Emmanuel Adebayor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Emmanuel Adebayor
Emmanuel Adebayor
Adebayor no Manchester City em 2009
Informações pessoais
Nome completo Emmanuel Sheyi Adebayor
Data de nasc. 26 de fevereiro de 1984 (38 anos)
Local de nasc. Lomé, Togo
Nacionalidade togolês
Altura 1,92 m
destro
Informações profissionais
Clube atual aposentado
Posição centroavante
Clubes de juventude
1998–1999
1999–2001
OC Agaza
Metz
Clubes profissionais
Anos Clubes
2001–2003
2003–2006
2006–2009
2009–2012
2011
2011–2012
2012–2015
2016
2017–2019
2019
2020
Metz
Monaco
Arsenal
Manchester City
Real Madrid (emp.)
Tottenham (emp.)
Tottenham
Crystal Palace
İstanbul Başakşehir
Kayserispor
Olimpia
Seleção nacional
2000–2019 Togo

Emmanuel Sheyi Adebayor (Lomé, 26 de fevereiro de 1984) é um ex-futebolista togolês que atuava como centroavante.

Jogador de área e com faro de gol, tinha como principais características a força física, o bom cabeceio, a finalização e o espírito coletivo. Um dos maiores jogadores da história da Seleção Togolesa, o atacante chegou a anunciar a aposentadoria dela após o ataque terrorista de 2010, mas retornou em novembro de 2011. Pela Seleção, figurou no elenco que disputou a Copa do Mundo FIFA de 2006, realizada na Alemanha, a estreia do pequeno país numa Copa do Mundo FIFA.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Adebayor tem raízes iorubás, uma das principais etnias da Nigéria, de onde vieram seus pais. O atacante começou sua carreira profissional em um acampamento de treinamento em Lomé, capital do Togo. Foi contratado pelo Metz em 1999, e depois de dois anos jogando no Sub-17 da equipe francesa, foi promovido ao time profissional. Em sua primeira temporada, ele disputou nove jogos e fez dois gols. Na temporada 2002–03, Adebayor marcou 17 vezes em 35 jogos, chamando assim a atenção de grandes clubes europeus como Arsenal e Juventus.

Porém, assinou com o Monaco em 2003. Ele marcou sete vezes em 17 jogos na temporada 2003–04, ajudando o clube francês a chegar na final da Liga dos Campeões da UEFA, onde terminaram com o vice após perderem por 3 a 0 para o Porto.[1] Adebayor marcou dois gols em dez 10 partidas na competição.

Arsenal[editar | editar código-fonte]

Adebayor atuando pelo Arsenal em 2008

Foi contratado pelo Arsenal no dia 13 de janeiro de 2006, por 3 milhões de libras.[2] Logo em sua estreia na Premier League, na vitória por 2 a 0 contra o Birmingham City, o atacante marcou aos 21 minutos do 1º tempo. Ao término da primeira temporada, tendo marcado quatro gols em dez partidas, Adebayor não atuou na final da Liga dos Campeões da UEFA, onde os Gunners acabaram derrotados pelo Barcelona por 2 a 1.[3]

O atacante se firmou de vez no Arsenal na temporada 2006–07, atuando ao lado do francês Thierry Henry. No dia 17 de setembro de 2006, Adebayor marcou na vitória de 1 a 0 contra o rival Manchester United, em jogo realizado no Old Trafford. O português Cristiano Ronaldo perdeu a posse da bola para Cesc Fàbregas, que logo cruzou para Adebayor bater sem chances para o goleiro Tomasz Kuszczak.[4] Já no dia 8 de novembro, o centroavante marcou o único gol na final da Copa da Inglaterra, garantindo o triunfo contra o Everton. Voltou a ter boa atuação no dia 2 de dezembro, ao marcar o primeiro gol na vitória por 3 a 0 em cima do Tottenham, válida pela Premier League. Já no dia 13 de dezembro, Adebayor mais uma vez demonstrou sua habilidade e deu a vitória ao Arsenal por 1 a 0 contra Wigan. No dia 16 de dezembro, o atacante deu, mais uma vez, a vitória ao Arsenal, dessa vez por 2 a 0, contra o Portsmouth; ele marcou após receber um excelente cruzamento do brasileiro Gilberto Silva. O togolês teve grande atuação no dia 23 de dezembro, na goleada por 6 a 2 em cima do Blackburn. Mesmo sem marcar, foi peça fundamental no ataque e deu duas assistências na partida, uma para Alexander Hleb e outra para Robin van Persie. Adebayor voltou a balançar as redes na semifinal da Copa da Liga Inglesa; o atacante recebeu cruzamento do meia Tomáš Rosický e finalizou de primeira, num belo chute, marcando um golaço.

