Eleições estaduais em São Paulo em 1994

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
‹ 1990 Brasil 1998
Eleições estaduais em  São Paulo em 1994
3 de outubro de 1994
(Primeiro turno)
15 de novembro de 1994
(Segundo turno)
Mário Covas.jpg Deputado Francisco Rossi.jpg
Candidato Mário Covas Francisco Rossi
Partido PSDB PDT
Natural de Santos, SP Caçapava, SP
Vice Geraldo Alckmin Junqueira de Azevedo
Votos 8.661.960 6.771.454
Porcentagem 56,12% 43,88%


Brasão do estado de São Paulo.svg
Governador de São Paulo

As eleições estaduais em São Paulo ocorreram em 3 de outubro como parte das eleições gerais no Distrito Federal e em 26 estados. Foram eleitos o governador Mário Covas, o vice-governador Geraldo Alckmin, os senadores José Serra e Romeu Tuma, 70 deputados federais e 94 estaduais. Como nenhum candidato a governador alcançou a metade mais um dos votos válidos, houve um segundo turno em 15 de novembro e conforme a Constituição de 1988 e a Lei nº. 8.713, a posse ocorreria em 1º de janeiro de 1995 para um mandato de quatro anos e originalmente sem o instituto da reeleição.[1][2][3][nota 1]

Mário Covas é engenheiro civil formado na Universidade de São Paulo e foi secretário municipal de Obras em Santos, sua cidade natal. Derrotado ao disputar a prefeitura santista via PST em 1961, foi eleito deputado federal em 1962. Opositor do Regime Militar de 1964, reelegeu-se pelo MDB em 1966. Cassado pelo Ato Institucional Número Cinco em 1969,[4] trabalhou na iniciativa privada mediante a suspensão de seus direitos políticos. Escolhido presidente do diretório estadual do MDB em 1979, migrou para o PMDB e foi eleito deputado federal em 1982. Por escolha do governador Franco Montoro foi nomeado, sucessivamente, secretário de Transportes e prefeito de São Paulo em 1983.[5] Eleito senador em 1986, ajudou a conceber a Carta Magna de 1988 e está entre os fundadores do PSDB em 1988 e no ano seguinte foi candidato a presidente da República, mas terminou o primeiro turno em quarto lugar.[6][7] Derrotado ao disputar o Palácio dos Bandeirantes em 1990, venceu as eleições para o governo paulista em 1994.[8]

Nascido em Pindamonhangaba, o médico Geraldo Alckmin é graduado pela Universidade de Taubaté e um ano depois de formado foi eleito vereador pelo MDB em 1972 chegando à presidência da Câmara Municipal. Professor do Centro Universitário Salesiano de São Paulo em Lorena e no Instituto Santa Teresa à mesma cidade, chefiou o Departamento de Anestesiologia da Santa Casa de Misericórdia em Pindamonhangaba.[9] Eleito prefeito de sua cidade natal em 1976, filiou-se ao PMDB no curso do mandato e em 1982 foi eleito deputado estadual. A seguir elegeu-se deputado federal em 1986 e após entrar no PSDB renovou o mandato em 1990. Nesse ínterim foi subscritor da Constituição de 1988 e votou pela abertura do processo de impeachment de Fernando Collor em 1992 e foi eleito vice-governador de São Paulo em 1994.[10]

O senador eleito com a maior votação do estado foi José Serra.[11] Natural de São Paulo, era aluno da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo quando foi eleito presidente da União Nacional dos Estudantes graças aos seus vínculos com a Ação Popular.[12] Orador presente no Comício das Reformas realizado na Central do Brasil em 13 de março de 1964, foi perseguido pelo Regime Militar de 1964 e por isso rumou para o exílio na França e a seguir no Chile, onde obteve o mestrado em Economia pela Universidade do Chile. Com a ascensão da Ditadura Militar Chilena ao poder em 1973, saiu do país e foi morar nos Estados Unidos onde tornou-se Doutor em Economia na Universidade de Cornell em 1976 e lecionou na Universidade de Princeton até 1978 quando retornou ao Brasil como professor da Universidade Estadual de Campinas.[13] No governo Franco Montoro ocupou o cargo de secretário de Planejamento e em 1986 foi eleito deputado federal pelo PMDB. Em 1988 participou da criação do PSDB e candidatou-se a vice-prefeito na chapa de Franco Montoro, porém como o titular renunciou por questões de saúde, José Serra foi escolhido candidato a prefeito de São Paulo, não vencendo a disputa.[14][15] Signatário da Carta Magna de 1988, foi reeleito deputado federal em 1990, votou pela abertura do processo de impeachment de Fernando Collor em 1992 e elegeu-se senador em 1994.[16][10]

