Emma Mærsk

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Emma Mærsk
Emma Mærsk2.jpg
Emma Mærsk (setembro 2006).
Carreira  Dinamarca
Proprietário A.P. Moller-Maersk Group[1]
Operador Maersk Line
Homônimo Emma Neergaard Rasmussen
Lançamento 18 de maio de 2006
Viagem inaugural 8 de setembro de 2006
Porto de registro Taarbæk, Dinamarca
Número de registro IMO 9321483
Estado Em operação
Características gerais
Classe Classe Mærsk E
Tonelagem 170 974 bt
Largura 56 m
Maquinário Wartsila Sulzer RTA96-C, pesando 2 300 t[2]
Comprimento 397 m
Propulsão 108 920 hp a 102 rpm
Velocidade 25,5 nós
Carga 14 770 TEU

O Emma Mærsk é um navio porta-contentores dinamarquês. Em 2010 o navio passou a ser a maior embarcação do mundo,[3] quando começou a ser desmontado na Índia o superpetroleiro Knock Nevis que ostentava esta marca anteriormente.

O Emma Mærsk é o navio líder da Classe Mærsk E, que é composta por 8 navios com as mesmas características.[4]

O nome do navio é uma homenagem a Emma Mc-Kinney Møller esposa de Mærsk Mc-Kinney Møller sócio do grupo empresarial A.P. Moller-Maersk.[5]

Características[editar | editar código-fonte]

Quadro comparativo de tamanho

O Emma Maersk está registrado na Dinamarca e entrou em operação em setembro de 2006 atuando na rota da Ásia à Europa.

Com seus 397 metros de comprimento e 56 metros de boca, pode transportar cerca de 14.770 conteiners de 20 pés.[1][6]

O navio é movido por um Wärtsilä-Sulzer 14RTFLEX96-C, a maior unidade a diesel do mundo, com um potência dee 81 MW (109.000 hp). O seu consumo é de 14.000 litros de óleo combustível pesado por hora.[7][8][9]

A pintura de seu casco a base de silicone, reduz a resistência da água e com isso é economizado cerca de 1,2 milhão de litros de combustível por ano.[1][10]

Possui 11 gruas para o auxilio de carregamento e descarregamento.

História[editar | editar código-fonte]

O navio foi batizado em 12 de agosto de 2006, e recebeu o nome da falecida esposa de Mærsk Mc-Kinney Møller. Em sua viagem inaugural em 8 de setembro de 2006, partiu de Aarhus, com escala em Gotemburgo, Bremerhaven, Rotterdam, Algeciras, passando pelo Canal de Suez, chegando em Cingapura em 1 de outubro.[11]

Em 2008, o navio apareceu em um episódio da série de documentários para a televisão Mighty Ships , durante uma viagem entre a Malásia e a Espanha.[12]

Em 2011, o Banco Nacional da Dinamarca emitiu uma moeda comemorativa de 20 DKK em homenagem ao Emma Maersk.[13]

O Emma Mærsk em uma foto aérea

Incidentes e acidentes[editar | editar código-fonte]

O navio foi construído no estaleiro Odense Staalskibsværft localizado no município de Odense na Dinamarca. Durante a construção em consequência de uma operação de soldagem, a ponte de comando do navio pegou fogo, que se alastrou para outros pisos inclusive as cabines. O incêndio de grandes proporções foi extinto por bombeiros locais e tripulantes. O acidente ocasionou um atraso na entrega da embarcação.[14][5]

Durante uma travessia do Canal de Suez em 1 de fevereiro de 2013, o navio sofreu uma avaria em seu sistema propulsor de popa e passou a fazer água. Sem condições de manobrar a embarcação foi rebocada até Porto Said, onde descarregou sua carga de 13.500 contêineres e passou por reparos.[15][16][17][18][19][20]

