Eleições distritais no Distrito Federal em 1986

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
1960 Brasil 1990
Eleições distritais no  Distrito Federal em 1986
15 de novembro de 1986
(Turno único)
Senadores eleitos
Mauricio Correa 2003.jpg Replace this image male.png Roberto Pompeu de Sousa Brasil..tif
Candidato Maurício Corrêa Meira Filho Pompeu de Sousa
Partido PDT PMDB PMDB
Natural de São João do Manhuaçu, MG Taperoá, PB Redenção, CE
Vice Pedro Teixeira Lindberg Aziz Cury Carlos Murilo
Votos 197.637 127.699 92.694
Porcentagem 12,25% 7,91% 5,74%


Brasão do Distrito Federal (Brasil).svg
Governador do Distrito Federal

Eleito
Titular mantido no cargo
-

As eleições distritais no Distrito Federal em 1986 aconteceram em 15 de novembro como parte das eleições na referida unidade federativa, em 23 estados e nos territórios federais do Amapá e Roraima. Foram eleitos os senadores Maurício Corrêa, Meira Filho e Pompeu de Sousa, além de oito deputados federais.[1][nota 1]

Capital do Brasil Colônia desde 1763, a cidade do Rio de Janeiro foi juridicamente separada do estado homônimo graças à promulgação do Ato Adicional no Período Regencial em 12 de agosto de 1834 e manteve tal status com a Proclamação da República, quando mudou sua natureza de município neutro para Distrito Federal.[2][3][4] Com o fim do Estado Novo o Distrito Federal passou a eleger senadores e deputados federais para representá-lo no Congresso Nacional e uma bancada de vereadores para deliberar sobre assuntos locais. Com a mudança da capital federal para Brasília em 21 de abril de 1960, o antigo Distrito Federal deu lugar ao estado da Guanabara cuja existência durou até a fusão com o estado do Rio de Janeiro em 15 de março de 1975, já no Governo Ernesto Geisel.[5][6][nota 2]

Após a transferência da capital os brasilienses votaram na eleição presidencial de 1960, mas só regressaram às urnas quando o Regime Militar de 1964 mudou a legislação e permitiu a captação de votos no Distrito Federal remetendo-os a seguir aos estados de origem dos eleitores, mecanismo vigente em 1974, 1978 e 1982.[7] Após a instalação da Nova República, a Emenda Constitucional n.º 25, de 15 de maio de 1985, concedeu ao Distrito Federal o direito de representação política no Congresso Nacional[8] e a Carta Magna de 1988 assegurou-lhe o direito de eleger seu próprio governador a partir de 1990.[9][nota 3]

Com três vagas em disputa para o Senado Federal, os brasilienses apresentaram sessenta e nove concorrentes num pleito onde a regra da sublegenda determinava a eleição dos mais votados de cada partido ou coligação e não os de maior escore individual, razão pela qual Lauro Campos e Maerle Lima foram derrotados por Meira Filho e Pompeu de Sousa enquanto Maurício Corrêa, o primeiro colocado, não foi atingido por tal casuísmo.[10][11][1][nota 4]

Biografia dos senadores eleitos[editar | editar código-fonte]

Maurício Corrêa[editar | editar código-fonte]

O mais votado dentre os senadores eleitos foi Maurício Corrêa. Natural de São João do Manhuaçu (MG), formou-se advogado pela Universidade Federal de Minas Gerais em 1960, fixou residência em Brasília. Em 1976 ingressou no Instituto dos Advogados de Goiás e no Instituto dos Advogados do Distrito Federal, onde presidiu a seccional da Ordem dos Advogados do Brasil durante o governo João Figueiredo, posto do qual abdicou após se eleger senador pelo PDT em 1986.[12][13]

Meira Filho[editar | editar código-fonte]