Agente de polícia civil desde 1951, Romeu Tuma nasceu em São Paulo e tem Bacharelado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Promovido a investigador e delegado de polícia, foi assessor de Sérgio Fleury no Departamento de Ordem Política e Social, sendo que o próprio Tuma assumiu a direção do órgão em 1975 quando Erasmo Dias era secretário de Segurança. Superintendente da Polícia Federal em São Paulo, foi diretor-geral do órgão nos governos José Sarney e Fernando Collor, acumulando neste último o cargo de secretário da Receita Federal e ocupou uma das vice-presidências da Interpol em 1991.[17] Assessor especial do governo paulista na gestão Luiz Antônio Fleury Filho, foi partícipe na solução de casos como os dos nazistas Gustav Wagner e Josef Mengele e do mafioso Tommaso Buscetta. Primo de Nicolau Tuma e pai de Robson Tuma, sua estreia na política aconteceu em 1994 quando os paulistas o elegeram senador pelo PL.[18][17]

Resultado da eleição para governador[editar | editar código-fonte]

Primeiro turno[editar | editar código-fonte]

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral houve 14.035.279 votos nominais (76,22%), 2.648.705 votos em branco (14,39%) e 1.729.264 votos nulos (9,39%) calculados sobre um total de 18.413.248 eleitores.[1][nota 2]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Mário Covas
PSDB
Geraldo Alckmin
PSDB
45
Compromisso com São Paulo
(PSDB, PFL)
6.574.517
46,84%
Francisco Rossi
PDT
Junqueira de Azevedo
PDT
12
Aliança Trabalhista
(PDT, PV, PRP)
3.119.592
22,23%
José Dirceu
PT
Antônio Galdino
PSB
13
Frente Brasil Popular
(PT, PSB, PPS, PCdoB, PMN, PCB, PSTU)
2.085.193
14,86%
Barros Munhoz
PMDB
Arnaldo Jardim
PMDB
15
São Paulo de Todos Nós
(PMDB, PL, PSD)
1.584.397
11,29%
Luiz Antônio de Medeiros
PP
Antônio Salim Curiati
PPR
39
União por São Paulo
(PP, PPR)
317.593
2,26%
Álvaro Soares Dutra
PRONA
Rosiris Cônsolo
PRONA
56
PRONA (sem coligação)
144.196
1,03%
Eduardo Resstom
PSC
Hilton Mundin
PSC
20
PSC (sem coligação)
134.064
0,95%
Ciro Moura
PRN
Francisco Chagas
PRN
36
PRN (sem coligação)
75.727
0,54%
  Segundo turno

Segundo turno[editar | editar código-fonte]

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral houve 15.433.414 votos nominais (86,96%), 180.764 votos em branco (1,02%) e 2.134.358 votos nulos (12,02%) calculados sobre um total de 17.748.536 eleitores.[1][nota 2]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Mário Covas
PSDB
Geraldo Alckmin
PSDB
451
Compromisso com São Paulo
(PSDB, PFL)
8.661.960
56,12%
Francisco Rossi
PDT
Junqueira de Azevedo
PDT
121
Aliança Trabalhista
(PDT, PV, PRP)
6.771.454
43,88%
  Eleito

Resultado da eleição para senador[editar | editar código-fonte]

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral houve 23.302.557 votos nominais.

