Eleições estaduais na Bahia em 1998

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
1994 Brasil 2002
Eleições estaduais na Bahia Bahia em 1998
4 de outubro de 1998
(Decisão em primeiro turno)
Cesar Borges.jpg Replace this image male.png Joao durval.JPG
Candidato César Borges Zezéu Ribeiro João Durval Carneiro
Partido PFL PT PDT
Natural de Salvador, BA Salvador, BA Feira de Santana, BA
Vice Otto Alencar Everaldo Farias Celso Dourado
Votos 2.418.620 524.793 443.028
Porcentagem 69,91% 15,17% 12,80%


Brasão do estado da Bahia.svg

Governador da Bahia

Titular
César Borges
PFL

As eleições estaduais na Bahia em 1998 ocorreram em 4 de outubro simultaneamente às eleições gerais no Distrito Federal e em 26 estados brasileiros.[1] Foram eleitos o governador César Borges, o vice-governador Otto Alencar e o senador Paulo Souto, ambos do PFL, detentor das maiores bancadas entre os 39 deputados federais e 63 deputados estaduais eleitos. Conforme a Constituição, o vencedor assumiria à 1º de janeiro de 1999 para um mandato de quatro anos.[nota 1]

Candidato natural ao Palácio de Ondina, o advogado Luís Eduardo Magalhães exerceu dois mandatos como deputado estadual e três como deputado federal ocupando, nessa última condição, a presidência da Câmara dos Deputados e a liderança do governo Fernando Henrique, mas a despeito dessa biografia não disputou as eleições para o governo do estado em razão de sua morte em 21 de abril de 1998.[2][3] Privado de seu herdeiro político e diante da necessidade de buscar um outro candidato a governador, Antônio Carlos Magalhães referendou a candidatura de César Borges, que nasceu em Salvador e assumiu o Executivo após a renúncia de Paulo Souto.

Engenheiro civil formado em 1971 pela Universidade Federal da Bahia, César Borges trabalhou em empresas privadas e lecionou na referida universidade até assumir a Junta Comercial da Bahia no governo João Durval Carneiro. Levado à chefia de gabinete da Secretaria de Indústria e Comércio, estreou na política via PFL ao ser eleito deputado estadual em 1986 e 1990. Secretário de Recursos Hídricos no terceiro governo Antônio Carlos Magalhães, foi vice-governador da Bahia na chapa de Paulo Souto em 1994 e chegou ao poder quando o titular renunciou para concorrer ao Senado Federal.[4]

O novo vice-governador é Otto Alencar. Médico nascido em Ruy Barbosa e formado na Universidade Federal da Bahia, foi eleito deputado estadual em 1986, 1990 e 1994.[5]

Baiano de Caetité, Paulo Souto obteve a vaga para senador. Formado em Geologia na Universidade Federal da Bahia com Doutorado na Universidade de São Paulo, viveu entre Ilhéus e Salvador ora como radialista, ora como empregado na lavoura cacaueira. Secretário de Minas e Energia no segundo governo de Antônio Carlos Magalhães e no governo de João Durval Carneiro, foi nomeado pelo presidente José Sarney para dirigir a Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste em 1987. Eleito vice-governador na chapa de Antônio Carlos Magalhães em 1990, ocupou a Secretaria de Indústria e Comércio. Em 1994 renunciou ao cargo e ao mandato e foi eleito governador da Bahia pelo PFL.[6]

Resultado da eleição para governador[editar | editar código-fonte]

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral foram apurados 3.459.701 votos nominais.[1]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
César Borges
PFL
Otto Alencar
PFL
25
Luís Eduardo Magalhães
(PFL, PMDB, PL, PPB, PTB, PSC, PRN, PST, PTdoB)
2.418.620
69,91%
Zezéu Ribeiro
PT
Everaldo Farias
PT
13
Frente Popular Dois de Julho
(PT, PCdoB, PCB, PAN)
524.793
15,17%
João Durval Carneiro
PDT
Celso Dourado
PSB
12
Bahia unida pelo povo
(PDT, PSB, PSDB, PPS, PV, PMN, PRP, PSN, PRTB)
443.028
12,80%
Delma Gama
PRONA
-
PRONA
56
PRONA (sem coligação)
73.260
2,12%
  Eleito(a)

Resultado da eleição para senador[editar | editar código-fonte]

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral foram apurados 3.525.302 votos nominais.[1]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Paulo Souto
PFL
Rodolfo Tourinho
PFL
25
Luís Eduardo Magalhães
(PFL, PMDB, PL, PPB, PTB, PSC, PRN, PST, PTdoB)
2.581.903
73,24%
Daniel Almeida
PCdoB
-
PCdoB
65
Frente Popular Dois de Julho
(PT, PCdoB, PCB, PAN)
559.214
15,86%
Murilo Leite
PSDB
-
PSDB
45
Bahia unida pelo povo
(PDT, PSB, PSDB, PPS, PV, PMN, PRP, PSN, PRTB)
301.307
8,55%
Narciso Santos
PRONA
-
PRONA
56
PRONA (sem coligação)
82.878
2,35%
  Eleito(a)

Deputados federais eleitos[editar | editar código-fonte]