Também eleito senador, o jornalista Meira Filho nasceu em Taperoá (PB) e ao estabelecer-se no Rio de Janeiro, trabalhou na Rádio Globo, Rádio Tupi, Rádio Eldorado, Rádio Jornal do Brasil, Rádio Mauá e Rádio Nacional. Nesse ínterim trabalhou com César Ladeira e em 1958 foi escolhido locutor oficial da Presidência da República por Juscelino Kubitschek e nessa condição transmitiu a inauguração de Brasília ao vivo pela TV[14] e a seguir foi sócio fundador do Clube dos Pioneiros. Trabalhou em O Globo, Folha de S.Paulo, Correio da Manhã e A Gazeta, além de voltar ao rádio. Outrora membro do PDT e do PDC, atendeu ao convite do governador José Aparecido de Oliveira e mudou para o PMDB elegendo-se senador pelo Distrito Federal em 1986.[15][16]

Pompeu de Sousa[editar | editar código-fonte]

A última vaga senatorial coube ao também jornalista Pompeu de Sousa. Formado em psicologia e sociologia na Universidade Federal do Rio de Janeiro, foi professor de jornalismo na referida instituição. Natural de Redenção (CE), foi um dos fundadores do Diário Carioca e da Universidade de Brasília. Presidente do grupo de trabalho que regulamentou a profissão de jornalista, foi membro da UDN e do PSB, e só retornou às lutas partidárias via PMDB como secretário de Educação no governo de José Aparecido de Oliveira.[17] Foi eleito senador em 1986, mas por ser o menos votado, seu mandato teria fim pouco depois das eleições de 1990.[18]

Resultado da eleição para senador[editar | editar código-fonte]

Segundo o Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal, houve 1.613.969 votos nominais, 318.512 votos em branco e 138.611 votos nulos, totalizando 2.071.092 eleitores. Este último número corresponde ao triplo dos eleitores que compareceram às urnas, pois eram três as vagas de senador.[18][1][19][nota 5]

PDS[editar | editar código-fonte]

Os candidatos do PDS somaram 33.190 votos (2,06%).[20]

Candidatos a senador da República
Relação dos suplentes de senador Número Coligação Votação Percentual
Acyr Pitanga Seixas Filho
PDS
Rondon Guimarães
PDS
Lígia Pietrini
PDS
111
Aliança Popular (PDS, PPB, PN, PRP)
21.261
1,32%
Aref Assreuy
PDS
Márcio Mafra
PDS
José Júlio Gomes Galvão
PDS
112
Aliança Popular (PDS, PPB, PN, PRP)
11.929
0,74%

PDT[editar | editar código-fonte]

A chapa do PDT foi homologada por dezoito convencionais e conquistou 221.138 votos (13,71%) sem recorrer às sublegendas.[21]

Candidatos a senador da República
Relação dos suplentes de senador Número Coligação Votação Percentual
Maurício Corrêa
PDT
Pedro Teixeira
PDT
Carlos Farias Ponte
PDT
121
PDT, PJ (sem nome)
197.637
12,25%
Tito Figueiroa
PDT
Marian Rocha
PDT
Nadir Bispo Faria
PDT
122
PDT, PJ (sem nome)
13.656
0,85%
Valério Gonçalves
PDT
Almiro Batalha
PDT
Delton Mattos
PDT
123
PDT, PJ (sem nome)
9.845
0,61%
  Eleito

PT[editar | editar código-fonte]

A chapa do PT conquistou 195.957 votos (12,15%) sem recorrer às sublegendas.[22]

Candidatos a senador da República
Relação dos suplentes de senador Número Coligação Votação Percentual
Lauro Campos
PT
Natalino Cavalcante de Melo
PT
Jorge Augusto de Oliveira Vinhas
PT
133
PT (sem coligação)
134.930
8,36%
Arlete Sampaio
PT
Ricardo Monte Rosa
PT
-
PT
131
PT (sem coligação)
36.405
2,26%
Paulo Vale Filho
PT
Oldemar Borges de Matos
PT
Carlos Geraldo Megale
PT
132
PT (sem coligação)
24.622
1,53%

PTB[editar | editar código-fonte]

Os candidatos do PTB somaram 22.003 votos (1,36%).[23]

Candidatos a senador da República
Relação dos suplentes de senador Número Coligação Votação Percentual
Sebastião Gomes da Silva
PTB 2
Avenilo Pereira
PTB 2
Waldemar Soares
PTB 2
142
PTB (sem coligação)
11.171
0,69%
José Pinto da Rocha
PTB 3
Semírames Burgos
PTB 3
Tito Régis
PTB 3
143
PTB (sem coligação)
6.157
0,38%
Ferreira de Castro
PTB 1
Guilherme Gomes
PTB 1
José Lordo Ximenes
PTB 1
141
PTB (sem coligação)
4.675
0,29%

