Eleições estaduais em São Paulo em 1966

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
‹ 1962 Brasil 1970
Eleições estaduais em  São Paulo em 1966
3 de setembro de 1966
(Eleição indireta)
15 de novembro de 1966
(Eleição direta)


Roberto Costa de Abreu Sodré, governador do Estado de São Paulo.tif
Candidato Abreu Sodré


Partido ARENA


Natural de São Paulo, SP


Vice Hilário Torloni
Votos 81
Porcentagem 98,78%


Brasão do estado de São Paulo.svg
Governador de São Paulo

Titular
Laudo Natel
ARENA

As eleições estaduais em São Paulo em 1966 ocorreram em duas fases conforme previa o Ato Institucional Número Três[1] e assim a eleição indireta do governador Abreu Sodré e do vice-governador Hilário Torloni foi realizada em 3 de setembro e a eleição direta do senador Carvalho Pinto, 59 deputados federais e 115 estaduais ocorreu em 15 de novembro sob um receituário válido para 22 estados e os territórios federais do Amapá, Rondônia e Roraima.[2][nota 1]

O processo sucessório paulista teve início com a cassação do governador Ademar de Barros em 6 de junho de 1966 por decisão do presidente Humberto de Alencar Castelo Branco.[3] Com os direitos políticos suspensos por dez anos, Ademar de Barros emitiu nota lamentando o fato e deixou o Palácio dos Bandeirantes. Pouco depois, a Assembleia Legislativa de São Paulo reuniu-se para empossar o vice-governador Laudo Natel. Natural de São Manuel, ele é formado em economia na Universidade de São Paulo, trabalhou no Banco Noroeste e no Bradesco e foi tesoureiro do São Paulo Futebol Clube antes de ser eleito vice-governador pelo PR em 1962. Seu mandato como governador durou cerca de oito meses até transmitir o cargo a Roberto de Abreu Sodré. Quanto a Ademar de Barros, este faleceu em Paris em 1969 deixando seu capital político nas mãos de Ademar de Barros Filho, químico e empresário detentor de seis mandatos de deputado federal e que, durante o bipartidarismo, trocou o MDB pela ARENA.[4]

Natural da cidade de São Paulo, o governador Abreu Sodré formou-se advogado na Universidade de São Paulo em 1942.[5] Fundador da UDN, foi secretário-geral do diretório paulista sendo eleito deputado estadual nos anos de 1950, 1954 e 1958, até que subiu à presidência da Assembleia Legislativa de São Paulo em 1961. Derrotado ao disputar uma cadeira no Senado Federal em 1962, foi simpático à deposição do presidente João Goulart e ao Regime Militar de 1964 que agora lhe confere o governo do estado de São Paulo via ARENA, encerrando assim um período superior a duas décadas onde vigorava uma polarização entre Ademar de Barros e Jânio Quadros.[6] Quanto à Assembleia Legislativa de São Paulo, esta não escolhia um governador por via indireta desde 1937 com a vitória de José Joaquim Cardoso de Melo Neto.[6]

Para vice-governador foi escolhido Hilário Torloni, eleito deputado estadual via PRP em 1950 e 1954 e via PSP em 1958 e 1962.

Também paulistano e diplomado pela Universidade de São Paulo em 1931, o senador Carvalho Pinto foi assessor jurídico de Prestes Maia e Abraão Ribeiro na prefeitura de São Paulo durante nove anos a partir de 1938. Professor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, aproximou-se de Jânio Quadros de quem foi secretário de Finanças na prefeitura de São Paulo e mais tarde secretário de Fazenda no governo paulista. Eleito governador de São Paulo pelo PDC com o apoio de Jânio Quadros em 1958, tornou-se ministro da Fazenda do governo João Goulart em 21 de junho de 1963 permanecendo seis meses no cargo. Com a queda de João Goulart e a ascensão dos militares ao poder, houve a outorga do bipartidarismo e com isso Carvalho Pinto foi eleito senador pela ARENA.[7]

Resultado da eleição para governador[editar | editar código-fonte]

A eleição ficou a cargo da Assembleia Legislativa de São Paulo.[8]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Abreu Sodré
ARENA
Hilário Torloni
ARENA
-
ARENA (sem coligação)
81
98,78%
  Eleito(a)

Resultado das eleições para senador[editar | editar código-fonte]

Com informações oriundas do Tribunal Superior Eleitoral e da Fundação SEADE as quais apontam a ocorrência de 3.053.073 votos válidos, 445.033 votos em branco e 581.705 votos nulos, evidenciando um comparecimento de 4.079.811 eleitores.[2][9]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Carvalho Pinto
ARENA
Virgílio Lopes da Silva
ARENA
-
ARENA (sem coligação)
1.947.899
63,80%
Araripe Serpa
MDB
Wilson Costa
MDB
-
MDB (em sublegenda)
750.477
24,58%
Mário Calazans
MDB
Tito Costa
MDB
-
MDB (em sublegenda)
246.923
8,09%
Dagoberto Sales Filho
MDB
João Salgado Sobrinho
MDB
-
MDB (em sublegenda)
107.774
3,53%
  Eleito(a)