Candidatos a senador da República
Candidatos a suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
José Serra
PSDB
Pedro Piva
PSDB
Miguel Reale Júnior
PSDB
452
Compromisso com São Paulo
(PSDB, PFL)
6.497.664
27,89%
Romeu Tuma
PL
Lincoln da Cunha Pereira
PL
Márcio Antônio Bueno
PL
222
São Paulo de Todos Nós
(PMDB, PL, PSD)
5.541.262
23,74%
Luiza Erundina
PT
Não disponível
PT
Não disponível
PT
133
Frente Brasil Popular
(PT, PSB, PPS, PCdoB, PMN, PCB, PSTU)
4.218.379
18,11%
João Leite Neto
PFL
Não disponível
PFL
Não disponível
PFL
253
Compromisso com São Paulo
(PSDB, PFL)
2.881.417
12,37%
João Herrmann
PPS
Não disponível
PPS
Não disponível
PPS
232
Frente Brasil Popular
(PT, PSB, PPS, PCdoB, PMN, PCB, PSTU)
1.194.183
5,13%
José Machado de Campos Filho
PMDB
Não disponível
PMDB
Não disponível
PMDB
153
São Paulo de Todos Nós
(PMDB, PL, PSD)
815.763
3,50%
Denise Pompeu de Toledo
PSC
Não disponível
PSC
Não disponível
PSC
202
PSC (sem coligação)
620.193
2,66%
José Jacinto Alves Filho
PRN
Não disponível
PRN
Não disponível
PRN
362
PRN (sem coligação)
414.481
1,78%
Paulo Flores Júnior
PRONA
Não disponível
PRONA
Não disponível
PRONA
562
PRONA (sem coligação)
357.071
1,54%
Miguel Colasuonno
PPR
Não disponível
PPR
Não disponível
PPR
112
União por São Paulo
(PP, PPR)
344.308
1,48%
Brasil Vita
PTB
Não disponível
PTB
Não disponível
PTB
142
Frente Trabalhista
(PTB, PTdoB)
225.827
0,97%
Carlos Alberto Caboclo
PDT
Não disponível
PDT
Não disponível
PDT
122
Aliança Trabalhista
(PDT, PV, PRP)
192.009
0,83%
Elias Jorge
PRP
Não disponível
PRP
Não disponível
PRP
443
Aliança Trabalhista
(PDT, PV, PRP)
zero
zero
  Eleito

Deputados federais eleitos[editar | editar código-fonte]