PMDB[editar | editar código-fonte]

Os candidatos do PMDB somaram 533.718 votos (33,06%) divididos em três sublegendas.[nota 6][nota 7]

Candidatos a senador da República
Relação dos suplentes de senador Número Coligação Votação Percentual
Maerle Ferreira Lima
PMDB 1
João Gonçalves Vieira
PMDB 1
151
Movimento Democrático de Brasília (PMDB, PCB, PCdoB, PS)
129.645
8,03%
Meira Filho
PMDB 2
César Lacerda
PMDB 2
154
Movimento Democrático de Brasília (PMDB, PCB, PCdoB, PS)
127.698
7,91%
Lindberg Aziz Cury
PMDB 2
José Arocha
PMDB 2
153
Movimento Democrático de Brasília (PMDB, PCB, PCdoB, PS)
102.652
6,36%
Pompeu de Sousa
PMDB 3
Benoni Dias Beltrão
PMDB 3
155
Movimento Democrático de Brasília (PMDB, PCB, PCdoB, PS)
92.694
5,74%
Carlos Murilo
PMDB 3
Atarcísio de Andrade
PMDB 3
156
Movimento Democrático de Brasília (PMDB, PCB, PCdoB, PS)
61.563
3,81%
Wilson Andrade[nota 8]
PMDB 1
[nota 8]
PMDB 1
152
Movimento Democrático de Brasília (PMDB, PCB, PCdoB, PS)
19.466
1,21%
  Eleitos

PPB[editar | editar código-fonte]

Os candidatos do PPB somaram 8.847 votos (0,54%).[24]

Candidatos a senador da República
Relação dos suplentes de senador Número Coligação Votação Percentual
João Ferreira da Silva
PPB 3
[nota 9]
-
163
Aliança Popular (PDS, PPB, PN, PRP)
3.615
0,22%
Antônio Joaquim Dourado
PPB 1
[nota 9]
-
161
Aliança Popular (PDS, PPB, PN, PRP)
2.736
0,17%
Gerardo Lima Aguiar
PPB 2
[nota 9]
-
162
Aliança Popular (PDS, PPB, PN, PRP)
2.496
0,15%

PDC[editar | editar código-fonte]

Os candidatos do PDC somaram 46.908 votos (2,90%).[25][26]

Candidatos a senador da República
Relação dos suplentes de senador Número Coligação Votação Percentual
Newton Egydio Rossi
PDC 1
Walter de Lima Cruz
PDC 1
171
Coligação Progressista e Democrática (PDC, PL, PMB)
22.682
1,41%
Alberto Peres
PDC 1
Clésia Pinho Pires
PDC 1
172
Coligação Progressista e Democrática (PDC, PL, PMB)
10.077
0,62%
Osvaldo Gomes
PDC 2
Roberto de Araújo Lima
PDC 2
174
Coligação Progressista e Democrática (PDC, PL, PMB)
5.082
0,31%
Adonias Araújo do Prado
PDC 3
[nota 9]
-
177
Coligação Progressista e Democrática (PDC, PL, PMB)
4.456
0,28%
Ernani Filgueiras Pimentel
PDC 3
[nota 9]
-
178
Coligação Progressista e Democrática (PDC, PL, PMB)
2.636
0,16%
Waldemiro Mendes da Silva
PDC 2
-
PDC 2
175
Coligação Progressista e Democrática (PDC, PL, PMB)
1.975
0,12%
José Soares de Oliveira
PDC 3
[nota 9]
-
178
Coligação Progressista e Democrática (PDC, PL, PMB)
-
-

PMC[editar | editar código-fonte]

Os candidatos do PMC somaram 6.224 votos (0,39%).