Deputados federais eleitos[editar | editar código-fonte]

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[10][11]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Edmundo Monteiro ARENA 107.300 São Paulo  São Paulo
Cunha Bueno[nota 2] ARENA 93.862 São Paulo  São Paulo
Herbert Levy ARENA 81.271 São Paulo  São Paulo
Franco Montoro MDB 80.315 São Paulo  São Paulo
Mário Covas[nota 2] MDB 72.922 Santos  São Paulo
Ademar de Barros Filho MDB 68.575 São Paulo  São Paulo
Oscar Pedroso Horta MDB 47.816 São Paulo  São Paulo
Baldacci Filho[nota 3] MDB 47.216 Caçapava  São Paulo
Roberto Cardoso Alves[nota 2] ARENA 47.003 Aparecida  São Paulo
Celso Amaral[nota 2] ARENA 45.050 Assis  São Paulo
Chaves Amarante MDB 44.061 Rio de Janeiro  Rio de Janeiro
Yukishigue Tamura[nota 2] ARENA 41.919 São Paulo  São Paulo
Arnaldo Cerdeira[nota 2] ARENA 41.394 Manaus  Amazonas
Israel Dias Novaes[nota 2] ARENA 38.304 Avaré  São Paulo
Evaldo Pinto[nota 2] MDB 36.854 São Manuel  São Paulo
Cantídio Sampaio ARENA 34.733 São Paulo  São Paulo
Ivete Vargas[nota 2] MDB 34.491 São Borja  Rio Grande do Sul
Levi Tavares MDB 32.827 Juiz de Fora  Minas Gerais
Anacleto Campanella[nota 2] MDB 31.660 São Caetano do Sul  São Paulo
João Batista Ramos ARENA 31.442 Queluz  São Paulo
Amaral Furlan MDB 30.853 Sertãozinho  São Paulo
David Lerer[nota 2] MDB 30.344 São Paulo  São Paulo
Athiê Jorge Coury MDB 29.240 Itu  São Paulo
Nicolau Tuma[nota 3] ARENA 28.713 Jundiaí  São Paulo
Rui de Almeida Barbosa ARENA 28.645 São Simão  São Paulo
Dias Menezes MDB 28.361 São Paulo  São Paulo
Ernesto Pereira Lopes ARENA 27.951 São Paulo  São Paulo
Ulysses Guimarães MDB 26.863 Itirapina  São Paulo
José Resegue ARENA 26.167 Bariri  São Paulo
Antônio Feliciano ARENA 25.301 Paraibuna  São Paulo
José Lurtz Sabiá[nota 2] MDB 23.978 Juazeiro do Norte  Ceará
Francisco Amaral MDB 23.724 Campinas  São Paulo
Dorival de Abreu[nota 2] MDB 23.268 São Paulo  São Paulo
Ferraz Egreja ARENA 22.413 Cristina  Minas Gerais
Armindo Mastrocola ARENA 22.278 Tabapuã  São Paulo
André Broca Filho ARENA 22.159 Guaratinguetá  São Paulo
Ortiz Monteiro ARENA 21.936 São Paulo  São Paulo
Paulo Abreu ARENA 21.572 São Paulo  São Paulo
Padre Godinho[nota 2] MDB 20.922 Carmo da Cachoeira  Minas Gerais
Ítalo Fittipaldi ARENA 20.626 Rio de Janeiro  Rio de Janeiro
Hamilton Prado ARENA 20.083 Rio Claro  São Paulo
Santilli Sobrinho MDB 20.011 Mineiros do Tietê  São Paulo
Plínio Salgado ARENA 18.989 São Bento do Sapucaí  São Paulo
Maurício Goulart MDB 19.182 Petrópolis  Rio de Janeiro
Braz Nogueira ARENA 18.449 Botucatu  São Paulo
Hélio Navarro[nota 2] MDB 18.330 São José do Rio Pardo  São Paulo
Henrique Turner ARENA 18.199 Cruzeiro  São Paulo
Sussumu Hirata ARENA 17.964 São Manuel  São Paulo
Pedro Marão MDB 17.733 Taquaritinga  São Paulo
Aniz Badra ARENA 17.663 Santa Cruz das Palmeiras  São Paulo
Adalberto Camargo MDB 17.566 Araraquara  São Paulo
Prestes de Barros[nota 2] MDB 16.742 Sorocaba  São Paulo
Harry Normanton[nota 2] ARENA 16.609 Jundiaí  São Paulo
Gastone Righi[nota 2] MDB 16.447 Santos  São Paulo
Alceu Carvalho MDB 16.105 Jaú  São Paulo
Nazir Miguel ARENA 15.794 Conceição da Aparecida  Minas Gerais
Lacorte Vitale ARENA 15.405 Presidente Prudente  São Paulo
Bezerra de Melo ARENA 15.192 Crateús  Ceará
Marcos Kertzmann[nota 2] ARENA 15.191 São Paulo  São Paulo

