Elvira Vigna

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Elvira Vigna
Nascimento 1947 (70 anos)
Rio de Janeiro,  Brasil
Residência São Paulo
Ocupação Escritora, tradutora e artista plástica
Prémios Prémio Jabuti 1980

Prêmio ABL de Ficção romance teatro e conto (2011)

Género literário Literatura infantil
Movimento literário Pós-modernismo
Magnum opus Nada a dizer

Elvira Vigna (Rio de Janeiro, 1947) é uma escritora, ilustradora e jornalista brasileira. Hoje mora em São Paulo.

Tem vários livros publicados e alguns prêmios, como o de ficção da Academia Brasileira de Letras e um prêmio Jabuti de literatura infantil - setor a que se dedicou no início de sua carreira. Tem também um Jabuti como ilustradora. Em seu site mantém para leitura livre os seus textos fora de catálogo.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Formada em Direito pela Universidade de Nancy, em França e mestre em Comunicação pela UFRJ.

Os romances[editar | editar código-fonte]

  • Sete anos e um dia, seu primeiro romance, está disponível na íntegra no site da autora. Trata-se da história de quatro amigos durante a época da abertura política, pós-ditadura brasileira, quando nada do que acontecia parecia muito real.
  • Em O assassinato de Bebê Martê uma mulher sabe que sua melhor amiga matou o próprio pai, há muitos anos, durante uma festa onde se comemorava o aniversário de 80 anos dele. Nesta noite haverá uma outra festa. Ela refaz na sua cabeça os acontecimentos passados, acrescentando aqui e ali alguns detalhes de como ela acha que o fato se deu. Durante a festa ela irá repetir esse crime, agora não mais como mera ouvinte, mas como autora dele.
  • Em Às seis em ponto um casal de namorados já maduros vai visitar a família da mulher. O motivo é um drama: na semana anterior o pai dela amanheceu morto na banheira. Durante a viagem, a mulher tenta - e não consegue - contar uma história para o namorado: a de como essa viagem na verdade é uma segunda viagem, a primeira tendo sido feita uma semana antes, quando durante uma briga ela jogou o pai na banheira e o matou. A história não é totalmente contada, o namorado terá que conviver com a dúvida sobre o quanto de verdade ficou do lado de fora.
  • Em 'Coisas que os homens não entendem' uma mulher volta de Nova York em busca de um ex-amante. Ela acredita que só poderá ser feliz se disser a ele o que se passou em um fim de tarde em que um irmão dele morreu, supostamente por bala perdida. Ela precisa contar. Ela começa, ele interrompe: ele já sabe. Ele sempre soube de tudo. Ficam juntos por um tempo mas ela decide ir embora: não dá para ficar com alguém a quem não haja mais nada para contar. Esse livro teve uma edição em sueco.
  • Em A um passo cada personagem conta, em sua própria voz, o que ele acha que sabe sobre os outros. Cada um explica um pouco a respeito de um roubo e de uma tentativa de assassinato. Há um personagem que conta todos os outros e que só vai aparecer no final. É ele o narrador e seu problema é o que ele fará uma vez que os seus companheiros estejam mortos ou tenham fugido. O que fazer depois que as transgressões foram feitas e assimiladas.
  • Deixei ele lá e vim gira em torno de uma noite, na praia semi-privativa de um hotel de luxo, quando uma garota de programa morre afogada. Junto com ela havia outras duas mulheres. É uma delas quem conta o que houve. Ela mente, ela diz o que quer, o que lhe interessa. É ela a narradora do livro, o alter-ego de quem escreve. É uma travesti: põe qualquer roupa que lhe atráia.
  • Em Nada a dizer a história de adultério é apenas a primeira capa de uma guerra de narrativas, em que os personagens destroem mutuamente a auto-imagem que mantinham anteriormente. Esse livro não acaba, é interrompido. Não é possível continuar a contar o que houve na primeira pessoa, quando essa pessoa não mais existe.
  • O que deu para fazer em matéria de história de amor é a indecisão sobre como contar uma história. Dependendo do enfoque ela pode ser uma história de amor ou a de um assassinato. Ou mesmo as duas.
  • Por escrito é uma história de erros, alguns deles fatais.
  • Como se estivéssemos em palimpsesto de p. ´mostra mulheres empilhadas no imaginário de um homem que não consegue individualizá-las, e o que uma delas fez a respeito disso.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Romances[editar | editar código-fonte]

