um comediante e ator espanhol conhecido pelo nome artístico El Risitas. Ele ganhou ampla popularidade em 2015 graças a uma série de paródias no programa de entrevistas Ratones Coloraos de Jesús Quintero.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Joya nasceu em Sevilha. Ele teve vários empregos ao longo de sua vida, incluindo cozinhar e descarregar sacos de cimento. Sua primeira aparição na televisão foi em 2000, no programa El Vagamundo de Jesús Quintero, onde foi entrevistado sobre várias situações da vida com seu parceiro "El Peíto" ou "el Cuñao", em tom cômico. Ele se tornou reconhecível por sua risada, que levou ao seu apelido de "El Risitas" (traduzido para "as risadinhas" em português). Ele também apareceu no filme de 2005 Torrente 3: El protector. Quando ele se tornou conhecido internacionalmente em 2015 devido aos memes publicados na internet, ele também fez apresentações para empresas de fora da Espanha, como por exemplo em um comercial finlandês.[2]

Meme da entrevista em Ratones Coloraos[editar | editar código-fonte]

Em junho de 2007, Joya apareceu no programa Ratones Coloraos, de Jesús Quintero, e descreveu um incidente em que trabalhava como lavador de pratos. Ele descreve uma situação onde deixou algumas panelas de paelha à noite no oceano para que elas sejam limpas pela água, e quando, pela manhã, ele voltou para pegar as panelas, elas foram arrastadas para o mar por causa da maré alta.[1] O vídeo original foi enviado para o YouTube em 25 de junho de 2007 e recebeu mais de um milhão de visualizações oito anos antes do meme se tornar difundido.[3]

Em março de 2014, imagens da entrevista foram usadas pela Irmandade Muçulmana para parodiar o presidente do Egito Abdel Fattah el-Sisi.[4] Outras paródias também foram produzidas, geralmente parodiando tecnologia e jogos.[1] As versões mais assistidas do vídeo legendaram Joya como projetista da placa de vídeo Nvidia GeForce GTX 970, como um designer do jogo Team Fortress 2, como um funcionário da Valve discutindo sobre Dota 2, como um representante da Canon discutindo sobre a câmera C300, e como um funcionário da Xbox Live descrevendo o sistema da plataforma.

Em março de 2015, o meme recebeu mais atenção após o lançamento do MacBook 2015, onde Joya foi legendado como um designer que trabalhou no protótipo. Dentro de um mês após o upload, o vídeo recebeu mais de cinco milhões de visualizações no YouTube.[5] O impacto do meme foi comparado a paródias do drama de guerra de 2004, Der Untergang, onde várias cenas do filme são editadas de forma similar com legendas falsas.[1]

Outro meme popular foi publicado em abril de 2015, parodiando um caso político na Eslováquia conhecido como o caso de Vahostav,[6] onde Joya foi legendado pelo popular comediante de stand-up eslovaco Jano Gordulic.

Em maio do mesmo ano, o meme teve outro sucesso ao criticar a decisão da Valve Corporation de monetizar o modding em sua plataforma Steam,[7] sendo que o vídeo da paródia obteve mais de meio milhão de visualizações. A Valve rapidamente reverteu sua decisão sobre os mods.[8]

Em novembro de 2018, o meme teve ainda outro sucesso ao criticar a decisão da Blizzard Entertainment de trazer Diablo para dispositivos móveis com o novo jogo Diablo Immortal.[9] O vídeo alcançou mais de 490.000 visualizações.

Saúde e morte[editar | editar código-fonte]

Juan Joya Borja morreu no meio da tarde de 28 de abril de 2021 no Hospital Universitario Virgen del Rocío devido a um enfarte do miocárdio, do qual já tinha sido internado no Hospital de la Caridad de Sevilha em setembro de 2020.[10][11][12]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

  • 2005: Torrente 3: El protector

Televisão[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]