Ele foi nomeado o Futebolista Africano do Ano em 2008, em prêmio dado pela Confederação Africana de Futebol.[5] Um ano antes, havia recebido o prêmio de mesmo nome, porém entregue pela BBC.

Canção[editar | editar código-fonte]

Os torcedores do Arsenal fizeram uma canção para Adebayor, que era usada frequentemente ao canto de "Ade-bay-or, Ade-bay-or". Após a saída do clube londrino, porém, os torcedores do clube adquiriram ódio pelo jogador, que chegou a provocá-los após marcar um gol sobre o Arsenal, atuando pelo Manchester City.[6]

Manchester City[editar | editar código-fonte]

Foi anunciado pelo Manchester City no dia 18 de julho de 2009, por uma taxa de transferência de aproximadamente 25 milhões de libras (29 milhões de euros). O atacante assinou com os Citizens por cinco temporadas.[7]

Marcou seu primeiro gol pela nova equipe no dia 15 de agosto, na vitória de 2 a 0 contra o Blackburn, fora de casa.[8] Voltou a balançar as redes no dia 22 de agosto, na vitória de 1 a 0 contra o Wolverhampton, onde atuou ao lado do argentino Carlos Tévez.[9] Marcou seu terceiro gol pela equipe no triunfo por 1 a 0 contra o Portsmouth. Marcou seu quarto gol em cima de seu ex-clube, o Arsenal, na vitória do City por 4 a 2, realizada no City of Manchester Stadium.[10] Nesta partida, o atacante Van Persie o acusou de ter chutado seu rosto,[11] e Adebayor foi punido por três partidas. O togolês também foi duramente criticado por provocações que fez à torcida do Arsenal, chegando a atravessar todo o gramado para ir comemorar o gol do City em frente à torcida adversária. Dias depois, Adebayor pediu desculpas publicamente à torcida dos Gunners. O treinador Mark Hughes sugeriu que Adebayor fez isto porque queria ser amado pela torcida do Manchester City.

Após a chegada do técnico Roberto Mancini na temporada 2010–11, Adebayor passou a ter poucas chances como titular. O togolês enfrentou uma grande concorrência no ataque, que contava com Carlos Tévez, Mario Balotelli e Edin Džeko. Ainda assim, marcou cinco gols em 14 partidas.

Real Madrid[editar | editar código-fonte]

Insatisfeito com a reserva no City, Adebayor foi anunciado como reforço do Real Madrid no dia 25 de janeiro de 2011, assinando por empréstimo até o final da temporada.[12][13] Marcou seu primeiro gol dias depois, na vitória por 2 a 0 sobre o Sevilla, válida pela Copa do Rei. Curiosamente, esse tento foi o gol de número 5 mil do Real Madrid em partidas como mandante.[14] Voltou a balançar as redes no dia 6 de fevereiro, marcando o último da goleada por 4 a 1 sobre a Real Sociedad, seu primeiro gol na La Liga.[15]

Tottenham[editar | editar código-fonte]

No dia 25 de agosto de 2011, foi confirmado um novo empréstimo de Adebayor, desta vez ao Tottenham Hotspur,[16] principal arquirrival do clube onde alcançou o auge de sua carreira, o Arsenal. O empréstimo durou até o fim da temporada 2010–11, e neste período Adebayor firmou-se como o principal artilheiro dos Spurs na Premier League, com 17 gols em 33 jogos, além de mais um gol pela Copa da Inglaterra.

O bom desempenho no período emprestado fez com que o Tottenham aceitasse pagar mais cinco milhões de libras ao Manchester City, dono do passe de Adebayor, no fim da temporada. A transferência em definitivo do jogador foi concluída no dia 21 de agosto de 2012.[17][18][19] No dia 14 de março de 2013, contra a Internazionale, marcou na prorrogação o gol que garantiu a classificação do Tottenham para as quartas de final da Liga Europa da UEFA.[20][21] Voltou a balançar as redes no dia 8 de maio, ao marcar no empate de 2 a 2 contra o Chelsea, em jogo válido pela Premier League.[22] Já no dia 12 de maio, Adebayor marcou o gol da vitória de 2 a 1 contra o Stoke City por 2 a 1 em de 2013, novamente pela Premier League.[23]

Olimpia[editar | editar código-fonte]

Foi anunciado como novo reforço do Olimpia, do Paraguai, no dia 7 de fevereiro de 2020. O centroavante Roque Santa Cruz, seu ex-companheiro de Manchester City, ajudou nas negociações.[24]

No dia 11 de março, em partida válida pela Copa Libertadores contra a equipe do Defensa y Justicia, foi expulso após acertar um pontapé não intencional em um adversário. Na ocasião, o Olimpia venceu por 2 a 1.[25] Já no dia 30 de junho, após cinco meses atuando no Paraguai, rescindiu seu contrato e deixou o clube.[26][27]

Seleção Nacional[editar | editar código-fonte]

Adebayor com a Seleção Togolesa

Adebayor foi fundamental para classificar a Seleção Togolesa para a Copa do Mundo FIFA de 2006, realizada na Alemanha. O atacante marcou 11 gols nas Eliminatórias Africanas.

