Eleições estaduais em Mato Grosso em 2014

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
‹ 2010 Brasil 2018
Eleições estaduais em  Mato Grosso em 2014
5 de outubro de 2014
(Decisão em primeiro turno)
Pedro Taques 20dez2011.jpg Replace this image male.png
Candidato Pedro Taques Lúdio Cabral
Partido PDT PT
Natural de Cuiabá, MT Cachoeira Alta, GO
Vice Carlos Fávaro Tetê Bezerra
Votos 833.788 472.507
Porcentagem 57,25% 32,45%


Brasão de Mato Grosso.png
Governador de Mato Grosso

Eleito
Pedro Taques
PDT

As eleições estaduais em Mato Grosso em 2014 aconteceram em 5 de outubro como parte das eleições gerais em 26 estados e no Distrito Federal. Foram escolhidos o governador Pedro Taques, o vice-governador Carlos Fávaro, o senador Wellington Fagundes, além de oito deputados federais e vinte e quatro estaduais num pleito decidido logo em primeiro turno.[1]

Nascido em Cuiabá e graduado na Universidade de Taubaté, Pedro Taques é o quinto político natural da cidade a ser escolhido para o Palácio Paiaguás desde o fim da Segunda Guerra Mundial e o primeiro eleito através do PDT desde Dante de Oliveira em 1994.[1] Foi procurador da República durante quinze anos e nessa função investigou Jader Barbalho por conta de irregularidades na Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (SUDAM) e atuou em casos de repercussão em Mato Grosso[2] e pediu exoneração do Ministério Público Federal a fim de iniciar carreira política sendo eleito senador em 2010 e em 2014 foi eleito governador de Mato Grosso.[nota 1][nota 2]

Para vice-governador foi vitorioso o produtor rural Carlos Fávaro, presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado.

A vitória da coligação de Pedro Taques ao governo estadual não impediu o êxito da chapa adversária na eleição para senador e nisso a vitória foi de Wellington Fagundes, veterinário formado em 1980 pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.[3] Nascido em Rondonópolis ele ingressou no PDS onde permaneceu cinco anos e após mudar para o PDT e PSDB entrou no PL onde militou até a extinção da legenda. Presidente da Associação Comercial e Industrial de Rondonópolis durante três anos a partir de 1982 e secretário Municipal de Planejamento do prefeito Hermínio Barreto, elegeu-se deputado federal em 1990, 1994, 1998, 2002, 2006 e 2010 tornando-se o recordista de mandatos por Mato Grosso, estado que agora representante no Senado Federal como integrante da bancada do PR.[4][nota 3]

Resultado da eleição para governador[editar | editar código-fonte]

Com informações oriundas do Tribunal Superior Eleitoral.[1]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Pedro Taques
PDT
Carlos Fávaro
PP
12
Coragem e atitude para mudar
(PDT, PP, PSDB, DEM, PTB, PSB, PPS, PSC, PV, PSDC, PRP, PSL, PRB)
833.788
57,25%
Lúdio Cabral
PT
Tetê Bezerra
PMDB
13
Amor à nossa gente
(PT, PMDB, PR, PCdoB, PROS, PTdoB, PPL)
472.507
32,45%
Janete Riva
PSD
Aray Fonseca
PSD
55
Viva Mato Grosso
(PSD, PTC, PTN, PEN, PRTB, SD)
144.440
9,92%
José Roberto Cavalcante
PSOL
Marco Natale
PSOL
50
PSOL
(sem coligação)
5.570
0,38%
  Eleito(a)

Resultado da eleição para senador[editar | editar código-fonte]

Com informações oriundas do Tribunal Superior Eleitoral.[1] [nota 4]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Wellington Fagundes
PR
Jorge Yanai
PMDB
222
Amor à nossa gente
(PT, PMDB, PR, PCdoB, PROS, PTdoB, PPL)
646.344
48,19%
Rogério Sales
PSDB
Donizete da Castrillon
PTB
456
Coragem e atitude para mudar
(PDT, PP, PSDB, DEM, PSB, PPS, PTB, PSC, PV, PSDC, PRP, PSL, PRB)
541.357
40,36%
Rui Prado
PSD
Manoel de Souza
SD
555
Viva Mato Grosso
(PSD, PTC, PTN, PEN, PRTB, SD)
137.380
10,24%
Gilberto Lopes Filho
PSOL
Jeová Caetano Júnior
PSOL
500
PSOL
(sem coligação)
16.229
1,21%
  Eleito(a)

Deputados federais eleitos[editar | editar código-fonte]

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[5][6]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Nilson Leitão PSDB 127.749 8,78% Cassilândia  Mato Grosso do Sul
Adilton Sachetti PSB 112.722 7,75% Nova Veneza  Santa Catarina
Fábio Garcia PSB 104.976 7,22% Brasília  Distrito Federal
Ságuas Moraes PT 97.858 6,73% Mineiros  Goiás
Carlos Bezerra PMDB 95.739 6,58% Chapada dos Guimarães  Mato Grosso
Ezequiel Fonseca PP 90.888 6,25% Santa Albertina  São Paulo
Victório Galli PSC 64.691 4,45% Rosana  São Paulo
Valtenir Pereira PROS 62.923 4,33% Jaciara  Mato Grosso

