Elizabeth Holmes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Elizabeth Holmes
Nascimento Elizabeth Anne Holmes
3 de fevereiro de 1984 (38 anos)
Washington
Residência Palo Alto
Cidadania Estados Unidos
Etnia povo dos Estados Unidos
Progenitores
  • Christian Holmes IV
  • Noel Anne Daoust
Alma mater
Ocupação empreendedor
Prêmios
  • Prêmio Horatio Alger (2015)
Empregador Theranos

Elizabeth Anne Holmes (Washington, D.C., 3 de fevereiro de 1984[1]) é uma empresária estadunidense da área da biotecnologia. Em janeiro de 2022, Holmes foi condenada por fraude criminal.[2]

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Elisabeth Holmes é filha de Christian Rasmus Holmes IV, que foi vice-presidente da Enron, empresa de energia que mais tarde foi à falência, em meio a um escândalo envolvendo fraude contábil. Mais tarde ele ocupou cargos executivos em agências governamentais, como a USAID, a EPA e a USTDA.[3][4] Christian Holmes é de ascendência dinamarquesa e húngara. Seu bisavô Charles Louis Fleischmann era um imigrante judeu húngaro e fundou a empresa Fleischmann, de produção de fermento.[5] Sua mãe, Noel Anne (nascida Daoust), trabalhou como funcionária de comissão do Congresso.[1][6]

Elisabeth chegou a ingressar na Universidade Stanford, como estudante de engenharia química, mas saiu pouco tempo depois para criar a sua própria start-up.

Os anos Theranos[editar | editar código-fonte]

Em 2003, aos 19 anos de idade, fundou o laboratório Theranos de exames de sangue, tornando-se sua diretora executiva. Em 2015, foi incluída na lista das cem pessoas mais influentesdo mundo, segundo a revista Time.[7]

Mas já em 2015, surgiram indícios e múltiplas acusações de fraude no "revolucionário" processo de exames de sangue da Theranos, e tudo mudou depois que o repórter John Carreyrou, do Wall Street Journal, publicou uma série de reportagens expondo as deficiências e as imprecisões das técnicas empregadas na Theranos. Segundo as revelações de Carreyrou - que mais tarde escreveria o livro Bad Blood - Fraude Bilionária no Vale do Silício - , os pacientes estavam recebendo resultados imprecisos de testes relacionados com HIV, câncer e abortos espontâneos. [8]

Pouco tempo depois, a revista Forbes rebaixou o valor do patrimônio de Elisabeth Holmes, de 4,5 bilhões de dólares para zero, e também reduziu o valor da Theranos, de USD 9 bilhões para USD 800 milhões.[9] Em 2019, a Fortune incluiu Holmes na lista dos 19 líderes mais decepcionantes do mundo.[10]

Em 2018, Elizabeth Holmes e seu principal parceiro, Ramesh "Sunny" Balwani, ex-diretor da Theranos, foram acusados de "fraude massiva" pela Comissão de Títulos e Câmbio dos Estados Unidos (SEC, na sigla em inglês), o que levou à dissolução da empresa. Holmes e Balwani foram indiciados e processados por lesar pacientes e investidores,[11] mediante falsas afirmações sobre a capacidade de seu aparelho - denominado Edison, uma espécie de minilaboratório de análises clínicas - de processar centenas de tipos de exames, usando apenas algumas gotas de sangue do paciente.[12] Na ocasião, Holmes fez um acordo com a comissão e concordou em pagar USD 500.000.[8] Mas outras acusações viriam à tona posteriormente, culminando no julgamento iniciado em julho de 2021.[1]

Finalmente, em 3 de janeiro de 2022, o júri considerou-a culpada de quatro das 11 acusações de fraude e conspiração que pesavam contra ela.[13] A sentença condenatória não foi dada imediatamente mas é possível que Elisabeth receba uma pena de até 20 anos de reclusão, em prisão federal. Além disso, ela pode ter que pagar milhões de dólares em restituições e multas.[14]

