Eleonor Bruno

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Eleonor Bruno
Nome completo Maria Eleonora Xavier de Paiva
Nascimento 6 de outubro de 1913
Niterói, Rio de Janeiro
Nacionalidade brasileira
Morte 24 de dezembro de 2004 (91 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Ocupação Atriz e cantora
IMDb: (inglês)

Maria Eleonora Xavier de Paiva, mais conhecida como Eleonor Bruno (Niterói, 6 de Outubro de 1913Rio de Janeiro, 24 de Dezembro de 2004) foi uma atriz e cantora brasileira. Fez uma sólida carreira no teatro, no cinema e na televisão.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascida na cidade de Niterói (RJ). Atriz e cantora lírica, mãe da atriz Nicette Bruno, era filha de uma médica Italiana chamada Roza.[1] Eleonor começou a carreira cantando em espetáculos amadores e beneficentes, muitos deles dentro do Cassino Copacabana Palace. Trabalhou em vários filmes, entre eles Dona Violante Miranda, A Marcha e O Menino Arco-Íris.[2] Em teatro fez vários espetáculos, como Dorotéia,[3] Week-End, Dona Rosita a Solteira, Prisioneiro da Quinta Avenida, O Efeito dos Raios Gama nas Margaridas do Campo, com direção de Antonio Abujamra, entre outros.[4] Também fez as novelas Papai Coração (1976), Um Dia, O Amor (1975), A Volta de Beto Rockfeller (1973), Uma Rosa Com Amor (1972), O Preço de um Homem (1971) e Beto Rockfeller (1968).[5]

Eleonor (conhecida como Nonoca pelos íntimos)[6] conheceu Nelson Rodrigues em 1948, quando levava a filha Nicette, então com 13 anos, para o Teatro Phoenix, no Rio. A filha estreava como atriz, e Eleonor ia levá-la ao teatro e ficar de olho nela. Mal sabia que era ela quem seria alvo do olhar do próprio Nelson. Tiveram um romance que durou dois anos. Para ela, Nelson escreveu a peça Doroteia, que estreou no mesmo Teatro Phoenix, em 7 de março de 1950. Como Nelson era casado, o romance entre os dois minguou.[7] Na biografia do dramaturgo, Ruy Castro descreve Eleonor Bruno como "um bijou, um biscuit: pequenina, cabelos castanhos claros, cheinha de corpo, tímida e - o que deve ter tocado uma nota plangente nos músculos cardíacos de Nelson - soprano lírico".[8]

Em 2002 e 2004, sua neta Beth Goulart interpretou a peça Doroteia Minha, baseada nas cartas de amor trocadas entre sua avó e Nelson Rodrigues.[9] Eleonor Bruno atuou até 1999. Depois de quase um mês internada, morreu aos 91 anos em 24 de dezembro de 2004 de insuficiência respiratória. A atriz também foi avó de Bárbara Bruno e Paulo Goulart Filho.[10] Em 2011, sua bisneta Vanessa Goulart a interpretou na minissérie Dercy de verdade.[11]

Teatro[editar | editar código-fonte]

Ano Espetáculo
1940 Copacabana Royalle
1942 Sinuca
1943 Meu Bijou
1945-47 La Bohéme
1948 Amada Amante
1950-53 Dorotéia
1954 Week-End
1955-57 A Hora Proibida
1958-59 Dona Rosita: a Solteira
1960 Dona Rosita, a Solteira
1961 Aquele Amor
1962 Aumenta o Volume
1963 Próxima Quadra
1964-67 Prisioneiro da Quinta Avenida
1970 Violeta
1974 Efeitos dos Raios Gama nas Margaridas do Campo
1977 O Diário de Anne Frank
1979 Marfim
1986 Trair e Coçar é só Começar
1999 Meia Volta

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Ano Cinema
1953 O Canto do Mar
1954 É Proibido Beijar
1955 Senhora
Perigosas
1956 Depois Eu Conto
1957 A Grande Vedete
1960 Dona Violante Miranda
1961 Só Naquela Base
1964 Asfalto Selvagem
1970 A Arte de Amar bem
Se Meu Dólar Falasse
1971 Simeão, o Boêmio
1972 A Marcha
1973 Anjo Loiro
1980 O Menino Arco-Íris

Televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem
1954 Grande Teatro Tupi Vários Personagens
1955-58 TV de Vanguarda Vários personagens
1968 Beto Rockfeller Rosa
1969 João Juca Jr. Dona Lola
1970 A Gordinha Eleonor
Toninho on the Rocks[12]
1971 O Preço de um Homem Rosicler
1972 Bel Amy Cassandra
Uma Rosa com Amor Catarina Rosa Batateira
1973 As Divinas... e Maravilhosas Madame Lisa Mourão
A Volta de Beto Rockfeller Rosa
1975 Um dia, o Amor Emília
1976 Papai Coração Madre Arcanja
1977 Sem Lenço, sem Documento Eufrásia
1978-79 Chico City Várias personagens
1980 Chico City Várias personagens
1984 Anarquistas, graças a Deus Zora
1985 O Tempo e o Vento Honorina
1990 Mico Preto Almerinda
1994 Pátria Minha Veruca

Referências

  1. NICETTE BRUNO MemóriaGlobo.
  2. Dona Violante Miranda Meu Cinema Brasileiro.
  3. Cem anos de um transgressor Revista Brasileiros. (Junho, 2012).
  4. Nicete Bruno Genética de artista IstoÉ Gente.
  5. A teledramaturgia não foi mais a mesma depois que surgiu um tal de Beto Rockfeller Tele História. (Dezembro, 2012).
  6. Atriz que deu primeiro beijo na televisão lamenta morte de Paulo Goulart R7. (Março, 2014).
  7. Nelson Rodrigues Funarte.
  8. O Amor do Anjo Pornográfico SP Escola de Teatro. (Junho, 2012).
  9. Doroteia Minha Teatro Folha.
  10. Nicete Bruno Genética de artista IstoÉ Gente.
  11. Revista Quem (10 de dezembro de 2011). «Vanessa Goulart, neta de Nicette Bruno e Paulo Goulart, viverá a bisavó em minissérie». Revistaquem.globo.com. Consultado em 10 de janeiro de 2012 
  12. «Toninho on The Rocks». Teledramaturgia. Consultado em 26 de novembro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]