A primeira ação dele foi classificar o Togo para a Copa das Nações Africanas de 2006, onde foi apenas um reserva no primeiro jogo de sua seleção. Após a partida, Adebayor teve um desentendimento com o treinador, pelo fato de ter começado no banco, e primeiro prometeu deixar a seleção e retornar para casa, embora mais tarde ele tenha voltado a treinar com a equipe. O Togo foi eliminado na primeira fase do torneio, após perder todas as três partidas.

No dia 11 de outubro de 2008, ele marcou quatro gols na goleada togolesa por 6 a 0 sobre a Suazilândia durante as Eliminatórias Africanas para a Copa do Mundo FIFA de 2010.[28]

Ataque terrorista[editar | editar código-fonte]

No dia 8 de janeiro de 2010, Adebayor e seus companheiros de Seleção Togolesa foram vítimas de um ataque terrorista de um grupo rebelde angolano, quando se dirigiam ao local em que a equipe se hospedaria para a Copa Africana de Nações.[29] O ônibus da delegação foi metralhado próximo da fronteira do país. O grupo rebelde de Cabinda, que briga pela independência da região, assumiu a autoria do atentado. O motorista do ônibus morreu, e dois jogadores ficaram feridos.[30] No dia seguinte ao atentado, a delegação togolesa decidiu por abandonar o torneio.[31]

Aposentadoria[editar | editar código-fonte]

No dia 12 de abril de 2010, após o violento ataque terrorista que presenciou com a Seleção Togolesa, Emmanuel Adebayor anunciou oficialmente sua aposentadoria da equipe nacional.[32][33]

Retorno à Seleção[editar | editar código-fonte]

Adebeyor posteriormente retornou à Seleção em novembro de 2011, após ter recebido garantias da Federação de Togo em matéria de segurança.[34] O atacante voltou a atuar na vitória por 1 a 0 sobre Guiné-Bissau, em jogo válido pelas Eliminatórias da Copa do Mundo FIFA de 2014.[35]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Atualizadas até o dia 21 de agosto de 2012[36][37]

Clubes[editar | editar código-fonte]

Clube Temporada Liga Copa Competições
europeias
Total
Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist.
Metz 2001–02 10 2 1 0 11 2
2002–03 34 13 8 4 42 17
Total 44 15 9 4 53 19
Monaco 2003–04 31 8 4 0 9 0 44 8
2004–05 34 9 6 3 10 2 50 14
2005–06 13 1 1 1 0 7 3 3 21 4 4
Total 78 18 11 3 26 5 115 26
Arsenal 2005–06 13 4 4 0 0 0 0 0 0 13 4 4
2006–07 29 8 6 7 4 0 8 0 0 44 12 6
2007–08 36 24 4 3 3 0 9 3 1 48 30 5
2008–09 26 10 5 2 0 0 9 6 2 37 16 7
Total 104 46 19 12 7 0 26 9 3 142 62 22
Manchester City 2009–10 26 14 5 5 0 1 31 14 6
2010–11 8 1 0 0 0 0 6 4 0 14 5 0
Total 34 15 5 5 0 1 6 4 0 45 19 6
Real Madrid 2010–11 14 5 0 2 1 0 6 2 0 22 8 0
Total 14 5 0 2 1 0 6 2 0 22 8 0
Tottenham 2011–12 33 17 11 4 1 1 0 0 0 37 18 12
2012–13 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
Total 33 17 11 4 1 1 0 0 0 37 18 12
Total na carreira 307 116 36 43 16 2 64 20 6 414 152 44

Títulos[editar | editar código-fonte]

Arsenal
Real Madrid

Campanhas de destaque[editar | editar código-fonte]

