Eleição municipal de Niterói em 2020

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
2016 Brasil 2024
Eleição municipal de Niterói em 2020 Flag of Niterói.svg
15 de novembro de 2020 (primeiro turno)
29 de novembro de 2020 (segundo turno)
Axel Grael com Rodrigo Neves - 2012 (cropped).jpg Flávio Serafini PSOL.png Felipe peixoto vereador niteroi candidato deputado estadual.JPG
Candidato Axel Grael Flávio Serafini Felipe Peixoto
Partido PDT PSOL PSD
Vice Paulo Bagueira (SD) Josiane Peçanha (PSOL) Bruno Lessa (DEM)
Foto Deuler.png Juliana Benicio NOVO.jpg Renata Esteves.jpg
Candidato Deuler da Rocha Juliana Benício Renata Esteves
Partido PSL NOVO PMB
Vice Alexandre Ceotto (REP) Willie Silva (NOVO) Soraia Catarino (PMB)


Brasão de Niterói, RJ.svg
Prefeito de Niterói

Titular
Rodrigo Neves
PDT

Eleito
A definir

A eleição municipal do município de Niterói em 2020 ocorrerá no dia 15 de novembro (primeiro turno) e 29 de novembro (segundo turno),[1] com o objetivo de eleger um prefeito, um vice-prefeito, e 21 vereadores responsáveis pela administração da cidade para o mandato a se iniciar em 1° de janeiro de 2021 e com término em 31 de dezembro de 2024.

Originalmente, as eleições ocorreriam em 4 de outubro (primeiro turno) e 25 de outubro (segundo turno), porém, com o agravamento da pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2), causador da Covid-19, as datas foram modificadas com a promulgação da Emenda Constitucional nº 107/2020.[2]

O processo eleitoral de 2020 está marcado pela sucessão para o cargo ocupado pelo atual prefeito Rodrigo Neves, do PDT, que por estar em seu segundo mandato não pode se candidatar a reeleição.[3]

Contexto político e pandemia[editar | editar código-fonte]

As eleições municipais de 2020 estão sendo marcadas, antes mesmo de iniciada a campanha oficial, pela pandemia do coronavírus SARS-CoV-2 (causador da COVID-19), o que está fazendo com que os partidos remodelem suas metodologias de pré-campanha. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) autorizou os partidos a realizarem as convenções para escolha de candidatos aos escrutínios por meio de plataformas digitais de transmissão, para evitar aglomerações que possam proliferar o vírus.[4] Alguns partidos recorreram a mídias digitais para lançar suas pré-candidaturas. Além disso, a partir deste pleito, será colocada em prática a Emenda Constitucional 97/2017, que proíbe a celebração de coligações partidárias para as eleições legislativas[5], o que pode gerar um inchaço de candidatos ao legislativo. Conforme reportagem publicada pelo jornal Brasil de Fato em 11 de fevereiro de 2020, o país poderá ultrapassar a marca de 1 milhão de candidatos a prefeito, vice-prefeito e vereador neste escrutínio,[6][7] o que não seria necessariamente bom, na opinião do professor Carlos Machado, da UnB (Universidade de Brasília): “Temos o hábito de criticar de forma intensa a coligação partidária, sem parar para refletir sobre os elementos positivos dela. O número de candidatos que um partido pode apresentar numa eleição, varia se ele estiver dentro de uma coligação, porque quando os partidos participam de uma coligação, eles são considerados como um único partido", afirmou Machado na reportagem.

Candidaturas[editar | editar código-fonte]

Primeiro turno[editar | editar código-fonte]

Candidato(a) a prefeito(a) Candidato(a) a vice-prefeito(a) Coligação/Partido Tempo de
horário eleitoral
Axel Grael com Rodrigo Neves - 2012 (cropped).jpg
Axel Grael (PDT)
Axel Schmidt Grael
Paulo Bagueira (Solidariedade)
Paulo Roberto Mattos Bagueira Leal
12
União por Niterói
PDT, Solidariedade, PV, PL, PRTB, MDB, PT, PSB,
PP, REDE, Patriota, PCdoB, Avante e Cidadania
4 minutos e 41 segundos
Silver - replace this image male.svg
Sérgio Perdigão (PSTU)
Sérgio Bruno Alves Perdigão
Carlos Augusto Machado (PSTU)
Carlos Augusto Moreira Machado
16
Partido Socialista dos
Trabalhadores Unificado

