Eleições estaduais no Pará em 1994

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
1990 Brasil 1998
Eleições estaduais no Pará Pará em 1994
3 de outubro de 1994
(Primeiro turno)
15 de novembro de 1994
(Segundo turno)
Senador Almir Gabriel.jpg Jarbas Passarinho.jpg
Candidato Almir Gabriel Jarbas Passarinho
Partido PSDB PPR
Natural de Belém, PA Xapuri, AC
Vice Hélio Gueiros Júnior Não disponível
Votos 870.827 517.309
Porcentagem 62,73% 37,27%


Brasão do Pará.svg
Governador do Pará

Titular
Carlos Santos
PP

As eleições estaduais no Pará ocorreram à 3 de outubro como parte das eleições gerais em 26 estados e no Distrito Federal. Foram eleitos então o governador Almir Gabriel, o vice-governador Hélio Gueiros Júnior, os senadores Ademir Andrade e Jader Barbalho, 17 deputados federais e 41 estaduais. Como nenhum candidato a governador alcançou a metade mais um dos votos válidos na eleição, houve um segundo turno em 15 de novembro e pelo texto da Constituição e da Lei nº. 8.713, a posse seria em 1º de janeiro de 1995 para quatro anos de mandato e originalmente sem direito a reeleição.[nota 1][1][2]

Pela primeira vez em sua história o PMDB do Pará deixou de lançar um candidato a governador do estado, embora jamais tenha perdido uma eleição para o referido posto.[3] Herdeira da tradição oposicionista ao Regime Militar de 1964, a legenda apoiou, ao menos formalmente, as articulações do governador Jader Barbalho que levaram ao nome de Jarbas Passarinho como candidato situacionista ao governo, cargo que já ocupara por desígnio dos militares e aquiescência da Assembleia Legislativa do Pará tão logo houve a cassação de Aurélio do Carmo há trinta anos.[4] Três vezes ministro de estado nos governos militares, três vezes senador da República e ministro da Justiça no Governo Collor,[5] o veterano político presidiu a CPI do Orçamento e largou como favorito, mas seus índices de aceitação refluíram diante do "viés ideológico" da disputa, explicação dada por Jarbas Passarinho para os ataques efetuados contra a sua biografia durante a campanha.[6] Favorecido por este quadro, o candidato Almir Gabriel venceu a disputa em segundo turno.

Formado em Medicina pela Universidade Federal do Pará com especialização em Cirurgia Torácica junto ao Serviço Nacional de Tuberculose no Rio de Janeiro,[7] o governador Almir Gabriel tornou-se especialista em Cirurgia Cardiovascular após residir no estado de São Paulo. Duas vezes diretor do Sanatório Barros Barreto em Belém, foi diretor da Divisão Nacional de Pneumologia Sanitária e secretário interino de Programas Especiais de Saúde durante a gestão de Paulo de Almeida Machado como ministro da Saúde no Governo Ernesto Geisel. Com o retorno de Alacid Nunes ao governo do Pará tornou-se secretário de Saúde e foi prefeito biônico da capital do estado no primeiro governo Jader Barbalho.[8] Eleito senador pelo PMDB em 1986, figurou dentre os fundadores do PSDB e foi candidato a vice-presidente da República em 1989 à chapa de Mário Covas. Derrotado ao buscar o governo paraense numa coligação de esquerda em 1990, venceu agora as eleições tendo Hélio Gueiros Júnior como o seu vice-governador.

A primeira das duas vagas na eleição para senador foi destinada ao advogado Jader Barbalho. Nascido em Belém, foi graduado na Universidade Federal do Pará e iniciou sua carreira política pelo MDB como vereador na capital paraense no pleito de 1966. Nos anos seguintes foi eleito deputado estadual em 1970 e 1974 e deputado federal em 1978. Findo o bipartidarismo ingressou no PMDB e venceu foi eleito governador do Pará em 1982 com o apoio da dissidência pedessista liderada por Alacid Nunes, de quem mais tarde se afastaria ao aliar-se a Jarbas Passarinho. Entusiasta da eleição de Hélio Gueiros ao Palácio Lauro Sodré em 1986, romperia com seu aliado. Foi ministro da Reforma Agrária e depois ministro da Previdência Social no Governo Sarney e em 1990 voltou ao governo estadual.[9][nota 2] Em sua estadia como senador chegou à presidência do Senado Federal, mas renunciou à mesma e ao mandato em 2001 para evitar um processo por quebra de decoro parlamentar.[10]

