Eleições estaduais no Rio Grande do Norte em 2010

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
2006 Brasil 2014
Eleições estaduais no  Rio Grande do Norte em 2010
3 de outubro de 2010
(Decisão em primeiro turno)
Rosalba ciarlini.JPG Ibere ferreira.jpg
Candidato Rosalba Ciarlini Iberê Ferreira
Partido DEM PSB
Natural de Mossoró, RN Natal, RN
Vice Robinson Faria Vagner Araújo
Votos 813.813 562.256
Porcentagem 52,46% 36,25%


Brasão do Rio Grande do Norte.svg
Governador do Rio Grande do Norte

As eleições estaduais no Rio Grande do Norte em 2010 ocorreram em 3 de outubro como parte das eleições gerais em 26 estados e no Distrito Federal. Foram eleitos a governadora Rosalba Ciarlini, o vice-governador Robinson Faria, os senadores Garibaldi Alves Filho e José Agripino Maia, oito deputados federais e vinte e quatro estaduais. Como a candidata mais votada obteve um total superior à metade mais um dos votos válidos o pleito foi decidido em primeiro turno e conforme a Constituição a posse da governadora e de seu vice-governador se daria em 1º de janeiro de 1999 para quatro anos de mandato já sob a égide da reeleição.[1][2][3][nota 1][nota 2]

Pela terceira vez consecutiva os potiguares elegem uma mulher para comandar seu estado, pois se antes Wilma de Faria foi eleita e reeleita para ocupar o Palácio de Despachos de Lagoa Nova, em 2010 foi a vez da médica Rosalba Ciarlini. Natural de Mossoró e formada na Universidade Federal do Rio Grande do Norte com especialização em Pediatria, foi diretora do Hospital Regional Tarcísio Maia. Filiada ao PDT foi eleita prefeita de sua cidade natal em 1988 e após migrar rumo ao PFL voltou à prefeitura de Mossoró em 1996, foi reeleita no ano 2000 e conquistou o mandato de senadora em 2006.[1][4] Sua eleição para o governo do estado pelo DEM foi a primeira vitória dos antigos pefelistas ao governo estadual desde José Agripino Maia em 1990 e reconduziu o clã Rosado ao poder, afinal Dix-Sept Rosado, sogro de Rosalba Ciarlini, foi eleito governador em 1950, embora tenha morrido num acidente aéreo no ano seguinte.[5][6][nota 3]

Sobre o vice-governador Robinson Faria este é advogado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Filho do empresário Osmundo Faria, nasceu em Natal e exerceu seis mandatos de deputado estadual pelo Rio Grande do Norte sendo eleito pelo PMDB em 1986 e 1990, pelo PFL em 1994, 1998 e 2002 e pelo PMN em 2006. Eleito presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte em 2003, manteve-se no posto até sua eleição para vice-governador em 2010 na chapa de Rosalba Ciarlini.[1][7][8]

Advogado nascido em Natal e formado na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Garibaldi Alves Filho também é jornalista e pertence a uma tradicional família potiguar e estreou na política após a cassação de seu pai, Garibaldi Alves, pelo Ato Institucional Número Cinco em 1969. Antes foi chefe de gabinete na prefeitura de Natal na gestão de seu tio, Agnelo Alves, outro que os militares baniram da política.[9][10] Diante de tais eventos restou a Garibaldi Alves Filho o ingresso sucessivo no MDB e no PMDB sendo eleito deputado estadual em 1970, 1974, 1978 e 1982. Sua primeira experiência em cargos executivos aconteceu após a vitória sobre Wilma de Faria na eleição para prefeito de Natal em 1985.[11] Eleito senador em 1990 e governador do Rio Grande do Norte em 1994, foi reeleito para comandar o estado em 1998. Obteve um novo mandato de senador em 2002 e embora tenha perdido a disputa pelo governo em 2006, foi eleito presidente do Senado Federal nas pegadas do Renangate em 12 de dezembro de 2007.[12] e renovou o mandato parlamentar em 2010, mas se licenciou em favor de Paulo Davim para comandar o Ministério da Previdência Social no primeiro governo Dilma Rousseff.[13][14][15]

