Eleições estaduais em Goiás em 1962

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
1960 Brasil 1965
Eleição parlamentar em  Goiás em 1962
7 de outubro de 1962
(Senadores eleitos)
Pedro Ludovico Teixeira Perfil.jpg Replace this image male.png
Líder Pedro Ludovico Teixeira José Feliciano Ferreira
Partido PSD PSD
Natural de Goiás, GO Jataí, GO
Votos 197.707 168.150
Porcentagem 37,96% 32,29%


Coat of arms of Brazil.svg
Senador de Goiás

As eleições estaduais em Goiás em 1962 ocorreram em 7 de outubro como parte das eleições gerais em 22 estados e nos territórios federais do Amapá, Rondônia e Roraima. Foram eleitos os senadores Pedro Ludovico Teixeira e José Feliciano Ferreira, além de 13 deputados federais e 39 deputados estaduais.[1]

Pai do governador Mauro Borges, o médico Pedro Ludovico Teixeira nasceu na cidade de Goiás e graduou-se pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. De volta ao seu estado natal, clinicou em Bela Vista de Goiás e Rio Verde, onde conheceu Gercina Borges, filha do comerciante, fazendeiro e político Antônio Martins Borges. Agropecuarista e jornalista, destacou-se nas páginas de O Sudoeste como opositor da família Caiado. Levado à prisão no mesmo dia onde aconteceu o estouro da Revolução de 1930, foi libertado e escolhido interventor federal pelo presidente Getúlio Vargas. Eleito governador pelos deputados estaduais em 1935 na legenda do Partido Social Republicano, logo retornaria à condição de interventor graças ao Estado Novo. Fundador de Goiânia, a nova capital do estado, e construtor do Palácio das Esmeraldas, permaneceu no cargo até 1945 quando foi eleito senador via PSD.[2] Em 1950 foi eleito governador de Goiás e depois senador em 1954 e 1962. Opositor do Regime Militar de 1964, viu o filho ser deposto do governo estadual e o próprio Pedro Ludovico Teixeira teve o mandato cassado pelo Ato Institucional Número Cinco em 1969 e seus direitos políticos suspensos. Na época era filiado ao MDB.[3][nota 1]

Natural de Jataí e formado Universidade Federal do Rio de Janeiro, o advogado José Feliciano Ferreira fez carreira política no PSD a partir de 1947 ao eleger-se vereador em sua cidade natal. Eleito deputado estadual em 1950, foi líder de sua bancada e presidente da Assembleia Legislativa de Goiás.[4] Secretário de Educação nos governos de Jonas Duarte e José Ludovico de Almeida, foi eleito governador em 1958 para um mandato de dois anos. Em 1961 foi eleito suplente de senador na chapa de Juscelino Kubitschek e no ano seguinte conquistou sua própria cadeira no Senado Federal.[nota 2][5]

Resultado da eleição para senador[editar | editar código-fonte]

Conforme o Tribunal Superior Eleitoral foram apurados 520.781 votos nominais.[1][nota 3]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Pedro Ludovico Teixeira
PSD
José Elias Isaac
PSD
-
PSD (sem coligação)
197.707
37,96%
José Feliciano Ferreira
PSD
Armando Storni
PSD
-
PSD (sem coligação)
168.150
32,29%
Coimbra Bueno
UDN
Henrique Fanstone
UDN
-
UDN, PL, PSP, PDC
108.709
20,88%
Geraldo Vale
UDN
Clotário Meira Barreto
UDN
-
UDN, PL, PSP, PDC
46.215
8,87%
  Eleito

Deputados federais eleitos[editar | editar código-fonte]

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[6][7]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
José Freire PSD 24.257 Arraias  Tocantins
José Peixoto da Silveira PSD 22.655 Cristais  Minas Gerais
Rezende Monteiro[nota 4] PTB 20.671 Caiapônia  Goiás
Celestino Filho PSD 16.765 Corumbaíba  Goiás
Anísio Rocha PSD 15.738 Palmeiras Bahia Bahia
Haroldo Duarte PTB 15.644 Anápolis  Goiás
Geraldo de Pina PSD 15.519 Pirenópolis  Goiás
Castro Costa PSD 14.097 Trindade  Goiás
Benedito Vaz PSD 13.794 Ipameri  Goiás
Alfredo Nasser[nota 5] PSP 12.994 Caiapônia  Goiás
José Ludovico de Almeida PSP 12.656 Itaberaí  Goiás
Emival Caiado UDN 12.542 Goiás  Goiás
Jales Machado UDN 8.182 Alfenas  Minas Gerais

Deputados estaduais eleitos[editar | editar código-fonte]

Estavam em jogo as 39 cadeiras da Assembleia Legislativa de Goiás.[1]

Notas

  1. O referido ato proibia a convocação dos suplentes para ocupar a vaga dos titulares.
  2. Foi convocada uma eleição suplementar após as renúncias do senador Taciano Melo e deu suplente, Sócrates Diniz.
  3. A partir de 1962 a eleição dos suplentes ocorreria em chapa conjunta com o titular.
  4. Renunciou ao mandato de vice-governador de Goiás para o qual fora eleito em 1960 a fim de retornar à Câmara dos Deputados.
  5. Faleceu em Brasília em 21 de novembro]] de 1965 e em seu lugar foi efetivado Lisboa Machado.

Referências

  1. a b c «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 17 de julho de 2016 
  2. «Senado Federal do Brasil: senador Pedro Ludovico Teixeira». Consultado em 17 de julho de 2016 
  3. «CPDOC – O Governo de Juscelino Kubitschek: biografia de Pedro Ludovico Teixeira». Consultado em 14 de julho de 2016 
  4. «Assembleia Legislativa de Goiás: deputado José Feliciano Ferreira». Consultado em 17 de julho de 2016 
  5. «Senado Federal do Brasil: senador José Feliciano Ferreira». Consultado em 17 de julho de 2016 
  6. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 16 de julho de 2016. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  7. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 16 de julho de 2016