Deputados estaduais eleitos[editar | editar código-fonte]

Estavam em jogo 115 vagas na Assembleia Legislativa de São Paulo.[2]

Deputados estaduais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Fauze Carlos MDB 49.247 Catiguá  São Paulo
Conceição da Costa Neves MDB 45.018 Juiz de Fora  Minas Gerais
Paulo Planet Buarque ARENA 40.285
Esmeraldo Tarquínio MDB 32.520 São Vicente  São Paulo
José Rosa da Silva ARENA 29.955
Gioia Júnior MDB 29.709 Campinas  São Paulo
Jacinto Figueira Júnior MDB 28.052 São Paulo  São Paulo
Blota Júnior ARENA 27.454 Ribeirão Bonito  São Paulo
Salvador Julianelli ARENA 27.225 São Paulo  São Paulo
Dulce Braga ARENA 23.463 São José do Rio Preto  São Paulo
Camilo Ashcar ARENA 21.543
Mendonça Falcão MDB 20.987 São Paulo  São Paulo
Solon Borges dos Reis ARENA 20.959 Casa Branca  São Paulo
Orlando Zancaner ARENA 20.862 Catiguá  São Paulo
Leôncio Ferraz Junior MDB 20.124
Francisco Franco[nota 4] ARENA 20.087
José Felício Castellano ARENA 18.910 Rio Claro  São Paulo
Geraldino dos Santos MDB 18.875
Antônio Pinheiro Camargo Júnior ARENA 18.628
Diogo Nomura ARENA 18.574 Registro  São Paulo
Juvenal de Campos MDB 18.502
Osvaldo Massei MDB 18.311
Waldemar Lopes Ferraz ARENA 17.373
Alex Freua Neto MDB 16.512
Alfeu Gasparini MDB 16.511 Batatais  São Paulo
José Jorge Cury ARENA 16.247
Semi Jorge Resegue ARENA 16.147
Altimar Ribeiro de Lima ARENA 16.142
Archimedes Lammoglia ARENA 15.380
Francisco Castillon ARENA 15.299 Flag of Spain.svg Espanha
Raul Schwinden MDB 15.196
Ciro Albuquerque ARENA 15.078
Rui Silva ARENA 14.967
Januário Mantelli Neto ARENA 14.899
Nabi Abi Chedid ARENA 14.858 Ramarith Líbano
Paulo de Castro Prado ARENA 14.707
Jamil Gadia MDB 14.586
Molina Júnior MDB 14.446
Abílio Nogueira Duarte MDB 14.426 Assis  São Paulo
José Cabral Amazonas MDB 14.378
Fernando Perrone MDB 14.115 Passa Quatro  Minas Gerais
Álvaro Simões de Souza MDB 13.912
Antônio Morimoto ARENA 13.844 Promissão  São Paulo
Antônio Salim Curiati ARENA 13.806 Avaré  São Paulo
Aurélio Rosalindo de Campos MDB 13.726 Santos  Minas Gerais
Oswaldo Rodrigues Martins MDB 13.440
Wadih Helu ARENA 13.276 Tatuí  São Paulo
Manoel Marcondes Filho ARENA 13.259
Lúcio Casanova Neto ARENA 12.925 Sertãozinho  São Paulo
Pedro Geraldo Costa ARENA 12.908
Pedro Carolo ARENA 12.783 Pontal  São Paulo
Paulo Nakandakare MDB 12.743 Itariri  São Paulo
Fausto Tomaz de Lima MDB 12.514
José Calil ARENA 12.408
Chopin Tavares de Lima MDB 12.381 Itapetininga  São Paulo
Nagib Chaib ARENA 12.370
Jamil Assuf Dualibi ARENA 12.354
Nelson Pereira ARENA 12.332 São Paulo  São Paulo
Mário Teles ARENA 11.984 São Paulo  São Paulo
Ary da Silva MDB 11.976
Avelino Júnior MDB 11.970
Antônio Leite Carvalhaes ARENA 11.938 São José do Rio Pardo  São Paulo
Jacob Salvador Zveibil ARENA 11.931
Maluly Neto MDB 11.907 Fartura  São Paulo
Jayme Daige MDB 11.825
Valério Giuli MDB 11.731
Amaral Gurgel ARENA 11.712
Sinval Antunes de Souza ARENA 11.595
Joaquim Gouvêa Franco Júnior ARENA 11.577
César Arruda Castanho MDB 11.515
Fernando Pires da Rocha MDB 11.498
Shiro Kyono ARENA 11.431 Yamaguchi  Japão
Nicola Avallone Junior ARENA 11.421 Bauru  São Paulo
Benedito Matarazzo ARENA 11.332
Murilo de Souza Reis ARENA 11.171
Fábio Máximo de Macedo MDB 11.101
Orestes Quércia MDB 10.915 Pedregulho  São Paulo
Renato Cordeiro ARENA 10.852
Ademar Monteiro Pacheco MDB 10.846
Jurandir Paixão MDB 10.841 Limeira  São Paulo
Egydio João Serrano Martin MDB 10.355
Pedro Pascoal ARENA 10.243
Nesralla Rubez ARENA 10.234
Ruy Codo MDB 10.190 Santa Gertrudes  São Paulo
José Costa[nota 5] ARENA 10.087
Emíio Meneghini MDB 10.032
Roberto Gebara ARENA 9.910 São Paulo  São Paulo
Sidney Cunha MDB 9.862
Marcondes Pereira MDB 9.861
Gilberto Siqueira Lopes ARENA 9.801
Urbano Reis MDB 9.714
Domingos Aldrovandi ARENA 9.582 Piracicaba  São Paulo
Domingos Ceravolo ARENA 9.578
Antônio Donato ARENA 9.569 São Carlos  São Paulo
Juvenal Rodrigues de Moraes ARENA 9.518
Rui de Melo Junqueira ARENA 9.479
Olavo Hourneaux de Moura MDB 9.474
Leonardo Barbieri MDB 9.449
Laércio Corte MDB 9.346
Guilherme de Oliveira Gomes ARENA 9.213
Osvaldo Santos Ferreira ARENA 9.085
Cássio Ciampolini ARENA 9.062
Salim Abdala Thomé ARENA 8.892
Agnaldo de Carvalho Júnior ARENA 8.871 Recife  Pernambuco
Roberto Rollemberg ARENA 8.869 Campinas  São Paulo
Muzeti Elias Antônio MDB 8.807
Hélvio Nunes da Silva ARENA 8.767
Orlando Jurca MDB 8.698
Joaquim Jácome Formiga MDB 8.685
João Arruda MDB 8.664 São Paulo  São Paulo
Nadir Kenan MDB 8.526
Salim Sedeh MDB 8.506
Lincoln Grillo MDB 8.307 Uberlândia  Minas Gerais
Heitor Maurício de Oliveira MDB 8.257
Hélio Dejtiar MDB 8.203

