Embraer EMB-312

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o pássaro tucano, veja Tucano (desambiguação).
Embraer EMB-312
Caça
Um T-27 Tucano da força aérea peruana.
Descrição
Tipo / Missão Treinamento e ataque leve
País de origem  Brasil
Fabricante Embraer
Período de produção 1980–1996
Quantidade produzida 624
Custo unitário US$900,000 (1981)
Desenvolvido em Embraer EMB-314 Super Tucano
Primeiro voo em 16 de agosto de 1980 (40 anos)
Introduzido em setembro de 1983
Variantes Short Tucano
Tripulação 2
Especificações
Dimensões
Comprimento 9,86 m (32,3 ft)
Envergadura 11,14 m (36,5 ft)
Altura 3,40 m (11,2 ft)
Área das asas 19,4  (209 ft²)
Alongamento 6.4
Peso(s)
Peso vazio 1 810 kg (3 990 lb)
Peso carregado 2 520 kg (5 560 lb)
Peso máx. de decolagem 3 175 kg (7 000 lb)
Propulsão
Motor(es) 1 x Pratt & Whitney Canada PT6
Performance
Velocidade máxima 448 km/h (242 kn)
Velocidade de cruzeiro 319 km/h (172 kn)
Alcance (MTOW) 2 055 km (1 280 mi)
Autonomia 9 h(s)
Teto máximo 9 144 m (30 000 ft)
Razão de subida 9.65 m/s
Armamentos
Metralhadoras / Canhões 4 x Metralhadoras 12,7 mm

O Embraer EMB-312 "Tucano" é um avião turbohélice de treinamento e ataque leve, desenvolvido e fabricado no Brasil pela Embraer. Seu primeiro voo ocorreu em 1980, com o início das entregas em 1983.[1]

Seu projeto é de autoria do engenheiro aeronáutico húngaro radicado no Brasil, Joseph Kóvacs.[2]

Designado na Força Aérea Brasileira - FAB como T-27, foi destinado ao treinamento avançado no 1º EIA - Esquadrão de Instrução Aérea, o Esquadrão Cometa de cadetes aviadores do 4º ano da Academia da Força Aérea Brasileira, em Pirassununga, estado de São Paulo.

Também foi utilizada como aeronave leve de ataque, designada AT-27. A FAB encomendou 133 aeronaves.

Avião moderno, em tandem, onde o assento traseiro é mais alto que o dianteiro, foi um dos maiores sucessos da Embraer, com produção superior a 600 unidades.[3][4]

A aeronave foi utilizada pelo Esquadrão de Demonstração Aérea da Força Aérea Brasileira, conhecida como Esquadrilha da fumaça, de 1983 a 2013.

Deixou de ser produzido em 1996, quando foi substituído pelo EMB-314 "Super Tucano".

Principais variantes[editar | editar código-fonte]

Especificações (EMB 312 Padrão)[editar | editar código-fonte]

  • Motor:Pratt & Whitney Canada PT6A-25C de 750 shp
  • Velocidade Máxima: 448 km/h
  • Velocidade de Cruzeiro: 319 km/h
  • Teto de Serviço: 9 144 m
  • Alcance: 2 055 km
  • Envergadura: 11,14 m
  • Altura: 3,40 m
  • Bitola: 3,76 m
  • Comprimento: 9,86 m
  • Peso Vazio: 1 810 kg
  • Peso Básico: 2 520 kg (dois pilotos, óleo, fluido hidráulico e tanques cheios)
  • Peso Máximo de Decolagem: 3 175 kg
  • Peso Máximo de Aterragem: 2 800 kg
  • Armamento: 4 pilones sob as asas podendo carregar casulos de metralhadoras 12,7 mm, foguetes e bombas.

Principais utilizadores do modelo padrão[editar | editar código-fonte]

  •  Brasil: 109 unidades (de 151 unidades recebidas)
  •  Egito: 14 mais 40 unidades produzidas sob licença pela Helwan.
  •  Argentina: 30 unidades.
  • Honduras: 12 unidades.
  •  Irão: 15 unidades (de 50 unidades recebidas)
  •  Paraguai: 6 unidades.
  •  Peru: 30 unidades (6 unidades revendidas a Angola).
  •  Venezuela: 31 unidades.
  •  Colômbia: 14 unidades.
  •  Angola: 14 unidades,8 comprados na Embraer e 6 na fuerza aérea del Peru.

Ex-usuários[editar | editar código-fonte]

  •  França: 50 EMB 312F Tucano entregue em 1995, 20 em serviço em 2007, retirada em 2009. O acordo com o Brasil foi uma compensação por 36 AS365 Panther e 16 AS350 Ecureuil comprados pelo exército brasileiro e 30 outros (finalmente 20) Esquilo para a Marinha do Brasil. Em 22 de julho de 2009, apenas 15 anos após sua entrada em serviço, eles foram substituídos pelo Grob G 120A[5], de fabricação alemã, quando os aviões iniciaram apenas o segundo terço de seu potencial[6].
  •  Iraque: 80 entregues entre 1985 e 1988

Ver também[editar | editar código-fonte]

Aeronaves com funções, configurações e características comparáveis:

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Embraer EMB-312

Referências

  1. «Portal Embraer». embraer.com (em inglês). Consultado em 20 de junho de 2019 
  2. «Morre Joseph Kovacs, engenheiro que projetou 1º avião Tucano da Embraer». G1 Vale do Paraíba e região. 15 de julho de 2019. Consultado em 20 de julho de 2019 
  3. «EMB.312 T-27 Tucano - HISTÓRIA DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA». www.rudnei.cunha.nom.br. Consultado em 20 de junho de 2019 
  4. Brasileira, Força Aérea. «A aeronave T-27 Tucano é tema de documentário nos seus 35 anos». Força Aérea Brasileira. Consultado em 20 de junho de 2019 
  5. Jean-Dominique Merchet, Le dernier Tucano quitte Salon-de-Provence, Libération, 22 de julho de 2009
  6. Après le Tucano, escadrilles.org.