Quanto ao engenheiro civil José Agripino Maia, este é formado na Universidade do Estado do Rio de Janeiro e trabalhava na iniciativa privada antes de sua estreia na política. Filiado à ARENA, foi nomeado prefeito de Natal pelo governador Lavoisier Maia em 1979 e foi eleito governador do Rio Grande do Norte via PDS em 1982.[16][17] Nascido em Mossoró, apoiou a Nova República e ingressou no PFL onde foi eleito senador em 1986, ajudou a elaborar a Constituição de 1988 e retornou ao governo do estado em 1990. Eleito para novos mandatos de senador em 1994 e 2002, foi escolhido presidente nacional do DEM após a criação da legenda. Reeleito senador em 2010, igualou os quatro mandatos conquistados por Dinarte Mariz, um recorde na história potiguar.[18][19][20][nota 4]

Resultado da eleição para governador[editar | editar código-fonte]

Conforme o acervo do Tribunal Superior Eleitoral foram apurados 1.551.241 votos nominais, 103.978 votos em branco (5,54%) e 222.462 votos nulos (11,85%) resultando no comparecimento de 1.877.681 eleitores.[1][21][nota 5]

Candidatos a governador(a) do estado Candidatos a vice-governador(a) Número Coligação Votação Percentual
Rosalba Ciarlini
DEM
Robinson Faria
PMN
25
Força da união
(DEM, PMN, PSDB, PSL, PTN)
813.813
52,46%
Iberê Ferreira
PSB
Vagner Araújo
PSB
40
Vitória do povo
(PSB, PT, PPS, PTB)
562.256
36,25%
Carlos Eduardo Alves
PDT
Álvaro Dias
PDT
12
Coragem para mudar
(PDT, PCdoB, PRP)
160.828
10,37%
Sandro Pimentel
PSOL
Luciano Falcão
PSOL
50
PSOL (sem coligação)
10.520
0,68%
José Walter Xavier[nota 6]
PCB
Roberto Lopes[nota 7]
PCB
21
PCB (sem coligação)
2.078
0,13%
Bartô Moreira
PRTB
Bete Mendes[nota 7]
PRTB
28
PRTB (sem coligação)
1.746
0,11%
  Eleito(a)

Resultado da eleição para senador[editar | editar código-fonte]

Por serem duas as vagas em disputa houve 2.975.476 votos nominais e conforme o acervo do Tribunal Superior Eleitoral foram apurados 103.978 votos em branco (4,63%) e 222.462 votos nulos (9,91%).[1][21][nota 8]

Candidatos a senador da República
Candidatos a suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Garibaldi Alves Filho
PMDB
Paulo Davim
PV
Max Andrade
PR
154
Por um Rio Grande do Norte melhor(PMDB, PV, PR)
1.042.272
35,03%
José Agripino Maia
DEM
João Faustino
PSDB
Valério Marinho
PSDB
252
Força da união
(DEM, PMN, PSDB, PSL, PTN)
958.891
32,23%
Wilma de Faria
PSB
Luiz Cláudio Macedo
PSB
Pedro Terceiro de Melo
PSB
400
Vitória do povo
(PSB, PT, PPS, PTB)
651.358
21,89%
Hugo Manso
PT
Carlos Silvestre
PT
Socorro Queiroz
PT
131
Vitória do povo
(PSB, PT, PPS, PTB)
224.125
7,53%
Joanilson Rego
PSDC
Edvaldo Leite
PSDC
Ricardo Sobral
PSDC
277
Mudança e renovação
(PSDC, PP, PRB, PHS)
66.408
2,23%
Sávio Ximenes
PCdoB
Rutilo Coelho
PDT
Moacir Barros Sobrinho
PCdoB
651
Coragem para mudar
(PDT, PCdoB, PRP)
25.783
0,87%
Ronaldo Garcia
PSOL
João (Tita) Holanda
PSOL
Jurandi Costa
PSOL
502
PSOL (sem coligação)
6.639
0,22%
  Eleito(s)