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[19] Ressalte-se que os votos em branco eram considerados válidos para fins de cálculo do quociente eleitoral nas disputas proporcionais até 1997, quando essa anomalia foi banida da legislação brasileira.[20]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Celso Russomanno PSDB 233.482 1,27% São Paulo  São Paulo
Franco Montoro PSDB 223.558 1,21% São Paulo  São Paulo
José Genoino PT 192.230 1,04% Quixeramobim  Ceará
Robson Tuma PL 166.953 0,91% São Paulo  São Paulo
Carlos Apolinário PMDB 164.874 0,90% São Paulo  São Paulo
Telma de Souza PT 138.082 0,75% Santos  São Paulo
Vadão Gomes PP 123.388 0,67% Populina  São Paulo
Luiz Carlos Santos PMDB 113.383 0,62% Araxá  Minas Gerais
Ary Kara PMDB 102.979 0,56% Neves Paulista  São Paulo
Jorge Tadeu Mudalen PMDB 98.103 0,53% Guarulhos  São Paulo
Celso Daniel[nota 3] PT 96.957 0,53% Santo André  São Paulo
Wagner Rossi PMDB 96.755 0,53% São Paulo  São Paulo
Corauci Sobrinho PL 95.712 0,52% Ribeirão Preto  São Paulo
João Melão Neto PL 95.075 0,52% São Paulo  São Paulo
Delfim Neto PPR 94.573 0,51% São Paulo  São Paulo
Fausto Martello PPR 91.630 0,50% Guarulhos  São Paulo
José Pinotti PMDB 90.780 0,49% São Paulo  São Paulo
Arnaldo Faria de Sá PPR 90.091 0,49% São Paulo  São Paulo
Beto Mansur[nota 4] PPR 86.711 0,47% São Vicente  São Paulo
Paulo Lima PFL 82.673 0,45% Presidente Prudente  São Paulo
Marcelo Barbieri PMDB 78.390 0,43% Araraquara  São Paulo
Marta Suplicy PT 76.132 0,41% São Paulo  São Paulo
Ricardo Izar PPR 75.419 0,41% São Paulo  São Paulo
Fábio Feldmann PSDB 74.714 0,41% São Paulo  São Paulo
Antônio Kandir PSDB 72.720 0,39% São Paulo  São Paulo
Marquinho Chedid PSD 72.427 0,39% Bragança Paulista  São Paulo
Michel Temer PMDB 70.968 0,39% Tietê  São Paulo
Maluly Neto PFL 69.361 0,38% Fartura  São Paulo
Valdemar Costa Neto PL 68.492 0,37% São Paulo  São Paulo
Jurandir Paixão[nota 5] PMDB 61.267 0,33% Limeira  São Paulo
Alberto Goldman PMDB 61.244 0,33% São Paulo  São Paulo
Ayres da Cunha PSDB 60.311 0,33% São Paulo  São Paulo
Welson Gasparini PPR 59.518 0,32% Batatais  São Paulo
Paulo de Velasco PSD 58.765 0,32% Curvelo  Minas Gerais
Cunha Bueno PPR 57.635 0,31% São Paulo  São Paulo
Carlos Nelson PMDB 57.228 0,31% Mogi Guaçu  São Paulo
Wagner Salustiano PPR 56.676 0,31% São Paulo  São Paulo
Edinho Araújo PMDB 56.218 0,31% Santa Fé do Sul  São Paulo
Hélio Bicudo PT 55.722 0,30% Santos  São Paulo
Hélio Rosas PMDB 55.615 0,30% Pindamonhangaba  São Paulo
Nelson Marquezelli PTB 53.371 0,29% Pirassununga  São Paulo
Aloysio Nunes PMDB 53.210 0,29% São José do Rio Preto  São Paulo
Duilio Pisaneschi PTB 53.089 0,29% Santo André  São Paulo
Vicente Cascione PL 53.053 0,29% Santos  São Paulo
José Augusto PT 51.539 0,28% Garanhuns  Pernambuco
Jair Meneguelli PT 50.374 0,27% São Paulo  São Paulo
Antonio Carlos Pannunzio PSDB 49.745 0,27% Sorocaba  São Paulo
Fernando Zuppo PDT 48.139 0,26% Garça  São Paulo
Zulaiê Cobra PSDB 46.483 0,25% São José do Rio Pardo  São Paulo
Aldo Rebelo PCdoB 45.240 0,25% Viçosa  Alagoas
José Coimbra PTB 45.016 0,24% Coxim  Mato Grosso do Sul
José de Abreu[nota 6] PSDB 43.028 0,23% Belo Horizonte  Minas Gerais
Salvador Zimbaldi PSDB 42.734 0,23% Campinas  São Paulo
Luiz Gushiken PT 41.946 0,23% Osvaldo Cruz  São Paulo
Régis de Oliveira[nota 7] PSDB 40.198 0,22% Monte Aprazível  São Paulo
João Paulo Cunha PT 40.049 0,22% Caraguatatuba  São Paulo
Koyu Iha PSDB 38.858 0,21% Santos  São Paulo
José Aníbal PSDB 37.884 0,21% Guajará-Mirim  Rondônia
Almino Afonso PSDB 35.563 0,19% Humaitá  Amazonas
Ushitaro Kamia PSB 35.415 0,19% São Paulo  Amazonas
Tuga Angerami PSDB 35.244 0,19% Mococa  São Paulo
Sílvio Torres PSDB 32.604 0,18% São José do Rio Pardo  São Paulo
José Machado PT 32.297 0,18% Tanabi  São Paulo
Maurício Najar PFL 31.404 0,17% Mogi das Cruzes  São Paulo
Antônio da Cunha Lima PDT 30.512 0,17% Campina Grande  Paraíba
Eduardo Jorge PT 28.775 0,16% Salvador Bahia Bahia
Arlindo Chinaglia PT 28.323 0,15% Serra Azul  São Paulo
Ademar de Barros Filho PRP 27.279 0,15% São Paulo  São Paulo
Ivan Valente PT 26.828 0,15% São Paulo  São Paulo
Luciano Zica PT 26.445 0,14% Biquinhas  Minas Gerais

