Elisabeth Hesselblad

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Santa Elisabeth Hesselblad
Freira brigitina católica
Santa Elisabeth Hesselblad
Fundadora da Ordem do Santíssimo Salvador de Santa Brígida
Nascimento 4 de junho de 1870 em Fåglavik, Suécia
Morte 24 de abril de 1957 (86 anos) em Roma, Itália
Veneração por Igreja Católica
Beatificação 09 de abril de 2000, Praça São Pedro por Papa João Paulo II
Canonização 05 de junho de 2016, Praça São Pedro por Papa Francisco
Gloriole.svg Portal dos Santos

Santa Elisabeth Hesselblad, (Fåglavik , 04 de junho de 1870Roma, 24 de abril de 1957), nascida Maria Elisabeth Hesselblad foi uma freira brigitina sueca.

Fundou uma nova congregação, a Ordem do Santíssimo Salvador de Santa Brígida, aprovada pelo Papa Bento XV em 1920. [1]
Criou igualmente um convento em Vadstena, na Suécia, que atualmente pertence a outra congregação. [1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Maria Elisabeth Hesselblad nasceu no dia 04 de junho de 1870, na cidade de Fåglavik, Suécia. Era a quinta dos treze filhos do casal Augusto Roberto e Caisa, uma família luterana muito pobre.

Desde a sua adolescência, ao ver que as suas amigas frequentando diversas igrejas, se questionava qual seria o único rebanho a que se referia o Evangelho de São João. Para ajudar a manter a sua família, aos dezesseis anos de idade, trabalhava como doméstica e, dois anos depois, emigrou para os Estados Unidos, onde adoeceu. Nessa ocasião fez uma promessa a Jesus, caso ficasse curada se tornaria enfermeira. E de fato assim aconteceu, passando a trabalhar como enfermeira num hospital de Nova Iorque. O contato com os doentes católicos e o grande desejo de encontrar a verdade mantiveram viva na sua alma a busca do rebanho de Cristo. [2]

Vida religiosa[editar | editar código-fonte]

A oração, o estudo, a devoção filial para com a Virgem Maria, o exemplo visto no hospital católico e a influência decisiva do padre jesuíta João Hagen, do convento da Visitação de Washington, que se tornou seu diretor espiritual, que fez estudar com paixão a doutrina cristã, levaram-na a abraçar o catolicismo. Assim, por opção foi batizada "sob condição", nesse mesmo convento, no dia 15 de agosto de 1902. Dois anos depois foi para Roma, onde recebeu a Confirmação e ali com muita clareza compreendeu que sua missão seria trabalhar pela unidade dos cristãos.

Sentiu que o caminho seria através da Ordem de Santa Brígida da Suécia, casa que visitou e de onde saiu profundamente impressionada. Lá enquanto rezava, sentiu que Deus lhe dizia: "É aqui que desejo que te ponhas ao meu serviço". No dia 25 de março de 1904 estabeleceu-se definitivamente em Roma e com uma especial permissão do Papa Pio X, vestiu o hábito brigidino na casa de Santa Brígida, então ocupada pelas Carmelitas. No dia 09 de setembro de 1911, começando com três jovens postulantes inglesas, restabeleceu a Ordem do Santíssimo Salvador de Santa Brígida, com a missão de orar e trabalhar de modo especial pela união dos cristãos na Escandinávia com a Igreja Católica.

Desde o início, incutiu nas suas filhas espirituais a necessidade da união dos cristãos, o amor à Igreja e ao Romano Pontífice, a necessidade de orar para que haja um único rebanho e um só Pastor. Restabeleceu a casa de Santa Brígida na Suécia em 1923, na Itália em 1931, e a expandiu para a Índia em 1937. [2]

Morte[editar | editar código-fonte]

Elisabeth Hesselblad viveu como pioneira no diálogo ecumênico até o dia 24 de abril de 1957, quando faleceu após uma longa vida marcada pelo sofrimento e pela doença. Está sepultada em Roma, na Casa de Santa Brígida. [2]

Beatificação e Canonização[editar | editar código-fonte]

Em 09 de abril de 2000, o Papa João Paulo II a beatificou na Praça São Pedro.

E em 05 de junho de 2016, o Papa Francisco a canonizou – junto com o agora Santo, Estanislau Paczynski – na Praça São Pedro.

Referências

  1. a b Per Beskow. «Elisabeth Hesselblad» (em sueco). Nationalencyklopedin – Enciclopédia Nacional Sueca. Consultado em 18 de dezembro de 2015 
  2. a b c «Beata Maria Elisabeth Hesselblad». www.catolicanet.com.br. Consultado em 5 de junho de 2016 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]