Deputados estaduais eleitos[editar | editar código-fonte]

Estavam em jogo 24 cadeiras na Assembleia Legislativa de Mato Grosso.[1]

Deputados eleitos Partido Número Coligação Votação Percentual
Mauro Savi PR 22040 AMOR A NOSSA GENTE II (PT / PMDB / PR / PC do B / PROS) 55.233 3,72%
Janaína Riva PSD 55123 PSD 48.171 3,25%
Eng. Sebastião Machado Rezende PR 22022 AMOR A NOSSA GENTE II (PT / PMDB / PR / PC do B / PROS) 45.016 3,03%
Baiano Filho PMDB 15200 AMOR A NOSSA GENTE II (PT / PMDB / PR / PC do B / PROS) 43.042 2,90%
Romoaldo Júnior PMDB 15151 AMOR A NOSSA GENTE II (PT / PMDB / PR / PC do B / PROS) 41.764 2,81%
Botelho PSB 40650 CORAGEM E ATITUDE PRA MUDAR IV (PP / PSB) 40.517 2,73%
Nininho PR 22345 AMOR A NOSSA GENTE II (PT / PMDB / PR / PC do B / PROS) 40.105 2,70%
Dilmar Dalbosco DEM 25125 CORAGEM E ATITUDE PRA MUDAR V (PDT / DEM / PSDB) 38.290 2,58%
Zeca Viana PDT 12345 CORAGEM E ATITUDE PRA MUDAR V (PDT / DEM / PSDB) 35.300 2,38%
Dr. Leonardo PDT 12612 CORAGEM E ATITUDE PRA MUDAR V (PDT / DEM / PSDB) 34.753 2,34%
Emanuel Pinheiro PR 22007 AMOR A NOSSA GENTE II (PT / PMDB / PR / PC do B / PROS) 34.344 2,31%
Walter Rabello PSD 55055 PSD 27.232 1,83%
Wagner Ramos PR 22999 AMOR A NOSSA GENTE II (PT / PMDB / PR / PC do B / PROS) 26.484 1,78%
Guilherme Maluf PSDB 45000 CORAGEM E ATITUDE PRA MUDAR V (PDT / DEM / PSDB) 24.642 1,66%
Zé Domingos PSD 55456 PSD 21.121 1,42%
Max Russi PSB 40000 CORAGEM E ATITUDE PRA MUDAR IV (PP / PSB) 20.690 1,39%
Wilson Santos PSDB 45100 CORAGEM E ATITUDE PRA MUDAR V (PDT / DEM / PSDB) 20.562 1,39%
Oscar Bezerra PSB 40300 CORAGEM E ATITUDE PRA MUDAR IV (PP / PSB) 20.390 1,37%
Pedro Satélite PSD 55163 PSD 20.120 1,36%
Wancley PV 43333 CORAGEM E ATITUDE PRA MUDAR III (PRP / PSC / PSDC / PRB / PV) 19.639 1,32%
Coronel Taborelli PV 43190 CORAGEM E ATITUDE PRA MUDAR III (PRP / PSC / PSDC / PRB / PV) 18.526 1,25%
Zé Carlos do Pátio SD 77000 AVANÇA MATO GROSSO (PTC / PEN / PTN / PRTB / SD) 17.431 1,17%
Saturnino Masson PSDB 45222 CORAGEM E ATITUDE PRA MUDAR V (PDT / DEM / PSDB) 16.262 1,10%
Silvano Amaral PMDB 15123 AMOR A NOSSA GENTE II (PT / PMDB / PR / PC do B / PROS) 15.340 1,03%

Notas

  1. Comandado por governadores biônicos nos anos 1970, Mato Grosso realizou quatorze eleições diretas para o Palácio Paiaguás após o Estado Novo e o único a se eleger com menos da metade dos votos válidos foi Fernando Correia da Costa ao obter o segundo mandato em 1960, ou seja, o mecanismo da eleição em dois turnos previsto na Constituição de 1988 jamais foi aplicado nas disputas para o governo do estado.
  2. Ainda sobre a Câmara Alta do Parlamento, o mandato de Pedro Taques será destinado a José Medeiros (PPS).
  3. Graças aos eleitores mato-grossenses a vitória de Wellington Fagundes aumentou o número de ex-governadores mato-grossenses que já foram derrotados ao buscar um mandato de senador, relação esta que contém os nomes de Arnaldo Figueiredo, João Ponce de Arruda, José Garcia Neto, Carlos Bezerra, Dante de Oliveira e Rogério Sales, este derrotado pela segunda vez.
  4. Embora cada senador deva ser eleito com dois suplentes (Art. 46 § 3º– CF), mencionamos apenas o primeiro sem prejuízo de citar o outro quando necessário.

Referências

  1. a b c d e «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 8 de outubro de 2014 
  2. «Pedro Taques, do PDT, é eleito governador de Mato Grosso (g1.com)». Consultado em 7 de outubro de 2014 
  3. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Wellington Fagundes». Consultado em 8 de outubro de 2014 
  4. «Senado Federal do Brasil: senador Wellington Fagundes». Consultado em 2 de maio de 2018 
  5. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 8 de outubro de 2014. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  6. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 8 de outubro de 2014 

Ver também[editar | editar código-fonte]