Candidatos a senador da República
Relação dos suplentes de senador Número Coligação Votação Percentual
Léa Sayão
PMC
[nota 9]
-
182
Mobilização Social Progressista (PMC, PSC, PMN)
2.666
0,17%
Sebastião Bortone
PMC
[nota 9]
-
181
Mobilização Social Progressista (PMC, PSC, PMN)
1.817
0,11%
José Bonifácio Galvão
PMC
[nota 9]
-
183
Mobilização Social Progressista (PMC, PSC, PMN)
1.741
0,11%

PSC[editar | editar código-fonte]

Os candidatos do PSC somaram 16.851 votos (1,05%).

Candidatos a senador da República
Relação dos suplentes de senador Número Coligação Votação Percentual
Nísio Tostes
PSC
[nota 9]
-
202
Mobilização Social Progressista (PMC, PSC, PMN)
10.925
0,68%
Ênio Alex Queiroz
PSC
[nota 9]
-
201
Mobilização Social Progressista (PMC, PSC, PMN)
3.900
0,24%
Itiberê Zen
PSC
[nota 9]
-
173
Mobilização Social Progressista (PMC, PSC, PMN)
2.026
0,13%

PL[editar | editar código-fonte]

A chapa do PL foi homologada por sete convencionais e conquistou 51.634 votos (3,19%).[27]

Candidatos a senador da República
Relação dos suplentes de senador Número Coligação Votação Percentual
José Ornelas
PL 1
Hércules Bonifácio
PL 1
221
Coligação Progressista e Democrática (PDC, PL, PMB)
38.392
2,38%
Silvano Bomfim
PL 1
Donésio Carvalho
PL 1
222
Coligação Progressista e Democrática (PDC, PL, PMB)
8.627
0,53%
César Rômulo Silveira
PL 2
Joaquim Pedro Oliveira
PL 2
224
Coligação Progressista e Democrática (PDC, PL, PMB)
2.662
0,16%
Antônio Duarte Filho
PL 2
José de Oliveira
PL 2
225
Coligação Progressista e Democrática (PDC, PL, PMB)
1.953
0,12%

PCB[editar | editar código-fonte]

Mais de duzentos convencionais homologaram a chapa do PCB.[28]

Candidatos a senador da República
Relação dos suplentes de senador Número Coligação Votação Percentual
Carlos Alberto Torres
PCB
Arildo Sales Dória
PCB
José Carlos Teramussi
PCB
233
Movimento Democrático de Brasília (PMDB, PCB, PCdoB, PS)
80.295
4,97%

PCdoB[editar | editar código-fonte]

Candidatos a senador da República
Relação dos suplentes de senador Número Coligação Votação Percentual
Paulo Sérgio Cassis
PCdoB
Antônia Gomes
PCdoB
Elizabete Alves
PCdoB
241
Movimento Democrático de Brasília (PMDB, PCB, PCdoB, PS)
4.289
0,27%

PFL[editar | editar código-fonte]

Os candidatos do PFL somaram 222.110 votos (13,77%).

Candidatos a senador da República
Relação dos suplentes de senador Número Coligação Votação Percentual
Benedito Domingos
PFL 1
Cícero Miranda
PFL
252
PFL (em sublegenda)
80.485
4,99%
Osório Adriano
PFL 1
Salviano Guimarães
PFL
251
PFL (em sublegenda)
68.211
4,23%
Paulo Xavier
PFL 2
Edgar Viana
PFL
253
PFL (em sublegenda)
37.619
2,33%
Antônio Venâncio da Silva
PFL 3
[nota 9]
-
256
PFL (em sublegenda)
15.638
0,97%
Clarindo Carlos da Rocha
PFL 3
[nota 9]
-
255
PFL (em sublegenda)
9.799
0,61%
Othon Pio de Abreu
PFL 2
Helena Carvalho
PFL
254
PFL (em sublegenda)
6.813
0,42%
Edísio Gomes de Matos
PFL 3
[nota 9]
-
257
PFL (em sublegenda)
3.545
0,22%
Olavo Pinto Coelho
PFL
-
PFL
258
PFL (em sublegenda)
zero
-

PMB[editar | editar código-fonte]

Os candidatos do PMB somaram 20.013 votos (1,24%).