  • VIGNA, Elvira. Como se estivéssemos em palimpsesto de putas. São Paulo: ed. Companhia das Letras, 2016, 216p.
prêmio Melhor Romance - APCA, 2016
  • VIGNA, Elvira. Por escrito. São Paulo: ed. Companhia das Letras, 2014, 312p.
segundo lugar Prêmio Oceanos;
finalista Prêmio Rio.
  • VIGNA, Elvira. O que deu para fazer em matéria de história de amor. São Paulo: ed. Companhia das Letras, 2012, 168p.
edição sueca: Den kärlekshistoria som gick att få till. Trad. Örjan Sjögren. Estocolmo: bokförlaget Tranan, 2016, 240p.
finalista Prêmio São Paulo;
finalista Prêmio Jabuti.
  • VIGNA, Elvira. Nada a dizer. São Paulo: ed. Companhia das Letras, 2010, 176p.
edição portuguesa: Nada a dizer. Lisboa: Quetzal, 2013, 168p.
edição italiana: Niente da dire. Narni: Gran vía, 2016, 168p.
Prêmio 'Ficção' da Academia Brasileira de Letras;
finalista Prêmio Portugal Telecom.
  • VIGNA, Elvira. Deixei ele lá e vim. São Paulo: ed. Companhia das Letras, 2006, 152p.
  • VIGNA, Elvira. A um passo. Rio de Janeiro: ed. Lamparina, 2004, 188p.
participante do projeto Mais Leitura de 2014.
  • VIGNA, Elvira. Coisas que os homens não entendem. São Paulo: ed. Companhia das Letras, 2002, 160p;
edição sueca: Saker som män inte förstår. Trad. Örjan Sjögren. Estocolmo: bokförlaget Tranan, 2005, 220p).
  • VIGNA, Elvira. Às seis em ponto. São Paulo: ed. Companhia das Letras, 1998, 128p.
prêmio Cidade de Belo Horizonte de Melhor Romance.
  • VIGNA, Elvira. O assassinato de Bebê Martê. São Paulo: ed. Companhia das Letras, 1997, 128p.
  • VIGNA, Elvira. Sete anos e um dia. Rio de Janeiro: ed. José Olympio, 1988, 192p.

Contos (e outros textos curtos)[editar | editar código-fonte]

