Eleições legislativas na Islândia em 2017

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
‹ 2016 • Flag of Iceland.svg • 2021
Eleições legislativas na Islândia em 2017
63 lugares no Alþingi para o período 2017-2021
32 necessários para ter maioria
28 de outubro de 2017
Demografia eleitoral
Hab. inscritos:  248 500
Votantes : 201 777
  
81.2%  
Bjarni Benediktsson vid Nordiska Radets session i Stockholm.jpg
Partido da Independência
Lugares obtidos: 16  
  
25.2%
Katrin Jakobsdottir, undervisnings- forsknings- og kulturminister i Island, samt samarbejdsminister i Nordisk Ministerrad.jpg
Esquerda Verde
Lugares obtidos: 11  
  
16.9%
Red flag waving.svg
Aliança Social Democrática
Lugares obtidos: 7  
  
12.1%
Sigmundur Davíð Gunnlaugssonin Oct, 2014.jpg
Partido do Centro
Lugares obtidos: 7  
  
10.9%
Sigurður Ingi Jóhannsson 2016 (cropped).png
Partido do Progresso
Lugares obtidos: 8  
  
10.7%
Birgitta Jónsdóttir - Czech Pirate Party.jpg
Partido Pirata
Lugares obtidos: 6  
  
9.2%
Pink flag waving.svg
Partido do Povo
Lugares obtidos: 4  
  
6.9%
Orange flag waving.svg
Partido da Reforma
Lugares obtidos: 4  
  
6.7%

Primeiro-ministro da Islândia
Eleito
Coat of arms of Iceland.svg
Parte da série sobre
Política da Islândia
Portal da Islândia

As Eleições parlamentares de 2017 foram realizadas em 28 de outubro de 2017, na Islândia, para eleger os 63 deputados do Parlamento da Islândia (Alþingi).[1][2]
Em 30 de novembro de 2017, foi anunciada um novo governo liderado por Katrín Jakobsdóttir da Esquerda Verde, em coligação com o Partido da Independência e o Partido do Progresso. Dos 11 ministros que compõem o novo executivo islandês, 5 são do Partido da Independência, 3 da Esquerda Verde e 3 do Partido do Progresso.[3]

Governo Primeiro-ministro Partidos Ideologia
Governo Katrín Jakobsdóttir Katrín Jakobsdóttir Esquerda Verde
Partido da Independência
Partido do Progresso
Ecologista - Socialista - Eurocético
Liberal conservador - Eurocético
Liberal - Eurocético

Resultados[editar | editar código-fonte]

O resultado final aponta para uma perda da maioria pelos partidos no governo até aqui, sendo agora necessária uma coligação de três ou quatro partidos para formar um novo governo. Alguns partidos não superaram a barreira dos 5%, ficando assim fora do parlamento islandês.[4][5][6]

Partido Votos % +/- Deputados +/-
Partido da Independência 25 16
Esquerda Verde 16 11
Aliança Social Democrática 12 7
Partido do Centro 10 7
Partido do Progresso 10 8
Partido Pirata 9 6
Partido do Povo 6 4
Partido da Reforma 6 4
Votos Inválidos
Total
Eleitorado/Participação
Fonte

Situação política anterior[editar | editar código-fonte]

Nas eleições legislativas em 2016, emergiu um governo de coligação - o Governo Bjarni Benediktsson (2017-) - composto pelo Partido da Independência, pelo Partido da Reforma e pelo Futuro Luminoso.
A legislatura de 2016-2020 não chegou todavia ao fim, devido ao partido Futuro Luminoso ter abandonado a coligação, na sequência de um escândalo envolvendo o pai do primeiro-ministro Bjarni Benediktsson e o seu Partido da Independência.[7][8][9]

Governo titular Primeiro-ministro Partidos Ideologia
Governo Bjarni Benediktsson Bjarni Benediktsson Partido da Independência
Partido da Reforma
Liberal conservador
Liberal - Ecologista - Europeísta

Partidos[editar | editar código-fonte]

Os principais partidos a concorreram a estas eleições são os seguintes:[10]

Partido Ideologia Líder
Partido da Independência
Sjálfstæðisflokkurinn
Liberal conservador - Eurocético Bjarni Benediktsson
Esquerda Verde
Vinstrihreyfingin - grænt framboð
Ecologista - Socialista - Eurocético Katrín Jakobsdóttir
Partido Pirata
Píratar
Democracia direta Birgitta Jónsdóttir
Partido do Progresso
Framsóknarflokkurinn
Liberal - Eurocético Sigurdur Ingi Jóhannsson
Partido da Reforma
Viðreisn
Liberal - Ecologista - Europeísta Benedikt Jóhannesson
Futuro Luminoso
Björt framtíð
Social-liberal - Europeísta Óttarr Proppé
Aliança Social Democrática
Samfylkingin
Social-democrata - Europeísta Logi Már Einarsson
Partido do Povo
Flokkur Fólksins
Populismo - Eurocético Inga Sæland
Partido do Centro
Miðflokkurinn
Centrismo - Eurocético Sigmundur Davíð Gunnlaugsson

Referências

  1. Jelena ĆIRIĆ. «Elections Confirmed for October 28th» (em inglês). Iceland Review. Consultado em 19 de setembro de 2017. 
  2. «Iceland» (em inglês). Parties & Elections in Europe. Consultado em 26 de setembro de 2017. 
  3. «New Icelandic Government takes office» (em inglês). Prime Minister's Office. Consultado em 1 de dezembro de 2017. 
  4. JELENA ĆIRIĆ. «Final Election Results 2017» (em inglês). Iceland Review. Consultado em 29 de outubro de 2017. 
  5. «General Elections 2017 in Iceland». Morgunbladid - Iceland Monitor (em inglês). Consultado em 29 de outubro de 2017. 
  6. «Svona er staðan á landinu öllu: 124 þúsund atkvæði talin» (em islandês). Dagblaðið Vísir. Consultado em 29 de outubro de 2017. 
  7. Avó, César (17 de setembro de 2017). «Carta escrita por pai do líder a defender pedófilo faz cair governo da Islândia». Diário de Notícias. ISSN 0870-1954. Consultado em 25 de outubro de 2017. 
  8. «ANALYSIS: Government falls in shocking scandal involving one of Iceland's most notorious child abuse cases» (em inglês). Iceland Magazine. Consultado em 18 de setembro de 2017. 
  9. «Fallout from Pardon-gate: Early parliamentary elections could be held on October 28» (em inglês). Iceland Magazine. Consultado em 18 de setembro de 2017. 
  10. «Political Parties» (em inglês). Althingi. Consultado em 10 de setembro de 2015. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]