Candidatos a senador da República
Relação dos suplentes de senador Número Coligação Votação Percentual
Manuel Oséas
PMB
Reinaldo Pereira da Silva
PMB
José Domingos Neves
PMB
261
Coligação Progressista e Democrática (PDC, PL, PMB)
12.241
0,76%
Fernando Antônio Conde
PMB
Agnaldo Francisco da Silva
PMB
Cesarino de Castro
PMB
262
Coligação Progressista e Democrática (PDC, PL, PMB)
7.772
0,48%

PN[editar | editar código-fonte]

Candidatos a senador da República
Relação dos suplentes de senador Número Coligação Votação Percentual
Henrique Fagundes
PN
Aleixo Mendes de Carvalho
PN
Aloísio Cerqueira Lima
PN
271
Aliança Popular (PDS, PPB, PN, PRP)
3.236
0,20%

PMN[editar | editar código-fonte]

Os candidatos do PMN somaram 7.107 votos (0,45%).

Candidatos a senador da República
Relação dos suplentes de senador Número Coligação Votação Percentual
Roberto Pereira
PMN
[nota 9]
-
331
Mobilização Social Progressista (PMC, PSC, PMN)
2.694
0,17%
Celson Batista de Oliveira
PMN
[nota 9]
-
333
Mobilização Social Progressista (PMC, PSC, PMN)
2.536
0,16%
Ney Roldan Nascimento
PMN
[nota 9]
-
332
Mobilização Social Progressista (PMC, PSC, PMN)
1.877
0,12%

PS[editar | editar código-fonte]

Candidatos a senador da República
Relação dos suplentes de senador Número Coligação Votação Percentual
João Leal Neto
PS
Flávio Testa
PS
Geraldo Jesus de Faria
PS
345
Movimento Democrático de Brasília (PMDB, PCB, PCdoB, PS)
8.002
0,49%

PND[editar | editar código-fonte]

Candidatos a senador da República
Relação dos suplentes de senador Número Coligação Votação Percentual
Beatriz Soares
PND
-
PND
377
PND (sem coligação)
5.146
0,32%
Lúcio Rennó
PND 2
-
PND
373
PND (sem coligação)
3.506
0,22%
Nerino de Melo e Silva
PND 1
-
PND
371
PND (sem coligação)
1.962
0,12%
Guilherme Jorge da Silva
PND 2
-
PND
374
PND (sem coligação)
1.478
0,09%

PRP[editar | editar código-fonte]

Os candidatos do PRP somaram 9.284 votos (0,57%).

Candidatos a senador da República
Relação dos suplentes de senador Número Coligação Votação Percentual
Doracílio Farias
PRP
[nota 9]
-
385
Aliança Popular (PDS, PPB, PN, PRP)
3.311
0,20%
Palmério Serejo
PRP
[nota 9]
-
383
Aliança Popular (PDS, PPB, PN, PRP)
3.307
0,20%
Waldemar Ferreira
PRP
[nota 9]
-
384
Aliança Popular (PDS, PPB, PN, PRP)
2.666
0,17%

PSB[editar | editar código-fonte]

Os candidatos do PSB somaram 111.071 votos (6,87%).[29]

Candidatos a senador da República
Relação dos suplentes de senador Número Coligação Votação Percentual
Álvaro Costa
PSB 2
[nota 9]
-
404
PSB (em sublegenda)
52.590
3,26%
Honório Dantas
PSB 3
[nota 9]
-
408
PSB (em sublegenda)
26.708
1,65%
Nilson Curado
PSB 1
[nota 9]
-
401
PSB (em sublegenda)
13.884
0,86%
Sebastião Abreu
PSB 2
[nota 9]
-
405
PSB (em sublegenda)
3.908
0,24%
Byron Nagib de Souza
PSB 3
[nota 9]
-
409
PSB (em sublegenda)
3.470
0,21%
Edson Jannuzi
PSB 1
[nota 9]
-
403
PSB (em sublegenda)
2.903
0,18%
Altamira de Oliveira
PSB 1
[nota 9]
-
402
PSB (em sublegenda)
2.827
0,17%
João Crisóstomo da Silva
PSB 3
[nota 9]
-
407
PSB (em sublegenda)
2.687
0,17%
Ruy Rosa
PSB 2
[nota 9]
-
406
PSB (em sublegenda)
2.094
0,13%