  • VIGNA, Elvira. Deve ter sido assim (Como se estivéssemos em palimpesesto de p.). In: Suplemento Pernambuco #118. Recife: Cia. Ed. de Pernambuco, dezembro/2015.
  • VIGNA, Elvira. Pulando amarelinha com a Eneida de Virgílio (Como se estivéssemos em palimpsesto de p.). In: Gerúndio a dois. São Paulo: São Paulo Review. São Paulo, 19/10/2015 (online).
  • VIGNA, Elvira. Par écrit. Traduction: Paula Anacaona. Pessoa, edition spéciale Salon du Livre de Paris/2015. São Paulo: Revista Pessoa. Julho 2015, pg. 16-21.
  • VIGNA, Elvira. In writing. Translated by Lucy Greaves. Wasafiri, volume 30, issue 2. Brighton, England: Taylor & Francis. 19 May 2015, pp. 56–58.
  • VIGNA, Elvira. Depois de tudo. In: Segundo Caderno. Rio de Janeiro: jornal O Globo. 16/02/2015.
  • VIGNA, Elvira. Places, in the middle of everything. In: The book of Rio. Great Britain: Comma Press. 2014, pp. 111–119.
  • VIGNA, Elvira.N de nada de eso. In: Narrar San Pablo. São Paulo: editora Mackenzie, 2014, pp. 89–103.
  • VIGNA, Elvira. A copa de 1990. In: Formas Breves. São Paulo: E-galáxia, 2014, e-book.
  • VIGNA, Elvira. La imposibilidad de un Kilimanjaro. In: La invención de la realidade. Ciudad de Mexico: Cal y Arena, Nexos Sociedad Ciencia y Literatura, SA de CV, 2013, pp. 243–259.
  • VIGNA, Elvira. 5 mil toques é tudo o que ele tem a dizer - a voz de Paulo do romance Nada a dizer.In: Suplemento Pernambuco. Recife: Cia. Ed. de Pernambuco, n. 51, maio de 2010, 16p.
inserção no volume Ficcionais, organizado pelo editor do Suplemento, Schneider Carpeggiani, 2012, pp. 57-59.
  • VIGNA, Elvira. Lugares, talvez um fim para contar. In: Suplemento Pernambuco. Recife: Cia. Ed. de Pernambuco, no 71, janeiro de 2012. pp 4–5.
  • VIGNA, Elvira. Retrato em cores frias. In: Caderno Ilustríssima. São Paulo: jornal Folha de S.Paulo, 18/09/2011. pp. 7.
  • VIGNA, Elvira. O que deu para fazer em matéria de história de amor (parte). In: Suplemento Pernambuco. Recife: Cia. Ed. de Pernambuco, #60, fevereiro de 2011. pp 20–21.
  • VIGNA, Elvira. O que deu para fazer em matéria de história de amor (parte). In: Suplemento Pernambuco. Recife: Cia. Ed. de Pernambuco, #53, julho de 2010. pp 24.
  • VIGNA, Elvira. O que deu para fazer em matéria de história de amor (parte). Curitiba: jornal Rascunho, 2009, 32p (28-29).
  • VIGNA, Elvira. Confissões. In: Ser mãe é tudo de bom. São Paulo: Editora Matrix, 2008, 192 p. (71-75).
  • VIGNA, Elvira. I+zil+d=inha. In: + 30 mulheres. Rio de Janeiro: ed. Record, 2005, 306p. (205-302).
  • VIGNA, Elvira. Mais um caso de violência choca a cidade. In: Os cem menores contos brasileiros do século. São Paulo: Ateliê Editorial, 2004, 224p. (61).
  • VIGNA, Elvira. Foi ao sentir o cheiro dele que Izildinha deu uma relaxada. In: Todos os sentidos. Rio de Janeiro: CL edições autorais, 2003, 132p. (27-37).
prêmio Melhor Livro de Contos da União Brasileira de Escritores.

Textos teóricos[editar | editar código-fonte]

  • Texto publicado pelo suplemento Pernambuco de setembro/2016, pg. 03, seção 'bastidores'
  • Palestra O vão entre o trem e a plataforma, puc-poa, 20/05/2016
  • Apresentação de meus livros na feira de gotemburgo, em setembro/2015
  • Vídeo da entrevista com Edney Silvestre, globonews, 13/03/2015
  • Apresentação Literatura e experiência, de 14/11/2014, de Belo Horizonte
  • Apresentação Pessoas perdidas, em trânsito ou de passagem, de 19/09/2014, na Primeira Festa do Livro do Vale do São Francisco, Petrolina - Pernambuco
  • Entrevista a Tanay Gonçalvez Notargiacomo, publicada no anuário de literatura da UFSC, Florianópolis, v.18, n. esp. 1, p. 255-260, 2013.
  • Apresentação A menina de lá e os meninos de cá, para a unb em 18/10/2013

(apresentado anteriormente em 17/09/2013 na semana de literatura do sesc-paraná)

