Eleição municipal de Araçatuba em 2020

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A eleição municipal de Araçatuba em 2020 está prevista para ocorrer no dia 15 de novembro. Esta cidade paulista possui 198.129 habitantes dentre os quais 151.463 são eleitores[1] que neste dia votarão para definir o seu prefeito e os seus 15 vereadores.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Eleição Municipal de 2016[editar | editar código-fonte]

Na eleição de 2016, o ex-deputado estadual Dilador Borges, do PSDB, venceu a disputa com 59,58% dos votos válidos, tendo como adversários o empresário Luís Fernando Arruda Ramos, candidato pelo PTB, que obteve 38,69% dos votos válidos e o candidato do PT, Hélio Consolaro, que teve 1,73% dos votos válidos, o tucano conquistou seu primeiro mandato após duas derrotas em 2008 e 2012, ambas para o então prefeito Cido Sério, do PT.

Cláusula de barreira[editar | editar código-fonte]

Nesta eleição entrará em vigor a regra da "cláusula de barreira". Os partidos teriam de obter, nas eleições para a Câmara dos Deputados de 2018, pelo menos 1,5% dos votos válidos, em ao menos um terço das unidades da federação, com ao menos 1% dos votos válidos em cada uma delas; ou ter eleito pelo menos 9 deputados, distribuídos em ao menos, um terço das unidades da federação. Os partidos que não atingiram estes números podem ficar sem receber o financiamento do fundo partidário, além de não terem direito ao tempo de TV. Portanto os seguintes partidos serão afetados: UP, PCO, PCB, PSTU, REDE, PMN, PMB, DC, PTC e PRTB.[2]

Contexto político e pandemia[editar | editar código-fonte]

As eleições municipais de 2020 estão sendo marcadas, antes mesmo de iniciada a campanha oficial, pela pandemia do coronavírus SARS-CoV-2 (causador da COVID-19), o que está fazendo com que os partidos remodelem suas metodologias de pré-campanha. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) autorizou os partidos a realizarem as convenções para escolha de candidatos aos escrutínios por meio de plataformas digitais de transmissão, para evitar aglomerações que possam proliferar o vírus.[3]

Além disso, a partir deste pleito, será colocada em prática a Emenda Constitucional 97/2017, que proíbe a celebração de coligações partidárias para as eleições legislativas,[4] o que pode gerar um inchaço de candidatos ao legislativo. Conforme reportagem publicada pelo jornal Brasil de Fato em 11 de fevereiro de 2020, o país poderá ultrapassar a marca de 1 milhão de candidatos a prefeito, vice-prefeito e vereador neste escrutínio,[5] o que não seria necessariamente bom, na opinião do professor Carlos Machado, da UnB (Universidade de Brasília): “Temos o hábito de criticar de forma intensa a coligação partidária, sem parar para refletir sobre os elementos positivos dela. O número de candidatos que um partido pode apresentar numa eleição, varia se ele estiver dentro de uma coligação, porque quando os partidos participam de uma coligação, eles são considerados como um único partido", afirmou Machado na reportagem.[5]

Pré-candidatos à Prefeito[editar | editar código-fonte]

Nome Partido Vice Coligação Citação
13 Sebastião Júnior PT Najara Leite (PT) [6]
14 Domingos Andorfato PTB Fred Wilson (PTB) [7]
15 Cido Saraiva MDB Jaqueli Jacomossi (MDB) MDB, Avante, Patriota, Solidariedade e PCdoB [8]
19 Filipe Fornari Podemos Adriana Rosa (Republicanos) Podemos e Republicanos [9]
36 Laine Martins PTC Marcelo Oliveira (PTC) [10]
43 Flávio Salatino PV Edes Baratão (PV) [11]
45 Dilador Borges PSDB Edna Flor (Cidadania) PSDB, Cidadania, DEM, PL, PROS, PSC e PP [12]
50 Paulo Sanda PSOL Claudemir Sem Terra (PSOL) [13]

Referências

  1. «Cláusula de barreira será aplicada a partir do dia 1° de fevereiro de 2019». www.tse.jus.br. Consultado em 16 de setembro de 2020 
  2. «Cláusula de barreira será aplicada a partir do dia 1° de fevereiro de 2019». www.tse.jus.br. Consultado em 16 de setembro de 2020 
  3. «TSE autoriza convenções partidárias virtuais para eleição deste ano». Agência Brasil. 4 de junho de 2020. Consultado em 16 de setembro de 2020 
  4. «Congresso promulga emenda que extingue coligações em 2020 e cria cláusula de barreira». G1. Consultado em 16 de setembro de 2020 
  5. a b «Brasil pode ultrapassar a marca de um milhão de candidatos nas eleições 2020». Brasil de Fato. Consultado em 16 de setembro de 2020 
  6. «PT de Araçatuba anuncia Sebastião Júnior como candidato a prefeito». G1. Consultado em 16 de setembro de 2020 
  7. «PTB lança candidatura de Domingos Andorfato para prefeitura de Araçatuba». G1. Consultado em 16 de setembro de 2020 
  8. «MDB oficializa Cido Saraiva como candidato a prefeito de Araçatuba». G1. Consultado em 16 de setembro de 2020 
  9. «Podemos oficializa Filipe Fornari como candidato à prefeitura de Araçatuba». G1. Consultado em 16 de setembro de 2020 
  10. «PTC oficializa Laine Martins como candidata a prefeita de Araçatuba». G1. Consultado em 16 de setembro de 2020 
  11. «PV oficializa Flávio Salatino como candidato a prefeito de Araçatuba». G1. Consultado em 16 de setembro de 2020 
  12. «PSDB define Dilador Borges como candidato a prefeitura de Araçatuba». G1. Consultado em 16 de setembro de 2020 
  13. «PSOL define Paulo Sanda como candidato a prefeito em Araçatuba». G1. Consultado em 16 de setembro de 2020