Deputados federais eleitos[editar | editar código-fonte]

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[22] Ressalte-se que os votos em branco eram incluídos no cálculo do quociente eleitoral nas disputas proporcionais até 1997, quando essa anomalia foi banida de nossa legislação.[3][21]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Fátima Bezerra PT 220.355 13,33% Nova Palmeira  Paraíba
João Maia PR 217.854 13,18% Brejo do Cruz  Paraíba
Henrique Eduardo Alves PMDB 191.110 11,56% Rio de Janeiro  Rio de Janeiro
Fabio Faria PMN 156.688 9,48% Natal  Rio Grande do Norte
Felipe Maia DEM 137.494 8,32% Rio de Janeiro  Rio de Janeiro
Betinho Rosado DEM 109.627 6,63% Mossoró  Rio Grande do Norte
Sandra Rosado PSB 92.746 5,61% Mossoró  Rio Grande do Norte
Paulo Wagner[nota 9] PV 55.086 3,33% Areia Branca  Rio Grande do Norte

Deputados estaduais eleitos[editar | editar código-fonte]

Estavam em jogo 24 cadeiras da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte.[1][21]

Deputados estaduais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Antônio Jácome PMN 54.743 3,18% Sousa  Paraíba
Ezequiel Ferreira PTB 51.842 3,01% Natal  Rio Grande do Norte
Walter Alves PMDB 50.587 2,94% Natal  Rio Grande do Norte
Ricardo Motta PMN 49.881 2,90% Natal  Rio Grande do Norte
Gustavo Carvalho PSB 49.850 2,89% Natal  Rio Grande do Norte
Tomba Farias PSB 49.832 2,89% Santa Cruz  Rio Grande do Norte
Gilson Moura PV 49.494 2,87% Patu  Rio Grande do Norte
Nelter Queiroz PMDB 49.364 2,87% Jucurutu  Rio Grande do Norte
Gesane Marinho PMN 48.440 2,81% Recife  Pernambuco
Getúlio Rego DEM 43.697 2,54% Portalegre  Rio Grande do Norte
Dibson Nasser PSDB 41.883 2,43% Santa Cruz  Rio Grande do Norte
Larissa Rosado PSB 41.609 2,42% Mossoró  Rio Grande do Norte
Leonardo Nogueira DEM 41.133 2,39% Mossoró  Rio Grande do Norte
Márcia Maia PSB 38.554 2,24% Natal  Rio Grande do Norte
Vivaldo Costa PR 38.463 2,23% Caicó  Rio Grande do Norte
Gustavo Fernandes PMDB 37.907 2,20% Natal  Rio Grande do Norte
Raimundo Fernandes PMN 37.158 2,16% São Miguel  Rio Grande do Norte
George Soares PR 36.952 2,15% Natal  Rio Grande do Norte
Fábio Dantas PHS 35.374 2,05% Natal  Rio Grande do Norte
Hermano Morais PMDB 35.294 2,05% Natal  Rio Grande do Norte
Poti Júnior PMDB 31.881 1,85% Natal  Rio Grande do Norte
Agnelo Alves PDT 30.995 1,80% Ceará-Mirim  Rio Grande do Norte
José Dias PMDB 30.876 1,79% Umarizal  Rio Grande do Norte
Fernando Mineiro PT 24.718 1,44% Curvelo  Minas Gerais