  • Apresentação Concomitância dos efêmeros (ou como ler os clássicos), para a pucrgs em 25/10/2012

(posteriormente publicado como artigo pelo suplemento Pernambuco #83, de janeiro de 2013)

  • Apresentação Tentativas sobre o conto, as dançarinas de Degas, no festival nacional do conto de Jaraguá do Sul 09/08/2012

(posteriormente publicado como artigo pelo jornal O Globo, caderno Prosa e Verso, em 11/08/2012)

  • Apresentação Escritas incômodas, para a prefeitura de belo horizonte em 19/04/2012
  • Apresentação Os narradores, em duas partes:

vídeo "narradores" para o site da sorbonne iv (40 minutos); 1) texto-base do vídeo "narradores"; 2) texto suplementar apresentado em palestra na sorbonne iv em 10/01/2012.

  • Apresentação O som das palavras, em duas partes:

O som das palavras: possibilidades e limites da novela, um adendo, na unb em 29/06/2011; O som das palavras: possibilidades e limites da novela gráfica. In: Revista Estudos de literatura brasileira contemporânea # 37. Brasilia: UnB, 2011, pp. 105-122. (texto reproduzido em repositório internacional de textos acadêmicos, sistema Redalyc, via Universidad Autónoma del Estado de México)

  • Vídeo Um escritor na biblioteca, na biblioteca pública do paraná, em junho de 2011.

I II III

  • Coisas que os homens não entendem e Camões. In: revista Navegações, volume 5, n. 2 (jul/dez 2012). Porto Alegre: PUC-RS, p. 228-233
  • VIGNA, Elvira: Icléa Goldberg. In: GOLDBERG, Icléa. Objetos extremos. Rio de Janeiro: Galeria Anna Maria Niemeyer, 2011.
  • VIGNA. Elvira: Monica Barki. In: BARKI, Monica. Arquivo Sensível. Rio de Janeiro: Aeroplano editora, 2011.
  • VIGNA, Elvira: A boa fala. In: PELLANDA, Luís. As melhores entrevistas do Rascunho, vol. 1. Curitiba: Arquipélago Editorial, 2010, pp 66-81.

Ilustração[editar | editar código-fonte]

