Elena Novikova-Belova

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Elena Novikova-Belova
campeã olímpica
Elena c. 1968
Esgrima
Modalidade florete
Nascimento 28 de maio de 1947 (68 anos)
Sovetskaya Gavan, URSS
hoje: Rússia
Nacionalidade União Soviética soviética
Medalhas
Jogos Olímpicos
Ouro Montreal 1976 Florete Equipe
Ouro Munique 1972 Florete Equipe
Ouro Cidade do México 1968 Florete Individual
Ouro Cidade do México 1968 Florete Equipe
Prata Moscou 1980 Florete Individual
Bronze Montreal 1976 Florete Individual
Medalha Pierre de Coubertin 2007

Elena Dmitrievna Novikova-Belova (russo: Елена Дмитриевна Новикова-Белова; bielorruso: Алена Дзмітрыеўна Новікава-Бялова; Sovetskaya Gavan, 28 de julho de 1947) é uma ex-esgrimista soviética, tetracampeã olímpica do florete, individual e por equipes.

Começou a praticar esportes jogando basquetebol até mudar para a esgrima aos 13 anos. Sua mentora, com quem estabeleceu grande afinidade, foi Larisa Bokun, treinadora da campeã olímpica de esgrima em Roma 1960 Tatiana Samusenko. Larisa a ensinou como praticar a esgrima com dignidade, mantendo sempre a compostura em qualquer situação, e a pensar na disputa não apenas nos detalhes de todo e qualquer movimento mas também no resultado final, fazendo com que Elena memorizasse todos os lances a serem usados em qualquer situação, pró ou contra. Essa maneira metódica e detalhista de encarar a esgrima, além do grande talento natural, a transformaram numa das mais maiores esgrimistas da História. [1]

Participou dos Jogos Olímpicos da Cidade do México 1968, Munique 1972, Montreal 1976 e Moscou 1980 competindo pela então União Soviética, conquistando um total de seis medalhas, quatro delas douradas, a primeira mulher a conquistar quatro medalhas de ouro na esgrima.[2] Foi também oito vezes campeã mundial, uma vez individualmente em 1969 e sete vezes com a equipe da URSS entre 1970 e 1979, onze vezes campeã europeia e duas vezes campeã da URSS.[3] Sua medalha de ouro individual na Cidade do México, foi conquistada contra a sueca Kirshten Palm e a base de injeções de novocaína para combater a dor após uma lesão na perna durante um treinamento na capital mexicana, que a fez pensar em desistir de competir. [1]

Encerrou a carreira após Moscou e teve um filho em 1987, aos 40 anos de idade. Seu marido, o compositor Valery Ivanov, compôs uma valsa em sua homenagem. Em 17 de maio de 2007, no encerramento do XI Congresso Científico Internacional “Modern Olympic Sports and Sport for All” , no Palácio de Esportes de Minsk, na Bielorrússia, onde se estabeleceu depois da dissolução da União Soviética, ela foi agraciada com a Medalha Pierre de Coubertin pelo Comitê Olímpico Internacional pelos grandes serviços prestados ao Movimento Olímpico.[3] É a única mulher até hoje a receber esta honraria.

Atualmente ela é professora do Departamento de Pedagogia e Psicologia na Universidade de Esporte e Educação Física do Estado Bielorrusso em Minsk e membro do Comitê Olímpico da Bielorrússia.[3] Escreveu o livro Esgrima na União Soviética.[4]

Referências

  1. a b Елена Белова. Спортивная биография (em russo) rostmaster.ru. Visitado em 9 August 2015.
  2. Elena Novikova-Belova Olympic Results sports-reference.com. Visitado em 2011-01-02.
  3. a b c Elena Belova Awarded Pierre de Coubertin Medal National Olympic Committee of the Republic of Belarus. Visitado em 9 August 2015.
  4. Белова Елена Дмитриевна (em russo) Great Soviet Encyclopedia. Visitado em 9 August 2015.