PSTU
Não possui
Deuler da Rocha (PSL)
Deuler da Rocha Gonçalves Junior
Alexandre Ceotto (Republicanos)
Alexandre Ceotto André
17
Força, Honra e Fé
PSL, Republicanos e PMN
1 minuto e 51 segundos
Silver - replace this image male.svg
Tuninho Fares (DC)
Antonio da Silveira Fares
Nubia Mattos (DC)
Nubia Mattos de Azevedo
27
Democracia Cristã
DC
Não possui
Juliana Benicio NOVO.jpg
Juliana Benício (NOVO)
Juliana da Câmara Torres Benício
Willie Silva (NOVO)
Willie de Souza e Silva
30
Partido Novo
NOVO
19 segundos
Renata Esteves.jpg
Renata Esteves (PMB)
Renata de Oliveira Esteves
Soraia Catarino (PMB)
Soraia Catarino Miranda
35
Partido da Mulher Brasileira
PMB
Não possui
Allan Lyra (PTC)
Allan Pinho Lyra
Subtenente Célio (PODE)
Célio da Silva Soares
36
Aliança por Niterói
PTC e PODE
30 segundos
Flávio Serafini PSOL.png
Flávio Serafini (PSOL)
Flávio Alves Serafini
Josiane Peçanha (PSOL)
Josiane Nazaré Peçanha de Souza
50
À Esquerda, pra Mudar Niterói
PSOL e UP
24 segundos
Felipe peixoto vereador niteroi candidato deputado estadual.JPG
Felipe Peixoto (PSD)
Felipe dos Santos Peixoto
Bruno Lessa (DEM)
Bruno Bastos Lessa
55
Niterói Primeiro
PSD, DEM, PSDB e PROS
2 minutos e 15 segundos

Candidaturas Indeferidas[editar | editar código-fonte]

Candidato(a) a prefeito(a) Candidato(a) a vice-prefeito(a) Coligação/Partido Notas
Sindicalista Danielle Bornia.jpg Danielle Bornia (PSTU) Sérgio Perdigão (PSTU) 16 Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado
PSTU
O Tribunal Regional Eleitoral indeferiu a candidatura em 26 de outubro devido ao julgamento de contas não prestadas das eleições de 2018, quando Danielle foi candidata a Deputada Estadual. Na ocasião, foi exigido um documento que foi entregue fora do prazo estipulado estipulado pela Justiça Eleitoral.[8]

Pré-candidatos desistentes[editar | editar código-fonte]

Em janeiro, o ex-deputado estadual Adroaldo Peixoto confirmou sua pré-candidatura a Prefeitura de Niterói pela Rede Sustentabilidade, mas em julho anunciou sua saída da disputa devido a uma recomendação médica após ter se submetido a uma cirurgia.[9]

Em setembro, uma decisão judicial devolveu a presidência do diretório municipal do Podemos de Niterói ao engenheiro Aldemar Furtado, destituído unilateralmente do cargo em 2017 pelo presidente estadual da legenda, o senador Romário. Furtado anunciou que o Podemos não lançaria Antônio Rayol como candidato próprio, apoiando a candidatura de Axel Grael (PDT).[10] Após este fato, dois pré-candidatos do campo bolsonarista - José Paulo Pires (PMN) e Alexandre Ceotto (Republicanos) - declararam apoio a Deuler da Rocha (PSL), com Ceotto tomando o papel de vice na chapa.[11] Porém, às vésperas de encerrar o prazo para o registro de candidaturas, Pedro Castilho entrou com liminar que lhe devolveu a presidência do Podemos, e após articulação com o PTC e o deputado federal Carlos Jordy, o empresário Allan Lyra, que inicialmente seria candidato a vereador, foi anunciado como candidato a prefeitura, também com o apoio da ala bolsonarista.[12]

Também em setembro, Bruno Lessa (DEM), abriu mão de sua pré-candidatura para apoiar Felipe Peixoto (PSD) na condição de vice. A chapa será formada por PSD, DEM, PSDB e PROS.[13]

Transmissão[editar | editar código-fonte]

A veiculação da propaganda eleitoral gratuita entre 9 de outubro e 12 de novembro, em bloco e inserções, na televisão, vai ao ar pelo RedeTV! Rio de Janeiro. Pelo rádio, é transmitida pela Rádio Cidade e Rádio Manchete AM.

Pesquisas eleitorais[editar | editar código-fonte]

Outubro[editar | editar código-fonte]

Instituto de pesquisa Grael
(PDT)
Peixoto
(PSD)
Rocha
(PSL)
Serafini
(PSOL)
Benício
(NOVO)
Lyra
(PTC)
Esteves
(PMB)
Bórnia
(PSTU)
Fares
(DC)
Não sabe Nenhum
Instituto GERP
(23/10/2020)[14]
38%
12%
9%
8%
5%
1%
1%
0%
0%
14%
12%

Setembro[editar | editar código-fonte]

Instituto de pesquisa Grael
(PDT)
Peixoto
(PSD)
Lessa
(DEM)
Serafini
(PSOL)
Benício
(NOVO)
Rayol
(PODE)
Rocha
(PSL)
Não sabe Nenhum
Paraná Pesquisas
(03/09/2020)[15]
29,1%
-
13,4%
9,1%
3,9%
2,4%
3,8%
11,1%
27,3%
24,9%
21,6%
8,0%
6,8%
2,3%
2,0%
2,0%
9,0%
23,5%