Deputados estaduais eleitos[editar | editar código-fonte]

Foram escolhidos 94 deputados estaduais para a Assembleia Legislativa de São Paulo.[1][20]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Paschoal Thomeu PMDB 131.978 1,22% São Paulo  São Paulo
Gilberto Nascimento PMDB 90.702 0,84% São Paulo  São Paulo
Célia Leão PSDB 85.066 0,79% São Paulo  São Paulo
Mauro Bragato PMDB 83.096 0,77% Promissão  São Paulo
Carlos Alberto Bel Correia PMDB 81.628 0,75% Barueri  São Paulo
Edson Ferrarini PL 81.407 0,75% São Paulo  São Paulo
Rosmary Corrêa PMDB 80.752 0,75% São Paulo  São Paulo
Campos Machado PTB 77.819 0,72% Cerqueira César  São Paulo
Artur Alves Pinto PL 75.144 0,69% São Paulo  São Paulo
Duarte Nogueira PFL 69.319 0,64% Ribeirão Preto  São Paulo
Dimas Ramalho PMDB 69.202 0,64% Taquaritinga  São Paulo
Conte Lopes PPR 66.772 0,62% São Paulo  São Paulo
Uebe Rezeck PMDB 63.588 0,59% Colina  São Paulo
Roque Barbiere PSD 60.982 0,56% Coroados  São Paulo
Estevam Galvão PL 60.825 0,56% São Paulo  São Paulo
Afanásio Jazadji PFL 58.326 0,54% São Paulo  São Paulo
Abelardo Camarinha PMDB 58.024 0,54% Santa Cruz do Rio Pardo  São Paulo
Toninho Ribas PMDB 56.928 0,53% Cajamar  São Paulo
Nabi Abi Chedid PSD 56.769 0,52% Ramarith Líbano
Elza Tank PMDB 49.773 0,46% Limeira  São Paulo
Antônio Carlos Mendonça PTB 48.726 0,45% Araras  São Paulo
Paulo Kobayashi PTB 48.489 0,45% Ribeirão Pires  São Paulo
Jayme Gimenez PMDB 46.381 0,43% Matão  São Paulo
Daniel Marins Alessi PTB 45.902 0,42% São Paulo  São Paulo
Léo Oliveira PTB 44.924 0,41% Barrinha  São Paulo
Márcio de Lima Araújo PPR 43.589 0,40% Recife  Pernambuco
Lobbe Neto PMDB 42.672 0,39% São Paulo  São Paulo
José Carlos Tardelli PMDB 42.479 0,39% Itapetininga  São Paulo
Waldir Cartola dos Santos PTB 41.932 0,39% São Bernardo do Campo  São Paulo
Paulo Julião PDT 41.792 0,39% São Sebastião  São Paulo
Edna Macedo PPR 41.141 0,38% Rio das Flores  Rio de Janeiro
Gilson Menezes PMDB 41.108 0,38% Miguel Calmon Bahia Bahia
Milton Monti PMDB 40.696 0,38% São Manuel  São Paulo
Roberto Purini PMDB 40.657 0,38% Poloni  São Paulo
Junji Abe PL 40.073 0,37% Mogi das Cruzes  São Paulo
Marcos Ribeiro Mendonça PSDB 40.056 0,37% São Paulo  São Paulo
Osvaldo Justo PMDB 39.846 0,37% Santos  São Paulo
Fernando Cunha PMDB 39.780 0,37% Olímpia  São Paulo
Walter Feldman PSDB 38.118 0,35% São Paulo  São Paulo
Vitor Sapienza PMDB 37.998 0,35% São Paulo  São Paulo
Israel Zekcer PTB 37.441 0,35% São Paulo  São Paulo
César Callegari PMDB 36.596 0,34% São Paulo  São Paulo
Luiz Lune PMDB 36.471 0,34% Joaçaba  Santa Catarina
Gilberto Kassab PL 36.303 0,34% São Paulo  São Paulo
Celino Cardoso PSDB 36.130 0,33% Terra Rica  Paraná
Miguel Haddad PSDB 36.038 0,33% Jundiaí  São Paulo