Notas

  1. A posse dos parlamentares eleitos ocorreria em 1º de fevereiro de 2011.
  2. A Justiça Eleitoral registrou a abstenção de 367.434 eleitores ou 16,37% dos 2.245.115 inscritos.
  3. Os governadores potiguares eleitos antes de 1994 comandavam o estado a partir do Palácio Potengi, hoje sede da Pinacoteca do Estado do Rio Grande do Norte.
  4. Dinarte Mariz foi eleito senador pelo Rio Grande do Norte em 1954, 1962, 1970 e 1978.
  5. Na eleição para governador os candidatos Roberto Ronconi (PTC) e Simone Dutra (PSTU) tiveram suas candidaturas indeferidas e não foram escolhidos substitutos.
  6. Disputou as eleições sob o epíteto de "Camarada Leto".
  7. a b Não confundir os candidatos supra mencionados com Roberto Lopes e Bete Mendes
  8. Foram indeferidas as candidaturas a senador de Alexandre Guedes, Dario Melo (ambos do PSTU) e Clóvis Costa (PTC).
  9. Mediante a concessão de aposentadoria por invalidez, renunciou ao mandato em prol de Rosy de Sousa nos últimos meses da legislatura.

Referências

  1. a b c d e f «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 21 de agosto de 2017 
  2. «BRASIL. Presidência da República. Constituição de 1988». Consultado em 21 de agosto de 2017 
  3. a b «BRASIL. Presidência da República. Lei nº. 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 21 de agosto de 2017 
  4. «Senado Federal do Brasil: senadora Rosalba Ciarlini». Consultado em 20 de agosto de 2017 
  5. «Rosalba Ciarlini é eleita governadora do RN (g1.globo.com)». Consultado em 21 de agosto de 2017 
  6. Vítima de um desastre de avião o governador do Rio Grande do Norte (online). O Estado de S. Paulo, São Paulo (SP), 13/07/1951. Geral, pág. 18. Página visitada em 21 de agosto de 2017.
  7. «Galeria de ex-presidentes da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte». Consultado em 21 de agosto de 2017 
  8. «Com apoio do PT, Robinson (PSD) vence presidente da Câmara e é eleito no RN (UOL eleições 2014)». Consultado em 21 de agosto de 2017 
  9. Prisão de Agnelo Alves e de um jornalista em Natal baseou-se no AI-5 (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 17/05/1969. Primeiro caderno, p. 16. Página visitada em 22 de agosto de 2017.
  10. «Morre o deputado estadual Agnelo Alves, ex-prefeito de Natal (g1.globo.com)». Consultado em 22 de agosto de 2017 
  11. Em Natal, vence o candidato da família Alves (online). Folha de S. Paulo, São Paulo (SP), 18/11/1985. Política, p. 06. Página visitada em 22 de agosto de 2017.
  12. «Garibaldi é eleito presidente do Senado (senado.leg.br)». Consultado em 22 de agosto de 2017 
  13. «Senado Federal do Brasil: senador Garibaldi Alves Filho». Consultado em 22 de agosto de 2017 
  14. «Garibaldi deixa Previdência, e diz que foi abandonado pelo PMDB (oglobo.globo.com)». Consultado em 22 de agosto de 2017 
  15. «Senado Federal do Brasil: senador Paulo Davim». Consultado em 22 de agosto de 2017 
  16. MDB não aprova prefeito de Natal (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 04/03/1979. Política e Governo, p. 05. Página visitada em 22 de agosto de 2017.
  17. José Agripino credita à sua vitória novas verbas para Rio Grande do Norte (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 09/12/1982. Política, Primeiro caderno, p. 05. Página visitada em 22 de agosto de 2017.
  18. «Senado Federal do Brasil: senador José Agripino Maia». Consultado em 22 de agosto de 2017 
  19. «Senador Agripino Maia é eleito presidente do DEM até 2014 (uol.com.br)». Consultado em 22 de agosto de 2017 
  20. «Senado Federal do Brasil: senador Dinarte Mariz». Consultado em 22 de agosto de 2017 
  21. a b c d «Apuração das eleições estaduais de 2010 no Rio Grande do Norte (g1.globo.com)». Consultado em 21 de agosto de 2017 
  22. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 21 de agosto de 2017