Eleições estaduais no Amazonas em 1994

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
‹ 1990 Brasil 1998
Eleições estaduais no  Amazonas em 1994
3 de outubro de 1994
(Decisão em primeiro turno)
Amazonino Mendes em agosto de 2017.jpg Male portrait placeholder cropped.jpg
Candidato Amazonino Mendes Nonato Oliveira
Partido PPR PL
Natural de Eirunepé, AM Manaus, AM
Vice Alfredo Nascimento Lúcia Anthony
Votos 406.060 196.456
Porcentagem 62,26% 30,12%


Brasão do Amazonas.svg
Governador do Amazonas

As eleições estaduais no Amazonas em 1994 aconteceram em 3 de outubro como parte das eleições gerais no Distrito Federal e em 26 estados. Foram eleitos então o governador Amazonino Mendes, o vice-governador Alfredo Nascimento, os senadores Bernardo Cabral e Jefferson Peres, oito deputados federais e vinte e quatro estaduais num pleito onde o governador venceu em primeiro turno.[1]

Eleito para um novo mandato como governador, Amazonino Mendes nasceu em Eirunepé e se formou na Universidade Federal do Amazonas em 1969 como advogado até assumir cargos de direção junto ao Departamento de Estradas de Rodagem ao longo do primeiro governo Gilberto Mestrinho e após a cassação deste pelo Ato Institucional Número Um baixado pelo Regime Militar de 1964, Amazonino Mendes firmou-se na construção civil como empresário. Mediante a vitória de Gilberto Mestrinho na eleição para governador em 1982, este nomeou Amazonino Mendes como prefeito de Manaus em 1983 e ao deixar a prefeitura o mesmo foi eleito governador do Amazonas pelo PMDB em 1986. Durante o mandato filiou-se ao PDC sendo eleito senador em 1990 e prefeito de Manaus em 1992, renunciando ao mandato em favor de Eduardo Braga para disputar o Palácio Rio Negro sendo eleito pelo PPR.[2]

Para vice-governador o vitorioso foi Alfredo Nascimento. Formado em Letras e Matemática à Universidade Federal do Amazonas com especialização em Administração de Pessoal, de Materiais e Auditoria em Recursos Humanos na Fundação Getúlio Vargas. Durante o primeiro governo Amazonino Mendes foi secretário de Fazenda e secretário de Administração e em junho de 1988 foi nomeado interventor na capital amazonense após o afastamento do prefeito Manoel Ribeiro. Superintendente da Zona Franca de Manaus no Governo Collor, foi eleito vice-governador do Amazonas em 1994.[3][4][5]

Para senador foram eleitos dois políticos de Manaus e o mais votado foi Bernardo Cabral. Advogado formado pela Universidade Federal do Amazonas, além de professor e jornalista, foi secretário de Justiça no primeiro governo Plínio Coelho e em 1962 foi eleito deputado estadual pelo PTB. Com a vitória do Regime Militar de 1964 ingressou no MDB elegendo-se deputado federal em 1966.[6] Cassado em 1969 via Ato Institucional Número Cinco, esteve fora da política por dez anos. Eleito presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil em 1981, filiou-se ao PMDB sendo eleito deputado federal em 1986 e depois escolhido relator-geral da Constituição de 1988 e nos primeiros meses do Governo Collor foi ministro da Justiça e agora conquistou um mandato de senador pelo PP.[7]

Também eleito senador, Jefferson Peres graduou-se em Direito na Universidade Federal do Amazonas e é pós-graduado em Ciência Política no Instituto Superior de Estudos Brasileiros e em Administração Pública na Fundação Getúlio Vargas, foi serventuário de justiça e escrivão antes ministrar aulas na Universidade Federal do Amazonas. Sobrinho de Leopoldo Peres e irmão de Leopoldo Peres Sobrinho, filiou-se ao PSDB e foi eleito vereador de Manaus em 1988 e 1992 e agora tornou-se senador pelo partido.[8]

Resultado da eleição para governador[editar | editar código-fonte]

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral houve 652.170 votos nominais (81,57%), 114.411 votos em branco (14,31%) e 32.960 votos nulos (4,12%), resultando no comparecimento de 799.541 eleitores.[1]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Amazonino Mendes
PPR
Alfredo Nascimento
PPR
11
Aliança do Povo
(PPR, PP, PFL, PTB, PSDB, PMDB, PRN)
406.060
62,26%
Nonato Oliveira
PL
Lúcia Anthony
PCdoB
22
Frente de Oposição do Amazonas
(PL, PCdoB, PPS, PSB, PMN, PRONA)
196.456
30,12%
Aloysio Nogueira de Melo
PT
Paulo Araújo
PT
13
PT, PSTU, PV, PTdoB
49.654
7,62%
  Eleito(a)