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[7] Ressalte-se que os votos em branco não seriam considerados válidos para fins de cálculo do quociente eleitoral a partir de 1997.[8]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Paulo Magalhães PFL 192.515 4,64% Salvador Bahia Bahia
Eraldo Tinoco[nota 2] PFL 150.195 3,62% Ipiaú Bahia Bahia
José Ronaldo[nota 3] PFL 149.640 3,60% Paripiranga Bahia Bahia
Geddel Vieira Lima PMDB 118.880 2,86% Salvador Bahia Bahia
Jairo Azi[nota 4] PFL 114.128 2,75% Lamarão Bahia Bahia
Félix Mendonça PTB 113.685 2,74% Conceição do Almeida Bahia Bahia
Nelson Pelegrino PT 109.628 2,64% Salvador Bahia Bahia
José Carlos Aleluia PFL 102.874 2,48% Salvador Bahia Bahia
José Rocha PFL 93.391 2,25% Coribe Bahia Bahia
Pedro Irujo PMDB 92.819 2,24% Navarra Flag of Spain.svg Espanha
Benito Gama PFL 92.409 2,23% Ituaçu Bahia Bahia
Waldir Pires PT 84.031 2,02% Acajutiba Bahia Bahia
Cláudio Cajado PFL 83.114 2,00% Salvador Bahia Bahia
Jorge Khoury PFL 82.349 1,98% Juazeiro Bahia Bahia
Nilo Coelho PSDB 74.273 1,79% Guanambi Bahia Bahia
Eujácio Simões PL 72.942 1,76% Itororó Bahia Bahia
Aroldo Cedraz PFL 71.720 1,73% Valente Bahia Bahia
Luiz Moreira PFL 71.289 1,72% Jequié Bahia Bahia
Jonival Lucas Júnior PPB 71.172 1,71% Sapeaçu Bahia Bahia
Leur Lomanto PFL 70.020 1,69% Jequié Bahia Bahia
Ursicino Queiroz[nota 5] PFL 68.702 1,66% Santo Antônio de Jesus Bahia Bahia
João Leão PSDB 64.740 1,56% Recife  Pernambuco
Jairo Carneiro PFL 62.905 1,52% Feira de Santana Bahia Bahia
Roland Lavigne PFL 58.450 1,41% Una Bahia Bahia
Paulo Braga PFL 58.326 1,41% Salvador Bahia Bahia
Gerson Gabrielli PFL 57.354 1,38% Salvador Bahia Bahia
Manoel Castro[nota 6] PFL 53.218 1,28% Salvador Bahia Bahia
Francistônio Pinto PMDB 52.452 1,26% Felizburgo  Minas Gerais
Jaques Wagner PT 51.156 1,23% Rio de Janeiro  Rio de Janeiro
José Lourenço PFL 51.010 1,23% Porto  Portugal
Jutahy Magalhães Júnior PSDB 46.804 1,13% Salvador Bahia Bahia
João Almeida PSDB 46.011 1,11% Brejões Bahia Bahia
Mário Negromonte PSDB 45.762 1,10% Recife  Pernambuco
Walter Pinheiro PT 45.595 1,09% Salvador Bahia Bahia
Haroldo Lima PCdoB 44.497 1,07% Caetité Bahia Bahia
Geraldo Simões[nota 7] PT 42.556 1,03% Itabuna Bahia Bahia
Jaime Fernandes PFL 42.148 1,02% Vitória  Espírito Santo
Coriolano Sales PDT 41.457 0,99% Santa Teresinha Bahia Bahia
Saulo Pedrosa PSDB 37.569 0,91% Barreiras Bahia Bahia

Deputados estaduais eleitos[editar | editar código-fonte]

Estavam em jogo 63 vagas na Assembleia Legislativa da Bahia.[1]

Notas

  1. A posse dos governadores eleitos em 1990 no Amapá, Distrito Federal e Roraima aconteceu em 1º de janeiro de 1991 conforme o Art. 28 da Carta de 1988 que estabeleceu o primeiro dia do ano para a posse de todos os governadores eleitos a partir de 1994.
  2. Eleito vice-governador da Bahia em 2002 na chapa de Paulo Souto e em seu lugar assumiu Ariston Andrade.
  3. Renunciou no ano 2000 após ser eleito prefeito de Feira de Santana e em seu lugar foi efetivado João Carlos Bacelar.
  4. Faleceu em Salvador no dia 12/11/2000 sendo efetivado Reginaldo Germano.
  5. Renunciou em 17/10/2002 para assumir uma cadeira de conselheiro do Tribunal de Contas da Bahia e em seu lugar assumiu Milton Barbosa.
  6. Renunciou em 23/10/2000 para assumir uma cadeira de conselheiro do Tribunal de Contas da Bahia e em seu lugar assumiu Yvonilton Gonçalves.
  7. Renunciou no ano 2000 após ser eleito prefeito de Itabuna e em seu lugar foi efetivado Luiz Alberto.

Referências

  1. a b c d «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 16 de setembro de 2015 
  2. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Luís Eduardo Magalhães». Consultado em 16 de setembro de 2015 
  3. «Infarto mata Luís Eduardo. Folha de S. Paulo, 22/04/1998 (acervo digital)». Consultado em 16 de setembro de 2015 
  4. «Senado Federal do Brasil: senador César Borges». Consultado em 16 de setembro de 2015 
  5. «Senado Federal do Brasil: senador Otto Alencar». Consultado em 16 de setembro de 2015 
  6. «Senado Federal do Brasil: senador Paulo Souto». Consultado em 16 de setembro de 2015 
  7. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 16 de setembro de 2015 
  8. «Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 16 de setembro de 2015