Elena Landau

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Elena Landau
Dados pessoais
Nascimento 30 de maio de 1958 (62 anos)
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil
Nacionalidade brasileira
Alma mater Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
Ocupação economista, professor e consultor

Elena Landau nasceu no Rio de Janeiro, em 30 de maio de 1958. Economista com atuação de destaque na implantação de reformas estruturais no estado brasileiro, em meados da década de 1990, migrou para o ramo do Direito, tornando-se uma voz de referência principalmente nas questões ligadas ao setor elétrico brasileiro. Elena foi assessora da presidência do BNDES e, posteriormente, diretora da área responsável pelo Programa Nacional de Desestatização, durante o governo de Fernando Henrique Cardoso.

Elena Landau faz parte do grupo de economistas formados pela PUC-Rio que tem entre seus principais expoentes os economistas Armínio Fraga, Persio Arida, Gustavo Franco, André Lara Resende, Francisco Lopes, Pedro Bodin e Edmar Bacha.[1][2]

Mestre em Economia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Cursou parte do programa de doutorado em Economia do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), mas não chegou a concluir, passando a se dedicar ao estudo do Direito. Formou-se em Direito pela PUC-RJ.

Em setembro de 1993 ingressou no BNDES e em janeiro de 1994 assumiu a diretoria de privatizações do banco, cargo que manteve até junho 1996. Quatro meses após deixar o BNDES passou a trabalhar para o banco americano Bear Stearns.[3]

Desde novembro de 1997, é diretora presidente da Elandau Consultoria Econômica. Teve um papel polêmico, pois passou a trabalhar para algumas das gestoras das empresas que ela ajudou a privatizar, notadamente o fundo de investimentos de Daniel Dantas.[4][5] Em Abril de 2002[6] entrou para o escritório Sergio Bermudes de Advocacia - onde atua hoje como consultora[7]. Elena Landau é reconhecida pela edição latino-americana da revista Chambers and Partners, principal publicação especializada no perfil dos principais advogados do mundo, como uma das principais advogadas brasileiras, notadamente por sua atuação na área de regulação do setor elétrico.

Em janeiro de 2018, Landau foi anunciada como Presidente do Conselho Acadêmico do Livres, um movimento político de orientação liberal.[8]

Sua relação com o futebol vai além do amor pelo Botafogo. Elena mantém intensa participação no debate sobre futebol e chegou a ser consultora do Opportunity, de Daniel Dantas, para novos negócios nessa área.[9]

Referências

  1. «Bancos de economistas crescem no Real». Folha de S.Paulo. 9 de maio de 1999. Consultado em 3 de fevereiro de 2020 
  2. «Unibanco torna-se cliente Uniclass». Folha de S.Paulo. 4 de maio de 2003. Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  3. «Contratação de ex-diretora do BNDES por banco é contestada». Folha de S.Paulo. 17 de outubro de 1996. Consultado em 2 de fevereiro de 2020 
  4. «Facebook do livro "Operação banqueiro"». 17 de janeiro de 2014. Consultado em 27 de novembro de 2019 
  5. «Um dia no Governo, outro no Mercado». Folha de S.Paulo. 20 de maio de 1999. Consultado em 2 de fevereiro de 2020 
  6. «Linkedin Elena Landau». Consultado em 23 de maio de 2020 
  7. «website Sergio Bermudes». Consultado em 23 de maio de 2020 
  8. «Elena Landau fala sobre novo Conselho Acadêmico do Livres • LIVRES» 
  9. «`Musa da privatização` avança sobre clubes». Folha de S.Paulo. 12 de novembro de 1997. Consultado em 3 de fevereiro de 2020