Emissoras Unidas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde julho de 2015).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Rede Unidas de Televisão
Rádio e Televisão Record S/A.
Rádio e Televisão Rio Ltda.
Tipo Rede de televisão comercial
País  Brasil
Fundação 20 de julho de 1959
por Paulo Machado de Carvalho
Extinção 1967
Pertence a Grupo Paulo Machado de Carvalho
Proprietário Paulo Machado de Carvalho
Presidente Paulo Machado de Carvalho
Cidade de origem São Paulo São Paulo, SP
Sede Bandeira da cidade de São Paulo.svg São Paulo, SP
Rua da Consolação, 2036 - Consolação
Estúdios Bandeira da cidade de São Paulo.svg São Paulo, SP
Teatro Record - Rua da Consolação, 2036 - Consolação
Bandeira da cidade do Rio de Janeiro.svg Rio de Janeiro, RJ
Avenida Atlântica - Copacabana
Slogan Rede Unidas de Televisão, uma empresa do Grupo Paulo Machado de Carvalho.
Cobertura Nacional
Emissoras próprias São Paulo TV Record (São Paulo)
Rio de Janeiro TV Rio (Rio de Janeiro)
Emissoras afiliadas Rio Grande do Sul TV Gaúcha (Porto Alegre)
Distrito Federal (Brasil) TV Alvorada (Brasília)
Paraná TV Paranaense (Curitiba)
Rede Unidas de Rádio
Rádio e Televisão Record S/A.
Rádio Panamericana S/A
País  Brasil
Frequência(s) Várias rádio AMs; eram as rádio Record, rádio Panamericana, etc.
Sede Bandeira da cidade de São Paulo.svg São Paulo, SP
Slogan Rede Unidas de Rádio, uma empresa do Grupo Paulo Machado de Carvalho.
Fundação 1946
Extinção 1970
Fundador Paulo Machado de Carvalho
Antônio Augusto Amaral de Carvalho Filho
Pertence a Grupo Paulo Machado de Carvalho
Proprietário(s) Paulo Machado de Carvalho
Idioma Língua portuguesa
Prefixo Vários
Cobertura Nacional

A Rede Unidas de Rádio e Televisão (também conhecida como Emissoras Unidas) formavam o conjunto de emissoras de radio e TV lideradas por emissoras de Paulo Machado de Carvalho.

História[editar | editar código-fonte]

A história da Rede Unidas de Televisão e Rádio, confunde-se em alguns pontos com as histórias da TV Record e da TV Rio. Em 1924, a RCA inaugurou a Rádio Transmissora no Rio de Janeiro, em 1928 um grupo de empresários paulistas fundam em São Paulo a Rádio Record. Em 1931 a Rádio Record é vendida para Paulo Machado de Carvalho, empresário paulista. Em 1935 conforme a política instituída pelo Estado Novo de Getúlio Vargas, a Rádio Transmissora foi vendida para empresários cariocas mudando seu nome para Rádio Rio.

Década de 1940: o início da rádios Record e Rio[editar | editar código-fonte]

Na década de 1940, a Rádio Rio recebe a concessão do canal 13 do Rio de Janeiro e a Rádio Record recebe a concessão do canal 7 de São Paulo. Em 1946 Paulo Machado de Carvalho reúne as emissoras de sua propriedade em São Paulo: Rádio Record, Rádio Excelsior, Rádio São Paulo, Rádio Panamericana, Rádio Bandeirantes e Rádio Cultura em uma associação que resolve chamar de Rede Unidas de Rádio. Em 1948 a Rádio Bandeirantes é vendida para Adhemar de Barros.

Década de 1950: o início das TVs Record e Rio[editar | editar código-fonte]

Em 1952, a Rádio Rio foi entregue ao Governo Federal que trocou seu nome para Rádio Mauá e deu-a ao Ministério do Trabalho, que não tinha interesse na emissora de televisão. A concessão do canal 13 do Rio de Janeiro foi vendida para uma associação entre Paulo Machado de Carvalho e seu cunhado João Batista do Amaral, também conhecido como "Pipa" do Amaral.

