Emília Lépida

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Emília Lépida em  "Promptuarii Iconum Insigniorum "

Emília Lépida (5 a.c. – 43 d.c.) foi uma matrona e nobre romana. Era a filha mais velha de Julia, a jovem (a primeira neta do Imperador Augusto) e do cônsul Lucius Aemilius Paullus. Seu pai era de uma ilustre e antiga família patrícia. Ela foi a primeira bisneta do Imperador Augusto e prima de Marco Emílio Lépido (6-39), que foi casado com a irmã favorita de Calígula, Drusilla e que foi executado no reinado de Calígula.[1]

Em sua juventude, Lépida foi prometida em casamento para Cláudio, mas seus pais caíram em desgraça com Augusto, de modo que o imperador rompeu o noivado. Em 8, sua mãe Julia, foi exilada por adultério, como a mãe dela havia sido exilada antes dela. Seu pai, Lúcio foi executado em 14 por participar de uma conspiração contra Augusto. Pelo ano de 13, Lépida se casou com Marcus Junius Silanus Torquatus, um membro da antiga família patrícia gens Júnias.

A data de sua morte não é conhecida. Às vezes diz-se que ela teria sido envenenado por ordem de Agripina a menor , durante o reinado de Nero, mas este Lépida era, evidentemente, Domitia Lépida, a mãe de Valéria Messalina e a segunda esposa de Ápio Junius Silanus.

Fontes[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Barrett, Anthony, 'Caligula: The Corruption of Power' (Routledge, 1989), p.82-3.