Em 15 de fevereiro de 2013, o navio deixou o Port Said rebocado em direção a um estaleiro em Palermo, para avaliação e reparos adicionais. Em 25 de fevereiro aportou na Sicília, o motor que tinha sido inundado foi desmontado e reparado em um conserto previsto para quatro meses a um custo de US$ 44,5 milhões. Em agosto de 2013 o Emma Maersk voltou ao serviço.[21][22][23][24][25]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c «Emma Maersk / Container vessel specifications» (em inglês). Maersk Line. Consultado em 1 de agosto de 2012 
  2. «Wartsila Sulzer RTA96-C / Engine» (em inglês). Consultado em 8 de setembro de 2020 
  3. «World's Biggest Engine - Most Powerful Engine – Emma Maersk's $170 Million Investment - and World's Largest Ship» (em inglês). HubPages Inc. Consultado em 1 de agosto de 2012 
  4. «Emma Maersk - Container Ship» (em inglês). ship-technology. Consultado em 1 de agosto de 2012 
  5. a b «Emma Maersk / History» (em inglês). Maersk Line. Consultado em 1 de agosto de 2012 
  6. Vessels Arquivado em 12 de março de 2012 no Wayback Machine. Maersk Line, 1 de junho de 2010; acessado em 16 de junho de 2010.
  7. «Wärtsilä RT-flex96C technical information». Consultado em 23 de novembro de 2011. Cópia arquivada em 18 de novembro de 2011 
  8. Wartsila Sulzer RTA96-C / Engine page Arquivado em 10 de abril de 2020 no Wayback Machine.
  9. The Largest And Most Powerful Diesel Engine in The World Arquivado em 15 de fevereiro de 2020 no Wayback Machine., amusingplanet.com.
  10. Koepf, Pam (2006), «Overachievers We Love», Popular Science, 269 (6): 24 
  11. «Sailing Schedule». Maersk Line. Consultado em 5 de março de 2015. Cópia arquivada em 29 de junho de 2007 
  12. «Mighty Ships». discoveryhd.ca. CTV Global Media. Consultado em 4 de agosto de 2014. Cópia arquivada em 15 de setembro de 2008 
  13. «National Bank of Denmark issues commemorative coin for the Emma Mærsk». National Bank of Denmark. 15 de setembro de 2011. Consultado em 5 de março de 2015. Cópia arquivada em 16 de outubro de 2013 
  14. John Konrad (5 de abril de 2011). «Emma Maersk – The Secret Story of Building The World's Largest Container Ship» (em inglês). gCaptain. Consultado em 1 de agosto de 2012 
  15. "Here it comes Arquivado em 22 de novembro de 2013 no Wayback Machine." page 29-31, Maersk Post (June 2013); acessado em 22 de setembro de 2013.
  16. «Accident report» (PDF). Consultado em 20 de junho de 2018. Cópia arquivada (PDF) em 12 de janeiro de 2016 
  17. «Emma Maersk ship faces leakage in Suez Canal». Egypt Independent/Al-Masry Al-Youm. 2 de fevereiro de 2013. Consultado em 2 de fevereiro de 2013. Cópia arquivada em 5 de fevereiro de 2013 
  18. Hjorth, Mikael (2 de fevereiro de 2013). «"Emma Mærsk" tog vand ind i Suez-kanalen». Consultado em 2 de fevereiro de 2013. Cópia arquivada em 27 de setembro de 2013  [1] Arquivado em 11 de maio de 2017 no Wayback Machine.
  19. Hjorth, Mikael (2 de fevereiro de 2013). «Såret Mærsk-gigant undersøges af dykkere». Consultado em 2 de fevereiro de 2013. Cópia arquivada em 11 de fevereiro de 2013  [2] Arquivado em 11 de maio de 2017 no Wayback Machine.
  20. «Kæmpe Mærsk-skib tager vand ind: Nu skal 13.500 containerne læsses af». Politiken. 2 de fevereiro de 2013. Consultado em 2 de fevereiro de 2013. Cópia arquivada em 5 de fevereiro de 2013  English translation Arquivado em 11 de maio de 2017 no Wayback Machine.
  21. «Emma Maersk: after immediate repairs, the onward journey begins». Maersk Line. 15 de fevereiro de 2013. Consultado em 16 de fevereiro de 2013. Cópia arquivada em 24 de fevereiro de 2013 
  22. «Arrivata a Palermo la Emma Maersk la portacontainer più grande del mondo». Consultado em 12 de março de 2013. Cópia arquivada em 2 de março de 2013 
  23. KRISTIANSEN, TOMAS (13 de agosto de 2013). «This is how the Emma Maersk bill will be settled» (em inglês). Consultado em 1 de abril de 2019. Cópia arquivada em 1 de abril de 2019 
  24. OLE ANDERSEN. "Emma Maersk sails again Arquivado em 27 de setembro de 2013 no Wayback Machine." ShippingWatch, 1 de agosto de 2013. acessado em 22 de setembro de 2013.
  25. TOMAS KRISTIANSEN. "Here comes the bill for Emma Maersk Arquivado em 27 de setembro de 2013 no Wayback Machine." ShippingWatch, 13 de agosto de 2013; acessado em 22 de setembro de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Emma Mærsk