  • MURRAY, Roseana. Cinco sentidos e outros. Il. Elvira Vigna. Belo Horizote: Abacatte, 2014, 39p.
participação no catálogo da Feira de Bolonha, 2015.
  • BARRETO, Antonio. O papagaio de Van Gogh. Il. Elvira Vigna. Belo Horizonte: Lê, 2013, 88p.
prêmio Literatura para todos, do MEC;
participação no programa PNBE, EJA e Brasil Alfabetizado, do MEC, 2013;
participação no catálogo da Feira de Bolonha, 2014.
  • FREITAS, Tino. Primeira palavra. Il. Elvira Vigna. Belo Horizonte: Abacatte, 2012, 36p.
participação no programa de compra de livros da Prefeitura de Contagem;
menção Altamente Recomendável da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil;
prêmio Jabuti de Melhor Ilustração;
finalista Jabuti de Melhor Livro Infantil.
  • MURRAY, Roseana. O mar e os sonhos. Il. Elvira Vigna. Belo Horizonte: Lê, 2010, 48p.
  • MURRAY, Roseana. O mar e os sonhos. Il. Elvira Vigna. Belo Horizonte: Miguilim, 1996, 36p.
menção Altamente Recomendável da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil;
lista de honra do IBBY;
participação no programa PNBE do MEC, 2013.
  • MURRAY, Roseana. Carteira de identidade. Il. Elvira Vigna. Belo Horizonte: Lê, 2010, 48p.
participação na exposição "Traçando histórias" da Câmara Riograndense do Livro/2010;
participação no programa de compra de livros da Prefeitura de Belo Horizonte, 2010;
participação no catálogo da Feira do Livro de Bolonha, 2011;
participação no programa PNBE do MEC, 2013.
  • MURRAY, Roseana. Arabescos ao vento. Il. Elvira Vigna. São Paulo: Prumo, 2009, 24p.
participação no catálogo da Feira de Bolonha, 2010.
  • MURRAY, Roseana. Fardo de Carinho. Il. Elvira Vigna. Belo Horizonte: Lê, 2009, 36p.
  • MURRAY, Roseana. Fardo de Carinho. Il. Elvira Vigna. Rio de Janeiro: Degrau, 1981, n.p.
participação no programa PNBE do MEC, 2009.
participação na Bienal de ilustradores de Bratislava/1982.
  • RAMPAZZO, Iacy. O gato Tom e o tigre Tim. Il. Elvira Vigna. Rio de Janeiro: Lamparina, 2007, 48p.
participação no programa de compra de livros da Secretaria Estadual de Educação do Espírito Santo, 2008.
  • PAULAFREITAS, Ayeska. O que o coração mandar. Il. Elvira Vigna. Belo Horizonte: Dimensão, 2005, 40p.
participação no programa PNBE do MEC, 2006.
  • ANDRADE BARBOSA, Rogério. Contos de encantos, seduções e outros quebrantos. Il. Elvira Vigna. São Paulo: Bertrand Brasil, 2005, 64p.
menção Altamente Recomendável da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil;
participação no programa PNBE do MEC, 2006.
  • RAMOS, Anna Cláudia. Tempo mágico, tempo de namoros. Il. Elvira Vigna. São Paulo: ed. Larousse, 2005, 68p.
participação no catálogo da Feira de Bolonha.
  • NAZARETH, Carlos Augusto. Filomena. Il. Elvira Vigna. Rio de Janeiro: Lamparina, 2004, 40p.
participação na exposição "Traçando histórias" da Câmara Riograndense do Livro/2004;
participação no catálogo da Feira do Livro de Bolonha.
  • SCHÜLER, Donaldo. Refabular Esopo. Il. Elvira Vigna. Rio de Janeiro: Lamparina, 2004, 168p.
exposição individual das ilustrações no Teatro Renascença de Porto Alegre.
  • ORTHOF, Sylvia. Você viu, você ouviu? Il. Elvira Vigna. Rio de Janeiro: Vertente, 2003, n.p.
participação na exposição "Traçando histórias" da Câmara Riograndense do Livro/2003.
  • MURRAY, Roseana. Manual da delicadeza. Il. Elvira Vigna. São Paulo: FTD, 2001, 32p.
menção Altamente Recomendável da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil.
  • MURRAY, Roseana. Receitas de olhar. Il. Elvira Vigna. São Paulo: FTD, 1997, 48p
menção Altamente Recomendável da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil.
  • MURRAY, Roseana. Três velhinhas tão velhinhas. Il. Elvira Vigna. Belo Horizonte: Miguilim, 1994, n.p.
menção Altamente Recomendável da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil.
  • DAHL, Maria Lúcia. A bailarina agradece. Il. Elvira Vigna. Rio de Janeiro: Terceira Margem, 1990, 96p.
participação na Bienal de artistas gráficos de Brno/1992.
  • MURRAY, Roseana. Paredes Vazadas. Il. Elvira Vigna. Rio de Janeiro: Memórias Futuras, 1989, n.p.
medalha Melhores Ilustradores Mundiais do Instituto Noma (Japão) em associação com a UNESCO/1990.
  • CARTA, Mino. Histórias da Mooca. Il. Elvira Vigna. São Paulo: Berlendis & Vertechia, 1982, n.p.
participação na Bienal de artistas gráficos de Brno/1982.
  • PINSKY, Mirna. O canguru emprestado. Il. Elvira Vigna. São Paulo: Global, 1982. 64p.
menção Altamente Recomendável da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil.
  • GANEM, Eliane. O coração de Corali. Il. Elvira Vigna. Rio de Janeiro: José Olympio, 1981. n.p.
menção Altamente Recomendável da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil.

