Eleições estaduais em Pernambuco em 1952

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
1950 Brasil 1954
Eleições estaduais em  Pernambuco em 1952
23 de outubro de 1952
(Turno único)
Replace this image male.png Replace this image male.png
Candidato Etelvino Lins Osório Borba
Partido PSD PSB
Natural de Sertânia, PE Aliança, PE
Vice Não havia Não havia
Votos 211.393 57.400
Porcentagem 78,65% 21,35%


Brasão do estado de Pernambuco.svg
Governador de Pernambuco

As eleições estaduais em Pernambuco em 1952 ocorreram no dia 23 de outubro por imperativo legal devido à vacância no poder executivo estadual após a morte do governador Agamenon Magalhães e a inexistência do cargo de vice-governador.[1][nota 1]

Em 1950 foram eleitos vinte governadores de estado, todavia Pernambuco figurou entre os sete estados onde não existia a figura do vice-governador numa decisão respaldada pela falta de uma determinação expressa a respeito, daí a linha de sucessão designar o presidente da Assembleia Legislativa como substituto imediato do governador. No caso em exame o poder ficou nas mãos de Antônio Torres Galvão. Deputado estadual no exercício do segundo mandato consecutivo, administrou até a posse de seu sucessor em 12 de dezembro de 1952.[2][nota 2] Por sua vez, o cargo de vice-governador foi instituído apenas em 23 de maio de 1957 cabendo a Otávio Correia a honra de ser eleito pelos deputados estaduais como o primeiro titular da referida posição.[3]

Eleito sob votação recorde para ocupar o Palácio do Campo das Princesas, o advogado Etelvino Lins é formado na Universidade Federal de Pernambuco. Nascido em Sertânia, trabalhou como telegrafista na Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos antes de sua graduação. Durante a interventoria de Carlos de Lima Cavalcanti foi nomeado promotor de justiça nas cidades de Goiana e Caruaru.[4] Mais tarde ocupou um cargo equivalente ao de chefe dos delegados de polícia do interior assumindo depois um cargo similar em Recife debelando a Intentona Comunista.

Secretário de Governo do interventor Amaro Vilanova e secretário de Segurança Pública na gestão de Agamenon Magalhães, foi ungido sucessor deste em 20 de fevereiro de 1945 quando o mesmo reassumiu o cargo de ministro da Justiça nos últimos meses da Era Vargas.[5][6] Em dezembro, Etelvino Lins foi eleito senador pelo PSD e seu pai, Ulisses Lins, foi eleito deputado federal pelo mesmo partido. Exerceu o mandato até ser eleito governador em 1952 ostentando os recordes de maior votação nominal e maior votação percentual da história pernambucana[7][nota 3] a partir de uma coligação entre o seu partido e os arquirrivais da UDN num movimento que capturou as legendas de médio porte isolando o PSB e a candidatura de Osório Borba.[8]

Outro efeito dessa eleição extemporânea foi a efetivação do médico Djair Brindeiro como senador na vaga aberta pela vitória do novo governador. A posse do novo representante pernambucano na Câmara Alta do Parlamento foi realizada em janeiro de 1953 mantendo a cadeira nas mãos do PSD.[9]

Resultado da eleição para governador[editar | editar código-fonte]

A consulta aos arquivos do Tribunal Superior Eleitoral não pôde determinar o comparecimento dos eleitores devido a uma imprecisão quanto ao número de votos nulos. Foi possível visualizar apenas os 268.793 votos nominais e os 3.601 votos em branco.[1]

Candidato a governador do estado
Candidato a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Etelvino Lins
PSD
Não havia
-
-
Coligação Pernambucana
(PSD, UDN, PSP, PDC, PL)
211.393
78,65%
Osório Borba
PSB
Não havia
-
-
PSB (sem coligação)
57.400
21,35%
  Eleito

Notas

  1. Como inexistia a figura do vice-governador, o presidente da Assembleia Legislativa assumiria quando preciso.
  2. Os sete estados sem a figura do vice-governador eram os seguintes: Amazonas, Bahia, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.
  3. Os recordes acima referidos têm por base os resultados das eleições para governador realizadas até então.

Referências

  1. a b «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 20 de julho de 2016 
  2. Empossado o governador de Pernambuco (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 13/12/1952. Primeiro caderno, p. 06. Página visitada em 21 de julho de 2016.
  3. Em Pernambuco: eleição e posse do vice-governador (online). O Estado de S. Paulo, São Paulo (SP), 28/05/1957. Geral, p. 06. Página visitada em 22 de julho de 2016.
  4. «Senado Federal do Brasil: senador Etelvino Lins». Consultado em 20 de julho de 2016 
  5. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Etelvino Lins». Consultado em 20 de julho de 2016 
  6. «A Era Vargas: dos anos 1920 a 1945 – biografia de Agamenon Magalhães». Consultado em 19 de julho de 2016 
  7. Resultados oficiais das eleições em Pernambuco (online). O Estado de S. Paulo, São Paulo (SP), 27/11/1952. Geral, p. 04. Página visitada em 20 de julho de 2016.
  8. SANTOS, Taciana. Alianças políticas em Pernambuco: a(s) Frente(s) do Recife (1955-1964). Recife: Universidade Federal de Pernambuco, 2008. 110p. (disponível em PDF)
  9. «Senado Federal do Brasil: senador Djair Brindeiro». Consultado em 21 de julho de 2016