Em 1953 a rádio Rádio Excelsior é vendida para as Organizações Victor Costa e Paulo Machado de Carvalho inaugura a TV Record de São Paulo. Com as despesas para a montagem da TV Record em São Paulo, Paulo Machado de Carvalho desinterou-se pela emissora carioca e vendeu a sua parte ao seu primo "Pipa" do Amaral, ambos porém concordaram que para enfrentar sua principal concorrente a TV Tupi tanto do Rio de Janeiro quanto a de São Paulo, deveriam se associar. Essa associação em 1959 acabou incluindo a futura TV Rio e a TV Record na Rede Unidas de Televisão.

Com a inauguração da TV Rio em 1955, a Rede Unidas de Televisão se fortaleceu, passando a ter um representante no Rio de Janeiro. Em 1956, um incêndio nos estúdios da Rádio São Paulo abala a estrutura das Emissoras Unidas, mesmo assim, em 1956, Paulo Machado de Carvalho e João Batista do Amaral, decidem construir um "link" entre Rio de Janeiro e São Paulo, a exemplo dos que existiam nos Estados Unidos, através de transmissão "cidade a cidade" via UHF, que era na época a forma mais moderna de transmissão a longa distância. A TV Rio construiria o link até a metade do percurso, entre o Rio de Janeiro e Guaratinguetá em São Paulo e a TV Record completaria o "link" para São Paulo.

Em 1957 é realizada a primeira transmissão ao vivo do Rio de Janeiro para São Paulo, o "Grande Prêmio Brasil de Turfe", direto do Hipódromo da Gávea. Ainda em 1957 foi transmitida a partida de futebol entre Brasil e Inglaterra, direto do Maracanã, amistoso importante como preparatório para a Copa de 58 e também a inauguração das primeiras sub-estações, em Santos SP da TV Record e em Guaratinguetá SP (o canal 12), cidade vizinha a Aparecida do Norte, da TV Rio, que transmitiu a missa em 12 de outubro direto da Basílica de Aparecida. Em 1958 é lançado pelas duas emissoras, a TV Rio e a TV Record, um programa diário o Show 713 (sete da TV Record e treze da TV Rio), que era produzido pelas duas emissoras em conjunto, de segunda a sexta, ao meio dia. O programa durou até 1962, quando foi substituído por novas atrações vespertinas das duas emissoras.

Outras produções também se utilizaram do "link" de transmissão direta entre as duas cidades, como: A Turma dos Sete (programa infantil produzido pela TV Record e exibido de segunda a sexta às sete horas e sete minutos da noite), Noites Cariocas (show noturno produzido pela TV Rio e exibido às sextas feiras), Gessy às dez (programa de entrevistas apresentado por Tonia Carrero na TV Record, sexta às dez da noite, patrocinado por Gessy Lever) e muitos outros.

Nos anos seguintes, surgiram novas sub-estações como em Nova Friburgo RJ (o canal 3), em Juiz de Fora MG (o canal 5), em Campos dos Goytacazes RJ (o canal 8), em Vitória ES (o canal 2), em Cachoeiro de Itapemirim ES (o canal 5), em Conselheiro Lafaiete MG (o canal 6) e em Belo Horizonte MG (o canal 12).

Década de 1960[editar | editar código-fonte]

Em abril de 1960 a TV Rio inaugura a TV Alvorada Brasília, ampliando a área de atuação, mas, em maio daquele ano, um grande incêndio destrói os estúdios da TV Record, fazendo com que a emissora de televisão paulista passe a transmitir vários programas diretos da TV Rio, até que possa recompor sua estrutura. No inicio da década de 1960, juntou-se às Rede Unidas de Televisão, a TV Gaúcha canal 12 de Porto Alegre, hoje RBS, a TV Jornal do Commercio canal 2 de Recife, hoje TV Jornal (SBT), a TV Paranaense canal 12 de Curitiba (atual RPC Curitiba), a TV Morena canal 6 de Campo Grande e a TV Anhanguera canal 2 de Goiânia.

