Eleições estaduais em Goiás em 1970

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
1966 Brasil 1974
Eleições estaduais em  Goiás em 1970
3 de outubro de 1970
(Eleição indireta)
15 de novembro de 1970
(Eleição direta)


Leonino Di Ramos Caiado, governador de Goiás.tif
Candidato Leonino Caiado


Partido ARENA


Natural de Goiás, GO


Vice Ursulino Leão
Votos 25
Porcentagem 100%


Brasão de Goiás.svg

Governador de Goiás

As eleições estaduais em Goiás em 1970 ocorreram em duas etapas conforme previa o Ato Institucional Número Três e assim a eleição indireta do governador Leonino Caiado e do vice-governador Ursulino Leão foi em 3 de outubro e a escolha dos senadores Osires Teixeira, Benedito Ferreira e Emival Caiado, 11 deputados federais e 33 estaduais ocorreu em 15 de novembro a partir de um receituário aplicado aos 22 estados e aos territórios federais do Amapá, Rondônia e Roraima. Em todo o país a ARENA obteve a maior parte dos cargos em disputa.[1][2][3][nota 1]

Descendente de importante família goiana, o governador Leonino Caiado nasceu na cidade de Goiás e diplomou-se em Engenharia Civil na Universidade Federal do Rio de Janeiro com especialização em espeleologia. Primeiro ocupante do Palácio das Esmeraldas escolhido pela sistemática da eleição indireta após decisão do presidente Emílio Garrastazu Médici, começou sua vida profissional na época da construção de Brasília indo trabalhar no Departamento Nacional de Estradas de Rodagem (DNER) compondo depois a equipe do interventor Emílio Ribas Júnior como secretário de Planejamento e executor do Plano de Obras de Goiás. Ocupou a prefeitura de Goiânia após a cassação de Iris Rezende em 1969 e no ano seguinte estava filiado à ARENA ao ser escolhido governador de Goiás. O novo vice-governador do estado é o advogado e deputado estadual Ursulino Leão.

Na eleição de senador a ARENA elegeu seus candidatos e dentre eles estava o advogado e economista Osires Teixeira. Nascido em Santa Cruz de Goiás e formado na Universidade Federal de Goiás com especialização pela Fundação Getúlio Vargas, em 1962 foi eleito deputado estadual (PSD) e vice-governador de Goiás em 1965 na chapa de Otávio Lage. Depois veio o comerciante Benedito Ferreira que, nascido em Ipameri, foi eleito deputado federal em 1966. Registre-se que cassados João Abraão e seu suplente via Ato Institucional Número Cinco em 16 de janeiro de 1969,[4] foi aberta uma terceira vaga a ser renovada em 1974 e esta coube a Emival Caiado, primo e conterrâneo do governador Leonino Caiado. Outrora deputado estadual e exercendo o quarto mandato na Câmara dos Deputados, Emival Caiado renunciaria em favor de Leoni Mendonça nos últimos meses de mandato em protesto pela não concessão de uma sublegenda para que pudesse disputar um novo mandato como companheiro de chapa de Manoel dos Reis Silva, este derrotado por Lázaro Barbosa. Foi a única vez que a ARENA elegeu senadores em Goiás pelo voto direto.[nota 2]

Conhecidos os resultados do pleito, a família Caiado foi beneficiada pela votação da ARENA e elegeu pelo menos um representante em cada esfera de poder enquanto a família de Pedro Ludovico Teixeira não elegeu ninguém. Para o MDB a cassação de seu líder foi seguida pela de Iris Rezende, contudo o partido elegeu quatro dos onze deputados federais e doze dos trinta e três estaduais cabendo os demais assentos ao partido governista. A influência do clã Caiado na política goiana, porém, diminuiu gradualmente após o governo Leonino Caiado que, embora fosse o mais jovem dos governadores indicados em 1970 (nasceu em 14 de outubro de 1933), preferiu deixar a vida pública dedicando-se à agropecuária.