Infantis e juvenis[editar | editar código-fonte]

  • VIGNA, Elvira. Vitória Valentina (novela gráfica). Il. Elvira Vigna. Rio de Janeiro: Editora Lamparina, 2013, 120p.
participação na exposição "Traçando histórias" da Câmara Riograndense do Livro/2014;
inclusão na lista de obras literárias do vestibular da UFSC/2017.
  • VIGNA, Elvira. A pontinha menorzinha do enfeitinho do fim do cabo de uma colherzinha de café. Il. Simone Matias. Curitiba: ed. Positivo, 2013, 24p.
  • VIGNA, Elvira. A pontinha menorzinha do enfeitinho do fim do cabo de uma colherzinha de café. Il. Janaina Tokitaka. Curitiba: ed. Positivo, 2010, 24p.
  • VIGNA, Elvira. A pontinha menorzinha do enfeitinho do fim do cabo de uma colherzinha de café. Il. Ana Raquel. Belo Horizonte: ed. Miguilim, 1983, n.p.
participação no programa PNAIC do MEC em 2014.
  • VIGNA, Elvira. Problemas com o cachorro? Il. Suppa. Curitiba: ed. Positivo, 2010, 24p.
  • VIGNA, Elvira. Problemas com o cachorro? Il. Ivan Zigg. São Paulo: ed. Moderna, 1998, n.p.
  • VIGNA, Elvira. Problemas com o cachorro? Il. Lenira Brandão Silva. Belo Horizonte: ed. Miguilim, 1982, n.p.
menção Altamente Recomendável da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil;
prêmio Melhor Obra Infantil da Associação Paulista de Críticos de Arte.
  • VIGNA, Elvira. Viviam como gato e cachorro. Il. da autora. Belo Horizonte: ed. Dimensão, 2005, 40p.
  • VIGNA, Elvira. Viviam como gato e cachorro. Il. da autora. Rio de Janeiro: ed. Paz e Terra, 1978, 48p.
prêmio Melhor Ilustração da Associação Paulista dos Críticos de Arte;
participação no programa Ciranda de Livros da Fundação Roberto Marinho;
menção Altamente Recomendável da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil;
participação no catálogo da Feira de Bolonha, 2006.
edição em cd para deficientes visuais através do PNBE-especial, 2010.
  • VIGNA, Elvira. O jogo dos limites. Il. da autora. São Paulo: ed. Companhia das Letras, 2001, 128p.
menção Altamente Recomendável da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil;
participação no programa de compra de livros da prefeitura de Belo Horizonte, 2002.
  • VIGNA, Elvira. Mônica e Macarra. Il. Glória Campos. Belo Horizonte: ed. Miguilim, 1996, 44p.
  • VIGNA, Elvira. Uma história pelo meio. Il. Pic Cortesi. São Paulo: ed. Berlendis & Vertechia, 1982, n.p.
  • VIGNA, Elvira. Lã de umbigo. Il. da autora. Rio de Janeiro: ed. Antares/INL-MEC, 1979, 64p.
prêmio Jabuti de Literatura Infantil da Câmara Brasileira do Livro.
  • VIGNA, Elvira. Coleção Adrúbal, o Terrível. Il. da autora. Quatro livros independentes que tiveram várias edições individuais entre 1971 e 1983, publicadas inicialmente pela Editora Bonde/INL-MEC, e depois pela José Olympio e Miguilim; 78 páginas cada. São eles: A breve história de Asdrúbal, o Terrível; A verdadeira história de Asdrúbal, o Terrível; Asdrúbal no Museu; O triste fim de Asdrúbal, o Terrível.
edições especiais 'Clube do Livro' dos dois primeiros títulos, 1981;
participação no programa Salas de Leitura da FAE, 1985, dos três primeiros títulos.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]