Desentendimentos e reestruturação[editar | editar código-fonte]

Em 1967, com o desentendimento entre as emissoras principais TV Rio e TV Record (a TV Rio adquiriu direitos de transmissão da novela da TV Tupi, O Direito de Nascer em 1964 e recusava-se a exibir alguns programas de São Paulo e a TV Record, em retaliação, vendeu direitos de exibição da Família Trapo e "Essa Noite se Improvisa" para a TV Tupi Rio de Janeiro em 1967 e 1968); a associação começou a desintegrar-se e numa tentativa de reestruturação mudou de nome em 1967 para REI (Rede de Emissoras Independentes). Também em 1967 a TV Rio vende o canal 12 de Belo Horizonte, o canal 6 de Conselheiro Lafaiete e o canal 5 de Juiz de Fora para a Rede Globo. Mas as desavenças continuaram, a TV Rio comprou os direitos de exibição no Rio de Janeiro de programas diversos da TV Bandeirantes, tais como o "Sítio do Pica-pau Amarelo", "Teatro Cacilda Becker" e algumas novelas como Nunca É Tarde Demais e Era Preciso Voltar.

Década de 1970: o fim da Rêde Unidas de Rádio e Televisão[editar | editar código-fonte]

Sede da Rede Record, o atual Teatro Record, em São Paulo, localizado hoje na Barra Funda.

Os problemas se arrastaram até o inicio da década de 1970 quando a TV Alvorada Brasília foi vendida em 1970 para a Rádio Capital e a TV Rio também foi vendida em 1972. Por essa época várias emissoras da rede já haviam migrado para a Rede Globo, encerrando de vez a associação entre as emissoras.

As integrantes hoje[editar | editar código-fonte]

Tanto a TV Record quanto a TV Rio (atual Record RJ) compõem juntas a Rede Record controlada por Edir Macedo. Integram também a rede a TV Vitória, a TV Alvorada (atual Record DF) e a retransmissora de Guaratinguetá (retransmite a Record SP).

As repetidoras de Belo Horizonte, Juiz de Fora e Campos dos Goytacazes hoje integram a Rede Globo, assim como a TV Gaúcha (hoje RBS TV), a TV Paranaense (atual RPC Curitiba), a TV Morena (atual RMT) e a TV Anhanguera. Das afiliadas, apenas a TV Jornal e a retransmissora de Nova Friburgo (SBT Interior) foram para o SBT. A retransmissora de Cachoeiro de Itapemirim hoje abriga uma retransmissora da TV Canção Nova.

Das rádios, cada emissora trilhou seu rumo:

A Rádio Bandeirantes e a Rádio Panamericana hoje formam gigantes redes de rádio, sendo que a Panamericana hoje se divide em Rede Jovem Pan, Jovem Pan News e Jovem Pan FM (respectivamente para os segmentos jornalístico local, jornalístico hard news e jovem). Além da Rádio Bandeirantes propriamente dita, existem as redes Band FM (segmento popular), BandNews FM (jornalística de transmissão exclusiva em FM) e Bradesco Esportes FM (emissora esportiva também de transmissão exclusiva em FM, em parceria com o Grupo Bel), além de operar emissoras em outras cidades (Ipanema, Educadora FM, MPB Brasil, etc.).

As Rádios Record e SP foram vendidas para Edir Macedo. As emissoras transmitem em AM a programação da Igreja Universal do Reino de Deus.

A Rádio Cultura hoje transmite em caráter público/educacional, com programação musical.

A Rádio Excelsior passou a ser a Rádio Mundial, e o nome Excelsior hoje serve de razão social para a afiliada paulista da CBN.

A Rádio Anhanguera AM hoje foi revendida e virou a Rádio Daqui, e a emissora FM é a atual CBN Goiânia.

A Rádio Gaúcha hoje firma-se como a maior rede de rádios do Sul do país, também pertencente ao Grupo RBS.

Slogans[editar | editar código-fonte]

Composição[editar | editar código-fonte]

Emissoras de televisão[editar | editar código-fonte]

Geradoras de programação:

Emissora Própria:

Retransmissoras:

Emissoras Afiliadas:

Emissoras de rádio[editar | editar código-fonte]

São Paulo[editar | editar código-fonte]

Rio Grande do Sul[editar | editar código-fonte]

Goiás[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]