O outro senador eleito pelos paraenses foi Ademir Andrade. Baiano Milagres, formou-se engenheiro civil na Universidade Federal da Bahia e economista à Universidade Católica de Salvador.[11] Trabalhou no Projeto Rondon e em empresas de engenharia até ser enviado ao Pará onde trabalhou na construção da Usina Hidrelétrica de Tucuruí e do Canal das Tartarugas na Ilha de Marajó. Eleito deputado estadual pelo MDB em 1978 e deputado federal pelo PMDB em 1982 e 1986, votou a favor da Emenda Dante de Oliveira em 1984 e em Tancredo Neves no Colégio Eleitoral em 1985, além de ser signatário da Constituição de 1988. Membro do PSB desde 1987, perdeu a eleição para senador em 1990 e foi derrotado por Hélio Gueiros na disputa pela prefeitura de Belém em 1992.

Resultado da eleição para governador[editar | editar código-fonte]

Primeiro turno[editar | editar código-fonte]

Segundo o Tribunal Regional Eleitoral do Pará foram apurados 1.233.112 votos nominais (66,00%), 519.488 votos em branco (27,81%) e 115.713 votos nulos (6,19%) resultando no comparecimento de 1.868.313 eleitores.[3]

Candidatos a governador do estado Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Jarbas Passarinho
PPR

PPR
111
PPR, PMDB, PP
471.165
38,21%
Almir Gabriel
PSDB
Hélio Gueiros Júnior
PFL
451
Novo Pará
(PSDB, PFL, PDT, PTB, PSB, PPS, PCdoB, PCB)
458.000
37,21%
Valdir Ganzer
PT
Egídio Sales Filho
PV
131
PT, PV, PSTU
226.049
18,33%
Fernando Moraes
PRN

PRN
361
PRN
46.890
3,80%
Everaldo Araújo
PRONA

PRONA
561
PRONA
30.208
2,45%
  Segundo turno

Segundo turno[editar | editar código-fonte]

Segundo o Tribunal Regional Eleitoral do Pará foram apurados 1.388.136 votos nominais (89,76%), 14.846 votos em branco (0,96%) e 143.557 votos nulos (9,28%) resultando no comparecimento de 1.546.539 eleitores.[3]

Candidatos a governador do estado Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Almir Gabriel
PSDB
Hélio Gueiros Júnior
PFL
451
Novo Pará
(PSDB, PFL, PDT, PTB, PSB, PPS, PCdoB, PCB)
870.827
62,73%
Jarbas Passarinho
PPR

PPR
111
PPR, PMDB, PP
517.309
37,27%
  Eleito(a)

Resultado da eleição para senador[editar | editar código-fonte]

Segundo o Tribunal Regional Eleitoral do Pará foram apurados 2.115.547 votos nominais, não sendo informada a quantidade de votos em branco, votos nulos e o comparecimento dos eleitores.[3][nota 3]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Jader Barbalho[nota 4]
PMDB
Laércio Barbalho[nota 5]
PMDB
152
PPR, PMDB, PP
586.008
26,96%
Ademir Andrade
PSB
João Augusto
PSB
402
Novo Pará
(PSDB, PFL, PSB, PTB, PDT, PPS, PCdoB, PCB)
488.568
22,48%
José Diogo
PP
-
PP
393
PPR, PMDB, PP
302.893
13,93%
Edmilson Rodrigues
PT
-
PT
132
PT, PV, PSTU
226.049
13,08%
Flexa Ribeiro
PSDB
-
PSDB
453
Novo Pará
(PSDB, PFL, PDT, PTB, PSB, PPS, PCdoB, PCB)
205.714
9,46%
João Batista de Melo Bastos
PT
-
PT
133
PT, PV, PSTU
145.008
6,67%
Edvaldo Ferreira Leite
PL
-
PL
222
PL (sem coligação)
63.107
2,90%
Álvaro Jorge dos Santos
PSC
-
PSC
202
PSC (sem coligação)
58.181
2,68%
Raimundo de Jesus Gomes Lima
PRONA

PRONA
562
PRONA
40.019
1,84%
  Eleito(a)

Deputados federais eleitos[editar | editar código-fonte]