Notas

  1. Nos territórios federais o pleito serviu apenas para a escolha de deputados federais, não havendo eleições no Distrito Federal e no Território Federal de Fernando de Noronha.
  2. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s Teve o mandato cassado pelo Ato Institucional Número Cinco que em seu Art. 4º § único proibia a convocação do suplente.
  3. a b Durante a legislatura, Nicolau Tuma renunciou ao mandato em 21/10/1968 para assumir uma cadeira no Tribunal de Contas de São Paulo enquanto Baldacci Filho trocou o MDB pela ARENA e assumiu a Secretaria do Trabalho no governo Abreu Sodré. Com isso houve a efetivação de Lauro Cruz e a convocação de Leonardo Mônaco que também mudara de partido.
  4. Homônimo de Francisco Franco, ditador espanhol.
  5. Homônimo de José Costa, aviador português.

Referências

  1. «Subsecretaria de Informações do Senado Federal do Brasil: Ato Institucional Número Três». Consultado em 10 de setembro de 2015. 
  2. a b c «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 21 de setembro de 2017. 
  3. «CPDOC – A trajetória política de João Goulart: biografia de Ademar de Barros». Consultado em 21 de setembro de 2017. 
  4. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Ademar de Barros Filho». Consultado em 12 de setembro de 2015. 
  5. Abreu Sodré governador de S. Paulo (online). O Estado de S. Paulo, São Paulo (SP), 04/09/1966. Geral, p. 04. Página visitada em 21 de setembro de 2017.
  6. a b «Acervo digital da Folha de S.Paulo». Consultado em 10 de setembro de 2015. 
  7. «Senado Federal do Brasil: senador Carvalho Pinto». Consultado em 21 de setembro de 2017. 
  8. «Acervo digital de O Estado de S. Paulo». Consultado em 10 de setembro de 2015. 
  9. «Banco de dados da Fundação SEADE». Consultado em 10 de setembro de 2015. 
  10. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 21 de setembro de 2017. 
  11. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 21 de setembro de 2017.