Resultados[editar | editar código-fonte]

Prefeitura[editar | editar código-fonte]

Candidato(a) Vice 1º turno

15 de novembro de 2020

2º turno

29 de novembro de 2020

Total Porcentagem Total Porcentagem
Allan Lyra (PTC) Subtenente Célio (PODE)
Axel Grael (PDT) Paulo Bagueira (SD)
Deuler da Rocha (PSL) Alexandre Ceotto (REP)
Felipe Peixoto (PSD) Bruno Lessa (DEM)
Flávio Serafini (PSOL) Josiane Peçanha (PSOL)
Juliana Benício (NOVO) Willie Silva (NOVO)
Renata Esteves (PMB) Soraia Catarino (PMB)
Sérgio Perdigão (PSTU) Carlos Augusto Machado (PSTU)
Tuninho Fares (DC) Nubia Mattos (DC)
Total de votos válidos 100% 100%
→ Votos em branco
→ Votos nulos
Total de votos
Abstenções
Total de inscritos 391.268 100% 391.268 100%

Câmara Municipal[editar | editar código-fonte]

Partido Votos populares Vagas
Votos % ± Candidatos Eleitos ±
10 Republicanos 24
11 Progressistas (PP) 32
12 Partido Democrático Trabalhista (PDT) 29
13 Partido dos Trabalhadores (PT) 23
14 Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) 32
15 Movimento Democrático Brasileiro (MDB) 30
16 Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) 2
17 Partido Social Liberal (PSL) 32
18 Rede Sustentabilidade (REDE) 16
19 Podemos (PODE) 20
22 Partido Liberal (PL) 20
23 Cidadania 32
25 Democratas (DEM) 31
27 Democracia Cristã (DC) 9
28 Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB) 31
30 Partido Novo (NOVO) 15
33 Partido da Mobilização Nacional (PMN) 24
35 Partido da Mulher Brasileira (PMB) 8
36 Partido Trabalhista Cristão (PTC) 32
40 Partido Socialista Brasileiro (PSB) 21
43 Partido Verde (PV) 32
45 Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) 32
50 Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) 17
51 Patriota 32
55 Partido Social Democrático (PSD) 25
65 Partido Comunista do Brasil (PCdoB) 32
70 Avante 27
77 Solidariedade 32
80 Unidade Popular (UP) 2
90 Partido Republicano da Ordem Social (PROS) 19
Total de votos válidos 100% 713 21
→ Votos em branco
→ Votos nulos
Total de votos
Abstenções
Total de inscritos 391.268 100%

Referências

  1. «Eleições 2020: confira as datas do calendário eleitoral». G1. Consultado em 1 de fevereiro de 2020 
  2. Maziero, Guilherme (1 de julho de 2020). «Câmara aprova o adiamento das eleições 2020 para novembro». UOL Notícias. Consultado em 5 de julho de 2020 
  3. «Cotados para sucessão municipal em Niterói buscam ampliar visibilidade junto ao eleitorado». O Globo. Consultado em 1 de fevereiro de 2020 
  4. «TSE autoriza convenções partidárias virtuais para eleição deste ano». Agência Brasil. 4 de junho de 2020. Consultado em 14 de julho de 2020 
  5. «Congresso promulga emenda que extingue coligações em 2020 e cria cláusula de barreira». G1. Consultado em 14 de julho de 2020 
  6. «Brasil pode ultrapassar a marca de um milhão de candidatos nas eleições 2020». Brasil de Fato 
  7. «Eleição nas capitais terá esquerda dividida, bolsonaristas isolados e novo xadrez de alianças». Folha de S.Paulo. 12 de julho de 2020. Consultado em 15 de julho de 2020 
  8. «Danielle Bórnia tem candidatura indeferida em Niterói». Plantão Enfoco. Consultado em 26 de outubro de 2020 
  9. «REDE não lança candidato e deve apoiar Axel Grael em Niterói». A Tribuna. 3 de julho de 2020. Consultado em 7 de julho de 2020 
  10. «Jordy e Romário perdem Podemos para Axel e Rodrigo». Toda Palavra. 9 de setembro de 2020. Consultado em 11 de setembro de 2020 
  11. «Em Niterói, chapa bolsonarista é desmobilizada e eleição para prefeito terá seis candidatos». O Globo. 13 de setembro de 2020. Consultado em 13 de setembro de 2020 
  12. «Reviravolta: Justiça determina nova troca no comando do Podemos em Niterói». A Tribuna. 24 de setembro de 2020. Consultado em 6 de outubro de 2020 
  13. «Em Niterói, chapa bolsonarista é desmobilizada e eleição para prefeito terá seis candidatos». O Globo. 13 de setembro de 2020. Consultado em 13 de setembro de 2020 
  14. [1]
  15. [2]