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[12] Ressalte-se que os votos em branco eram considerados válidos para fins de cálculo do quociente eleitoral nas disputas proporcionais até 1997, quando essa anomalia foi banida de nossa legislação.[13]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Elcione Barbalho PMDB 153.860 14,71% Belém Pará Pará
Raimundo Santos PPR 48.617 4,65% Santarém Pará Pará
Anivaldo Vale PPR 40.845 3,90% Ipanema  Minas Gerais
Benedito Guimarães PPR 34.724 3,32% Santarém Pará Pará
Paulo Rocha PT 32.891 3,14% Terra Alta Pará Pará
Gerson Peres PPR 32.635 3,12% Cametá Pará Pará
José Priante PMDB 31.929 3,05% Belém Pará Pará
Giovani Queiroz PDT 31.250 2,99% Campina Verde  Minas Gerais
Ana Júlia Carepa[nota 6] PT 31.117 2,97% Belém Pará Pará
Paulo Titan[nota 7] PMDB 26.484 2,53% Belém Pará Pará
Hilário Coimbra PTB 25.245 2,41% Belém Pará Pará
Antônio Brasil PMDB 24.687 2,36% Belém Pará Pará
Nicias Ribeiro PMDB 24.419 2,33% Belém Pará Pará
Socorro Gomes PCdoB 22.252 2,13% Cristalândia  Tocantins
Vic Pires Franco PFL 21.515 2,06% Belém Pará Pará
Olávio Rocha PMDB 21.072 2,01% Barra da Estiva Bahia Bahia
Ubaldo Corrêa[nota 8] PMDB 20.468 1,96% Santarém Pará Pará

Deputados estaduais eleitos[editar | editar código-fonte]

Estavam em jogo 41 cadeiras na Assembleia Legislativa do Pará.

Notas

  1. A reeleição foi inserida no ordenamento jurídico brasileiro pela Emenda Constitucional nº. 16 de 04/06/1997.
  2. Desde 1995 o Palácio Lauro Sodré abriga a sede do Museu Histórico do Estado do Pará.
  3. Embora a constituição afirme que cada senador deva ser eleito com dois suplentes (Art. 46 § 3º), mencionamos apenas o primeiro sem prejuízo de citar o outro quando necessário.
  4. Renunciou ao mandato em 2001 para evitar um processo de cassação do mandato.
  5. Recusou-se a assumir o mandato deixado pelo filho e assim foi efetivado Fernando Ribeiro.
  6. Eleita vice-prefeita de Belém em 1996 na chapa de Edmilson Rodrigues, foi substituída por Geraldo Pastana.
  7. Eleito prefeito de Castanhal em 1996, foi substituído por Asdrúbal Bentes.
  8. Faleceu em Brasília à 21 de abril de 1996 e em seu lugar foi efetivado Mário Martins.

Referências

  1. «BRASIL. Presidência da República. Constituição de 1988». Consultado em 1º de julho de 2016  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  2. «BRASIL. Presidência da República. Lei nº. 8.713 de 30/09/1993». Consultado em 1º de julho de 2016  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  3. a b c d «Banco de dados do Tribunal Regional Eleitoral do Pará». Consultado em 1º de julho de 2016  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  4. Passarinho toma posse amanhã, com secretariado ainda em entendimentos (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 14/06/1964. Primeiro caderno, p. 19. Página visitada em 1º de julho de 2016
  5. «Senado Federal do Brasil: senador Jarbas Passarinho». Consultado em 1º de julho de 2016  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  6. Passarinho já admite sua derrota no dia 15 (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 12/11/1994. Política e Governo, p. 08. Página visitada em 1º de julho de 2016.
  7. «Senado Federal do Brasil: senador Almir Gabriel». Consultado em 1º de julho de 2016  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  8. Governador do Pará anuncia secretariado (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 15/02/1979. Política e Governo, p. 02. Página visitada em 1º de julho de 2016.
  9. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Jader Barbalho». Consultado em 2 de julho de 2016 
  10. Jader entrega, enfim, a carta de renúncia (online). O Estado de S. Paulo, São Paulo (SP), 05/10/2001. Política, p. 07. Página visitada em 2 de julho de 2016.
  11. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Ademir Andrade». Consultado em 2 de julho de 2016 
  12. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 1º de julho de 2016  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  13. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 1º de julho de 2016  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)