Resultado da eleição para senador[editar | editar código-fonte]

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral foram apurados 1.104.002 votos nominais.[1][nota 1]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Bernardo Cabral
PP
Não disponível
PP
393
Aliança do Povo
(PPR, PP, PFL, PTB, PSDB, PMDB, PRN)
275.652
24,97%
Jefferson Peres
PSDB
Não disponível
PSDB
452
Aliança do Povo
(PPR, PP, PFL, PTB, PSDB, PMDB, PRN)
246.776
22,35%
José Dutra
PMDB
Não disponível
PMDB
152
Aliança do Povo
(PPR, PP, PFL, PTB, PSDB, PMDB, PRN)
206.673
18,72%
Francisco Garcia
PFL
Não disponível
PFL
252
Aliança do Povo
(PPR, PP, PFL, PTB, PSDB, PMDB, PRN)
198.094
17,94%
Serafim Corrêa
PSB
Não disponível
PSB
402
Frente de Oposição do Amazonas
(PL, PCdoB, PPS, PSB, PMN, PRONA)
60.410
5,47%
José de Oliveira Barroncas
PT
Não disponível
PT
133
PT, PSTU, PV, PTdoB
48.908
4,43%
Raimundo Moacir Lima Filho
PT
Não disponível
PT
132
PT, PSTU, PV, PTdoB
35.543
3,22%
Félix Valois
PPS
Não disponível
PPS
232
Frente de Oposição do Amazonas
(PL, PCdoB, PPS, PSB, PMN, PRONA)
31.946
2,90%
  Eleito(a)

Deputados federais eleitos[editar | editar código-fonte]

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[9] Ressalte-se que os votos em branco eram considerados válidos para fins de cálculo do quociente eleitoral nas disputas proporcionais até 1997, quando essa anomalia foi banida de nossa legislação.[10]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Artur Virgílio Neto PSDB 69.924 12,63% Manaus  Amazonas
Luís Fernando PMDB 68.487 12,37% Paraíba do Sul  Rio de Janeiro
Euler Ribeiro PMDB 45.585 8,23% Itacoatiara  Amazonas
José Melo[nota 2][nota 3] PPR 42.104 7,61% Ipixuna  Amazonas
João Tomé Mestrinho PMDB 35.935 6,49% Manaus  Amazonas
Pauderney Avelino PPR 35.232 6,36% Eirunepé  Amazonas
Átila Lins PFL 31.793 5,74% Fonte Boa  Amazonas
Alzira Everton PPR 27.536 4,97% Guajará-Mirim  Rondônia

Deputados estaduais eleitos[editar | editar código-fonte]

Estavam em jogo 24 cadeiras da Assembleia Legislativa do Amazonas.[1]

Notas

  1. Embora a Constituição afirme que cada senador deva ser eleito com dois suplentes (Art. 46 § 3º), mencionamos apenas o primeiro sem prejuízo de citar o outro quando necessário.
  2. Foi secretário de Educação no governo Amazonino Mendes, daí a convocação de Carlos da Carbras.
  3. O suplente anterior deu lugar a Cláudio Chaves ao assumir a secretaria extraordinária do Gabinete do Governador e depois ao eleger-se prefeito de Parintins em 1996.

Referências

  1. a b c d «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 8 de agosto de 2014 
  2. «Senado Federal do Brasil: senador Amazonino Mendes». Consultado em 29 de julho de 2017 
  3. «Página oficial da Zona Franca de Manaus». Consultado em 8 de agosto de 2014 
  4. «Senado Federal do Brasil: senador Alfredo Nascimento». Consultado em 29 de julho de 2017 
  5. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Alfredo Nascimento». Consultado em 29 de julho de 2017 
  6. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Bernardo Cabral». Consultado em 29 de julho de 2017 
  7. «Senado Federal do Brasil: senador Bernardo Cabral». Consultado em 29 de julho de 2017 
  8. «Senado Federal do Brasil: senador Jefferson Peres». Consultado em 29 de julho de 2017 
  9. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 9 de agosto de 2014. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  10. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 9 de agosto de 2014