Elis (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Elis
 Brasil
2016 •  cor •  110 min 
Direção Hugo Prata
Roteiro Vera Egito
Luiz Bolognesi
Hugo Prata
Elenco Andreia Horta
Caco Ciocler
Lúcio Mauro Filho
Zé Carlos Machado
Gustavo Machado
Gênero Drama
Edição Tiago Feliciano
Idioma (português brasileiro)
Página no IMDb (em inglês)

Elis é um filme de drama brasileiro, uma obra biográfica sobre a cantora Elis Regina. Foi adaptado e dirigido por Hugo Prata. O filme entrou em cartaz nos cinemas brasileiros em 24 de novembro de 2016.[1]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O filme retrata a vida da cantora Elis Regina desde quando começou a carreira, aos 18 anos, saindo de Porto Alegre e se mudando para o Rio de Janeiro. O sucesso e a fama a seguem até sua morte em 1982, em decorrência de complicações causadas por overdose de cocaína.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

O ator Caco Ciocler teve aulas de piano para interpretar César Camargo Mariano, além de ler a autobiografia do pianista. A atriz Andreia Horta visitou os locais onde Elis Regina viveu, inclusive a casa em Porto Alegre. Horta chegou a cantar nas filmagens, mas para o filme usaram as gravações originais de Elis. Lúcio Mauro Filho teve dicas do próprio Luiz Carlos Miele, que chegou a visitar o set de filmagens. Miele faleceu antes da estreia do filme.[2]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Jacídio Júnior em sua crítica para o Omelete disse que o filme "sofre de um problema que assola grande parte da produção nacional: a vontade de não causar intriga. . (...) Hugo Prata, diretor da obra, destaca que foi opção dele mostrar os "dramas da personagem", "os demônios internos e externos", mas a falta de foco em quais são os principais dramas do período retratado - a chegada da jovem cantora ao Rio de Janeiro até a sua morte - deixa o formato da história fraco, sem nenhum momento capaz de exigir comprometimento máximo do público com o que está acontecendo. Mas o crítico diz que o filme (...) pode servir como porta de entrada para quem está em busca de conhecer um pouco mais de Elis e assim estimular a necessidade de que novas histórias - mais fortes e diretas, e até mesmo mais corajosas - possam ser apresentadas para uma audiência que busca de ser abraçada pelas nuances mais profundas e marcantes da música brasileira contemporânea.."[3] analisando o filme para o Cineplayers escreveu: "E em figuras como a de Elis Regina, o que não faltam são fatos, elementos e discussões sobre toda a conturbação emocional que permeou a vida da cantora, seja em seus relacionamentos, sua recusa em acompanhar as tendências do mercado fonográfico, seus problemas com o consumo de álcool, sua posição contra a ditadura militar…" (...) também disse que "Não que o problema seja exatamente o uso do clichê em si (e seria hipocrisia condenar isso, afinal, o cinema é um retalho de clichês, sejam eles ficionais ou da vida), mas é a opção de Prata em mecanizar todos os acontecimentos na vida de Elis que transforma a cinebiografia num conjunto de recortes anti climáticos."[4]

Principais prêmios[editar | editar código-fonte]

Ano Premiação Categoria Resultado
2016 Festival de Gramado
Melhor Atriz (Andreia Horta) Venceu
Melhor Montagem Venceu
Melhor Filme (Júri popular) Venceu
Associação Paulista de Críticos de Arte Troféu APCA de melhor atriz (Andreia Horta) Venceu
2017 Brasil Grande Prêmio do Cinema Brasileiro Melhor Filme Pendente
Melhor Atriz para Andréia Horta Pendente
Melhor Ator coadjuvante para Caco Ciocler Pendente
Melhor Ator coadjuvante para Gustavo Machado Pendente
Melhor Direção de Fotografia Pendente
Melhor Direção de Arte Pendente
Melhor Maquiagem Pendente
Melhor Figurino Pendente
Melhor Efeito Visual Pendente
Melhor Montagem Ficção Pendente
Melhor Som Pendente
Melhor Trilha Sonora Original Pendente

Referências

  1. a b c d e f «Andréia Horta se transforma para viver Elis Regina em filme» 
  2. «Andréia Horta se transforma para viver Elis Regina em filme» 
  3. Jacidio Junior (21 de outubro de 2016). «Elis». omelete.uol.com.br. Consultado em 9 de dezembro de 2016 
  4. Rafael W. Oliveira (29 de novembro de 2016). «Elis (2016) - Crítica». www.cineplayers.com. Consultado em 21 de outubro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]