Resultado da eleição para governador[editar | editar código-fonte]

A eleição foi decidida pela bancada da ARENA na Assembleia Legislativa de Goiás enquanto os vinte deputados do MDB se dividiram entre cinco abstenções, um voto em branco e quatorze ausências.[5][6]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Leonino Caiado
ARENA
Ursulino Leão
ARENA
-
ARENA (sem coligação)
25
100%
  Eleito

Resultado das eleições para senador[editar | editar código-fonte]

Com informações do Tribunal Superior Eleitoral que apurou 1.589.099 votos válidos (82,51%), 307.834 votos em branco (15,98%) e 29.085 votos nulos (1,51%) resultando no comparecimento de 1.926.018 eleitores.[7]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Osires Teixeira
ARENA
Elias Abraão
ARENA
-
ARENA (sem coligação)
283.296
17,83%
Benedito Ferreira
ARENA
José Caixeta
ARENA
-
ARENA (sem coligação)
282.685
17,79%
Emival Caiado
ARENA
Leoni Mendonça
ARENA
-
ARENA (sem coligação)
278.640
17,53%
Raul Balduíno de Souza
MDB
Zanor Magalhães
MDB
-
MDB (sem coligação)
260.272
16,38%
Pedro Ludovico Júnior
MDB
Onofre Quinan
MDB
-
MDB (sem coligação)
249.472
15,70%
Gerson de Castro Costa
MDB
Getúlio de Lima
MDB
-
MDB (sem coligação)
234.734
14,77%
  Eleitos

Deputados federais eleitos[editar | editar código-fonte]

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[8][9]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Jarmund Nasser ARENA 45.143 Caiapônia  Goiás
Brasílio Caiado ARENA 41.917 Goiás  Goiás
José Freire MDB 40.280 Arraias  Tocantins
Siqueira Campos ARENA 35.568 Crato  Ceará
Rezende Monteiro ARENA 33.993 Caiapônia  Goiás
Juarez Bernardes MDB 33.386 Planaltina  Goiás
Henrique Fanstone ARENA 31.769 Anápolis  Goiás
Anapolino de Faria MDB 30.180 Anápolis  Goiás
Fernando Cunha MDB 27.390 Itumbiara  Goiás
Ary Valadão ARENA 25.845 Anicuns  Goiás
Vilmar Guimarães ARENA 18.303 Rio Verde  Goiás

Deputados estaduais eleitos[editar | editar código-fonte]

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral a ARENA conquistou vinte e uma das trinta e três vagas em disputa contra doze do MDB.[7]

Notas

  1. Nos territórios federais o pleito serviu apenas para a escolha de deputados federais, não havendo eleições no Distrito Federal e no Território Federal de Fernando de Noronha.
  2. Em 1978 o mandato de Benedito Ferreira foi renovado graças ao artifício do senador biônico.

Referências

  1. «Subsecretaria de Informações do Senado Federal do Brasil: Ato Institucional Número Três». Consultado em 4 de novembro de 2013 
  2. ... e fez-se o Arenão. Disponível em Veja, ed. 116 de 25 de novembro de 1970. São Paulo: Abril. Página visitada em 4 de novembro de 2013.
  3. «Acervo digital Veja». Consultado em 4 de novembro de 2013. Arquivado do original em 29 de outubro de 2013 
  4. Cassados 39; Aposentados 4 (online). Folha de S. Paulo, 17/01/1969. Página visitada em 4 de novembro de 2013.
  5. «Legislativos elegem; MDB faz restrições (online). O Estado de S. Paulo, São Paulo (SP), 04/10/1970. Geral, p. 04.». Consultado em 23 de maio de 2018 
  6. Assembléias (sic) estaduais elegem os governadores (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 04/10/1970. Primeiro caderno, p. 26. Página visitada em 23 de maio de 2018.
  7. a b «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 2 de maio de 2017 
  8. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 8 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  9. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 8 de fevereiro de 2015