Deputados federais eleitos[editar | editar código-fonte]

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[30][31]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Localidade onde nasceu Unidade federativa
Valmir Campelo PFL 46.189 Crateús  Ceará
Maria de Lourdes Abadia[nota 10] PFL 46.106 Bela Vista de Goiás  Goiás
Augusto Carvalho PCB 39.782 Patos de Minas  Minas Gerais
Márcia Kubitschek[nota 11] PMDB 22.746 Belo Horizonte  Minas Gerais
Geraldo Campos PMDB 22.736 Aracaju  Sergipe
Jofran Frejat[nota 12] PFL 22.279 Floriano  Piauí
Francisco Carneiro PMDB 18.367 Sobral  Ceará
Sigmaringa Seixas PMDB 11.476 Niterói  Rio de Janeiro

Notas

  1. Os territórios federais do Amapá e Roraima elegeram quatro deputados federais cada, sendo que em Fernando de Noronha não houve escolha de representantes.
  2. Antes de 1975 o antigo estado do Rio de Janeiro tinha Niterói como sua capital.
  3. Nas primeiras semanas da Nova República, o Distrito Federal foi governado pelo coronel José Ornelas de Sousa Filho, nomeado pelo presidente João Figueiredo. Com a posse de José Sarney o Palácio do Buriti foi entregue interinamente ao ministro do Interior, Ronaldo Costa Couto até a chegada de José Aparecido de Oliveira, que ficou no cargo até a promulgação da Constituição de 1988, quando Joaquim Roriz e Wanderley Vallim foram escolhidos governador e vice-governador da unidade federativa em questão.
  4. Graças ao ardil das sublegendas, Lauro Campos e Maerle Ferreira Lima foram derrotados mesmo ficando em segundo e terceiro lugares, respectivamente, pelo critério do número de votos. Por outro lado, Meira Filho foi eleito senador mesmo estando em quarto lugar na contagem individual de votos enquanto Pompeu de Sousa ficou na sexta posição.
  5. Após a promulgação da Emenda Constitucional Número Um, a Constituição de 1967 dizia (Art. 41 § 2º) que cada senador seria eleito com o seu suplente. Em 1986 alguns candidatos ao Senado Federal concorriam ao lado de dois suplentes, exceto em casos de sublegenda.
  6. Formada por Maerle Ferreira Lima e Wilson Andrade, a sublegenda do PMDB 1 somou 149.111 votos (9,24%), mas não elegeu nenhum candidato porque Meira Filho e Lindberg Aziz Cury somaram 230.350 votos (14,27%) para o PMDB 2 enquanto Pompeu de Sousa e Carlos Murilo colheram 154.257 votos (9,55%) para o PMDB 3. Ressalte-se que a legislação vigente à época proibia o voto em dois candidatos da mesma sublegenda, sob pena de nulidade.
  7. Conforme a Lei n.º 6.534 de 26 de maio de 1978, a suplência de Meira Filho seria constituída por Lindberg Aziz Cury e César Lacerda enquanto Pompeu de Sousa teria Carlos Murilo e Benoni Dias Beltrão como suplentes.
  8. a b Originalmente Múcio Athayde era o outro candidato a senador na sublegenda um do PMDB tendo Antônio Clementino Neto como suplente, mas a chapa foi cassada por abuso de poder econômico.
  9. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z aa ab ac ad Se forem três os candidatos a senador concorrentes por sublegenda, apenas estes serão indicados na convenção.
  10. Maria de Lourdes Abadia renunciou em 1º de janeiro de 1991 a fim assumir o mandato de deputada distrital e com isso Eurides Brito foi efetivada.
  11. Renunciou ao mandato ao final de 1990 para assumir como vice-governadora do Distrito Federal sendo efetivado Marco Antônio Campanella.
  12. Licenciou-se no fim da legislatura e depois renovou o pedido no período subsequente para assumir como secretário de Saúde no governo Joaquim Roriz. Seus substitutos foram, respectivamente, José Geraldo Maciel e Eurides Brito.