Fake it until you make it[editar | editar código-fonte]

A partir de suas ligações familiares com o ex-secretário de Estado George P. Shultz, Holmes conseguiu vender sua ideia a outras importantes personalidades do mundo dos negócios e da política dos Estados Unidos, tais como o magnata da mídia Rupert Murdoch, o ex-secretário de Estado Henry Kissinger, o ex-secretário da Defesa James Mattis, entre muitos outros. Embora todos estivessem na lista de testemunhas, nenhum deles foi convocado pela defesa de Holmes, cujo argumento principal era que ela realmente acreditava na Theranos e no projeto, mas falhou.

O caso Theranos repercutiu nos Estados Unidos não só por levar ao banco dos réus uma recente celebridade do mundo da tecnologia mas também por colocar na berlinda os valores em que se baseia a cultura dos empreendedores do Vale do Silício, os quais raramente são levados a tribunais, sob acusações de fraude. De fato, um dos clichês mais repetidos no mundo das empresas high tech é fake it until you make it ("falsifique até conseguir"), ou seja, a receita do sucesso seria, em primeiro lugar, assumir o papel de "visionário" capaz de "quebrar paradigmas" e defender a sua proposta até convencer as pessoas a investir grandes somas de dinheiro no negócio, na crença de que se trate de uma espécie de cornucópia, ainda que não haja qualquer evidência concreta nesse sentido.[15][16]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Leskin, Avery Hartmans, Paige. «The rise and fall of Elizabeth Holmes, who started Theranos when she was 19 and became the world's youngest female billionaire but will now face a trial over 'massive fraud' in July 2020». Business Insider. Cópia arquivada em 11 de fevereiro de 2020 
  2. Griffith, Erin; Woo, Erin (3 de janeiro de 2022). «Elizabeth Holmes is found guilty of four counts of fraud.». The New York Times. Consultado em 4 de janeiro de 2022 
  3. «Christian Holmes». The Boston Consulting Group. Cópia arquivada em 5 de setembro de 2018 
  4. Bilton, Nick (outubro de 2016). «Exclusive: How Elizabeth Holmes's House of Cards Came Tumbling Down». Vanity Fair. Cópia arquivada em 10 de abril de 2017 
  5. Carreyrou 2018, pp. 9-10.
  6. Auletta, Ken (15 de dezembro de 2014). «One Woman's Drive to Revolutionize Medical Testing». The New Yorker. Cópia arquivada em 28 de outubro de 2019 
  7. Elizabeth Holmes Times 100
  8. a b Elizabeth Holmes, fundadora da startup Theranos, é condenada por quatro acusações. Época Negócios, 3 de janeiro de 2022.
  9. Herper, Matthew (20 de junho de 2016). «From $4.5 Billion To Nothing: Forbes Revises Estimated Net Worth Of Theranos Founder Elizabeth Holmes». Forbes (em inglês) 
  10. «The World's 19 Most Disappointing Leaders». Fortune (em inglês). 30 de março de 2016 
  11. The United States of Americs vs. Elisabeth A. Holmes & Ramesh "Sunny" Balwani
  12. Livni, Ephrat (16 de junho de 2018). «Elizabeth Holmes of Theranos could face decades in prison». Quartz (em inglês) 
  13. Allyn, Bobby (3 de janeiro de 2022). «Elizabeth Holmes verdict: Former Theranos CEO is found guilty on 4 counts». NPR 
  14. Randazzo, Sara; Somerville, Heather (3 de janeiro de 2022). Elizabeth Holmes Found Guilty on Four Counts. The Wall Street Journal.
  15. Ex-promessa do Vale do Silício é considerada culpada em julgamento na Califórnia. AFP/Uol, 3 de janeiro de 2022
  16. Empreendedores covardes fazem mal à economia. Empreendedor, 22 de julho de 2019 (matéria originalmente publicada em Valor, 27 de junho de 2019).

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Elizabeth Holmes