José Carlos Tonin PMDB 35.980 0,33% Monte Mor  São Paulo
Vaz de Lima PSDB 35.745 0,33% Fernandópolis  São Paulo
Roberto Engler PSDB 34.980 0,32% São Paulo  São Paulo
Guilherme Gianetti PMDB 34.765 0,32% São Paulo  São Paulo
Edmir Chedid PFL 34.745 0,32% Campinas  São Paulo
Milton Flávio PSDB 34.315 0,32% Birigui  São Paulo
João Marcelo Gonçalves PTB 34.135 0,32% São José do Rio Preto  São Paulo
Ricardo Tripoli PSDB 33.710 0,31% São Paulo  São Paulo
Professor Luizinho PT 33.240 0,31% Cândido Mota  São Paulo
Terezinha da Paulina PFL 31.789 0,29% Itapeva  São Paulo
Dorival Braga PSDB 31.721 0,29% São Paulo  São Paulo
Maria Lúcia Prandi PT 30.449 0,28% Potirendaba  São Paulo
José Caldini Crespo PPR 30.346 0,28% Sorocaba  São Paulo
Reinaldo de Barros Filho PPR 30.077 0,28% São Paulo  São Paulo
Cândido Galvão Neto PSDB 30.069 0,28% Jaú  São Paulo
Kito Junqueira PV 30.064 0,28% São Paulo  São Paulo
Maria Cecilia Passarelli PFL 29.431 0,27% Cubatão  São Paulo
José Eduardo Ferreira Netto PPR 29.061 0,27% São Paulo  São Paulo
Mariângela Duarte PT 28.761 0,27% Rio de Janeiro  Rio de Janeiro
Erasmo Dias PPR 28.178 0,26% Paraguaçu Paulista  São Paulo
Carlão Messias PDT 28.177 0,26% Monte Azul Paulista  São Paulo
Aldo Demarchi PPR 27.789 0,26% Rio Claro  São Paulo
Sidney Cinti PSDB 27.432 0,25% Araraquara  São Paulo
Hatiro Shimomoto PPR 27.421 0,25% São Paulo  São Paulo
Renato Amary PSDB 27.031 0,25% Sorocaba  São Paulo
Pedro Dallari PT 26.790 0,25% São Paulo  São Paulo
Clóvis Volpi PSDB 26.244 0,24% Ribeirão Pires  São Paulo
Maria do Carmo Piunti PSDB 25.912 0,24% Itu  São Paulo
Jamil Murad PCdoB 25.675 0,24% José Bonifácio  São Paulo
Dráusio Barreto PSDB 25.326 0,23% Ribeirão Preto  São Paulo
Roberto Gouveia PT 24.992 0,23% Ituiutaba  Minas Gerais
Nelson Fernandes PRP 24.903 0,23% Tabuaço Portugal Portugal
Misael Margato PRP 24.212 0,22% Pederneiras  São Paulo
José Giacomo Baccarin PT 23.923 0,22% Presidente Prudente  São Paulo
Rui Falcão PT 23.458 0,22% Pitangui  São Paulo
Renato Simões PDT 23.385 0,22% Campinas  São Paulo
Aloísio Vieira PDT 22.932 0,21% Cachoeira Paulista  São Paulo
Alberto Calvo PSB 21.289 0,20% Santos  São Paulo
Djalma Bom PT 21.193 0,20% Medina  Minas Gerais
Elói Pietá PT 19.411 0,18% Gaurama  Rio Grande do Sul
Hamilton Pereira PT 19.099 0,18% Sorocaba  São Paulo
José Pivatto PT 18.672 0,17% Cosmópolis  São Paulo
Beatriz Pardi PT 18.629 0,17% Campinas  São Paulo
Paulo Teixeira PT 18.240 0,17% Águas da Prata  São Paulo
Wagner Lino Alves PT 16.959 0,16% Santos  São Paulo
José Zico Prado PT 16.823 0,16% Macaubal  São Paulo
Nivaldo Santana Silva PCdoB 16.215 0,15% São Paulo  São Paulo
Célia Sueli Artacho PRONA 1.102 0,01% São Paulo  São Paulo