Referências

  1. a b c «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 11 de janeiro de 2020 
  2. «BRASIL. Presidência da República: Lei Imperial nº 16 de 12/08/1834». Consultado em 14 de janeiro de 2020 
  3. «BRASIL. Presidência da República: Decreto nº 01 de 15/11/1889». Consultado em 14 de janeiro de 2020 
  4. «BRASIL. Presidência da República: Constituição de 1891». Consultado em 14 de janeiro de 2020 
  5. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 3.752 de 14/04/1960». Consultado em 14 de janeiro de 2020 
  6. «BRASIL. Presidência da República, Lei Complementar nº 20 de 01/07/1974». Consultado em 14 de janeiro de 2020 
  7. «BRASIL. Presidência da República: Lei n.º 6.091 de 15/08/1974». Consultado em 14 de janeiro de 2020 
  8. «BRASIL. Presidência da República: Emenda Constitucional n.º 25 de 15/05/1985». Consultado em 14 de janeiro de 2020 
  9. «BRASIL. Presidência da República: Constituição de 1988». Consultado em 14 de janeiro de 2020 
  10. «BRASIL. Presidência da República: Pacote de Abril». Consultado em 14 de janeiro de 2020 
  11. «BRASIL. Presidência da República. Lei nº. 6.534 de 23/05/1978». Consultado em 14 de janeiro de 2020 
  12. «Senado Federal do Brasil: senador Maurício Corrêa». Consultado em 12 de janeiro de 2020 
  13. «Morre o ex-ministro da Justiça e do STF Maurício Corrêa (g1.com)». Consultado em 13 de janeiro de 2020 
  14. «Morre primeiro senador eleito do DF (g1.com)». Consultado em 15 de agosto de 2015 
  15. «Senado Federal do Brasil: senador Meira Filho». Consultado em 12 de janeiro de 2020 
  16. «Agência Senado: Ex-senador Meira Filho é sepultado em Brasília». Consultado em 12 de janeiro de 2020 
  17. «Senado Federal do Brasil: senador Pompeu de Sousa». Consultado em 12 de janeiro de 2020 
  18. a b «Banco de dados do Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal». Consultado em 20 de agosto de 2015 
  19. Aqui, a lista completa dos candidatos do DF (online). Correio Braziliense, Brasília (DF), 18/08/1986. Política, p. 05. Página visitada em 13 de janeiro de 2020.
  20. PDS escolhe com festa (online). Correio Braziliense, Brasília (DF), 21/07/1986. Política, p. 03. Página visitada em 12 de janeiro de 2020.
  21. PDT escolhe candidatos em festa com Brizola (online). Correio Braziliense, Brasília (DF), 04/08/1986. Política, p. 06. Página visitada em 11 de janeiro de 2020.
  22. PT homologa candidatos (online). Correio Braziliense, Brasília (DF), 17/07/1986. Política, p. 05. Página visitada em 12 de janeiro de 2020.
  23. PTB decide pela não-coligação (online). Correio Braziliense, Brasília (DF), 21/07/1986. Política, p. 03. Página visitada em 12 de janeiro de 2020.
  24. Calma absoluta no PPB (online). Correio Braziliense, Brasília (DF), 28/07/1986. Política, p. 05. Página visitada em 13 de janeiro de 2020.
  25. PDC modifica chapa e define números (online). Correio Braziliense, Brasília (DF), 05/08/1986. Política, p. 05. Página visitada em 13 de janeiro de 2020.
  26. Muitos candidatos e esperança (online). Correio Braziliense, Brasília (DF), 19/07/1986. Política, p. 03. Página visitada em 13 de janeiro de 2020.
  27. PL escolhe nomes e faz coligação com PMB e PDC (online). Correio Braziliense, Brasília (DF), 04/08/1986. Política, p. 06. Página visitada em 11 de janeiro de 2020.
  28. PCB, unido, define seus candidatos e cria comitês (online). Correio Braziliense, Brasília (DF), 04/08/1986. Política, p. 06. Página visitada em 11 de janeiro de 2020.
  29. PSB escolhe os candidatos no DF (online). Correio Braziliense, Brasília (DF), 14/07/1986. Política, p. 05. Página visitada em 13 de janeiro de 2020.
  30. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 11 de agosto de 2015. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  31. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 11 de agosto de 2015