Notas

  1. A reeleição foi inserida no ordenamento jurídico brasileiro pela Emenda Constitucional nº. 16 de 04/06/1997.
  2. a b No primeiro turno a abstenção foi de 2.361.743 eleitores (11,37%) enquanto no segundo turno atingiu 3.026.455 eleitores (14,57%) conforme a Justiça Eleitoral.
  3. Eleito prefeito de Santo André em 1996, renunciou ao mandato parlamentar em prol de Luiz Eduardo Greenhalgh.
  4. Eleito prefeito de Santos em 1996, renunciou ao mandato parlamentar em prol de Lamartine Posella.
  5. Filho do político de mesmo nome.
  6. Homônimo do ator José de Abreu.
  7. Eleito vice-prefeito de São Paulo em 1996, renunciou ao mandato parlamentar em prol de Arnaldo Madeira.

Referências

  1. a b c d «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 23 de outubro de 2017. 
  2. «BRASIL. Presidência da República. Constituição de 1988». Consultado em 23 de outubro de 2017. 
  3. «BRASIL. Presidência da República. Lei nº. 8.713 de 30/09/1993». Consultado em 23 de outubro de 2017. 
  4. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Mário Covas». Consultado em 24 de outubro de 2017. 
  5. Covas assume e promete seguir lutando por diretas (online). Folha de S. Paulo, 11/05/1983. Nacional, p. 04. Página visitada em 24 de outubro de 2017.
  6. «Senado Federal do Brasil: senador Mário Covas». Consultado em 24 de outubro de 2017. 
  7. Novo partido nasce sem nome (online). O Estado de S. Paulo, São Paulo (SP), 25/06/1988. Geral, p. 04. Página visitada em 24 de outubro de 2017.
  8. «Biografia de Mário Covas no UOL Educação». Consultado em 24 de outubro de 2017. 
  9. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Geraldo Alckmin». Consultado em 24 de outubro de 2017. 
  10. a b «Governistas tentaram evitar implosão (online). Folha de S. Paulo, São Paulo (SP), 30/09/1992. Brasil, p. 1-8.». Consultado em 26 de outubro de 2017. 
  11. «Senado Federal do Brasil: senador José Serra». Consultado em 26 de outubro de 2017. 
  12. Chapa de esquerda sai vencedora nas eleições para presidência da UNE (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 30/07/1963. Primeiro caderno, p. 03. Página visitada em 26 de outubro de 2017.
  13. «CPDOC – A trajetória política de João Goulart: biografia de José Serra». Consultado em 26 de outubro de 2017. 
  14. Montoro desiste da candidatura; substituto sai na próxima semana (online). Folha de S. Paulo, 19/08/1988. Política, p. A-4. Página visitada em 31 de outubro de 2017.
  15. Serra cede e vai disputar a prefeitura (online). Folha de S. Paulo, 01/09/1988. Capa. Página visitada em 31 de outubro de 2017.
  16. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado José Serra». Consultado em 26 de outubro de 2017. 
  17. a b «Morre em São Paulo o senador Romeu Tuma (g1.globo.com)». Consultado em 26 de outubro de 2017. 
  18. «Senado Federal do Brasil: senador Romeu Tuma». Consultado em 26 de outubro de 2017. 
  19. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 23 de outubro de 2017. 
  20. a b «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 23 de outubro de 2017.