Monaco
Arsenal

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Há 15 anos, Porto de Mourinho derrotava Monaco na final da Liga dos Campeões». Gazeta Esportiva. 26 de maio de 2019. Consultado em 11 de maio de 2022 
  2. «Adebayor makes move to Highbury» (em inglês). BBC Sport. 13 de janeiro de 2006. Consultado em 11 de maio de 2022 
  3. Bruno Bonsanti (23 de fevereiro de 2016). «Como a final de 2006 consagrou o Barça de Ronaldinho e moldou o destino do Arsenal». Trivela. Consultado em 11 de maio de 2022 
  4. John May (17 de setembro de 2006). «Man Utd 0-1 Arsenal» (em inglês). BBC Sport. Consultado em 11 de maio de 2022 
  5. «Emmanuel Adebayor Named African Player Of The Year» (em inglês). Goal.com. 11 de fevereiro de 2009. Consultado em 11 de maio de 2022 
  6. «Adebayor provoca torcida do Arsenal em comemoração». UOL. 28 de novembro de 2014. Consultado em 11 de maio de 2022 
  7. «City Seal Adebayor Swoop» (em inglês). Sky Sports. 18 de julho de 2009. Consultado em 11 de maio de 2022 
  8. «Blackburn 0–2 Man City» (em inglês). BBC Sport. 15 de agosto de 2009. Consultado em 11 de maio de 2022 
  9. Phil McNulty (22 de agosto de 2009). «Man City 1–0 Wolverhampton» (em inglês). BBC Sport. Consultado em 11 de maio de 2022 
  10. «Sem Tevez e Robinho, Adebayor comanda a festa do City contra o Arsenal». GloboEsporte.com. 12 de setembro de 2009. Consultado em 11 de maio de 2022 
  11. «Van Persie acusa Adebayor de ser desleal». GloboEsporte.com. 13 de setembro de 2009. Consultado em 11 de maio de 2022 
  12. «Adebayor: "Chego ao melhor clube do mundo"». Trivela. 27 de janeiro de 2011. Consultado em 11 de maio de 2022 
  13. «Adebayor: goles, poderío físico y habilidad al servicio del Real Madrid» (em espanhol). Site oficial do Real Madrid. Consultado em 25 de janeiro de 2011. Arquivado do original em 29 de janeiro de 2011 
  14. «Adebayor comemora primeiro gol pelo Real e elogia elenco galáctico». GloboEsporte.com. 3 de fevereiro de 2011. Consultado em 11 de maio de 2022 
  15. «Kaká e Cristiano Ronaldo brilham no primeiro tempo, e Real Madrid goleia». GloboEsporte.com. 6 de fevereiro de 2011. Consultado em 11 de maio de 2022 
  16. «Adebayor completes loan switch» (em inglês). tottenhamhotspur.com. Consultado em 25 de agosto de 2011 
  17. «Interessado em Damião, Tottenham oficializa a contratação de Adebayor». GZH. 21 de agosto de 2012. Consultado em 11 de maio de 2022 
  18. «Tottenham anuncia a contratação em definitivo do atacante Emmanuel Adebayor». Superesportes. 21 de agosto de 2012. Consultado em 11 de maio de 2022 
  19. Jeremy Wilson (21 de agosto de 2012). «Tottenham confirm signing of Emmanuel Adebayor from Manchester City in deal worth £9m» (em inglês). The Telegraph. Consultado em 11 de maio de 2022 
  20. «Inter devolve goleada ao Tottenham, mas é eliminado da Liga Europa na prorrogação». oGol. 14 de março de 2013. Consultado em 11 de maio de 2022 
  21. «Inter faz quatro, mas gol de Adebayor garante a classificação do Tottenham». GloboEsporte.com. 14 de março de 2013. Consultado em 11 de maio de 2022 
  22. «Oscar e Ramires marcam, mas Blues cedem empate para os Spurs em casa». GloboEsporte.com. 8 de maio de 2013. Consultado em 11 de maio de 2022 
  23. «Bale tira 'folga', e Adebayor vira herói do Tottenham em vitória sobre Stoke». GloboEsporte.com. 12 de maio de 2013. Consultado em 11 de maio de 2022 
  24. «Ex-Real Madrid e Manchester City, Adebayor vai reforçar o Olímpia na disputa da Libertadores». GloboEsporte.com. 7 de fevereiro de 2020. Consultado em 30 de junho de 2020 
  25. «Sem torcida, Olimpia tem Adebayor expulso, mas vence Defensa y Justicia pelo grupo do Santos». GloboEsporte.com. 11 de março de 2020. Consultado em 30 de junho de 2020 
  26. «Com apenas quatro jogos e nenhum gol marcado, Adebayor deixa o Olimpia após cinco meses». TNT Sports. 30 de junho de 2020. Consultado em 11 de maio de 2022 
  27. «Passagem relâmpago: Olimpia e Adebayor têm acordo para rescisão de contrato». GloboEsporte.com. 30 de junho de 2020. Consultado em 11 de maio de 2022 
  28. «Togo vs Swaziland». Site oficial da FIFA. 11 de outubro de 2008. Consultado em 20 de dezembro de 2009. Arquivado do original em 26 de junho de 2010 
  29. «Ônibus da seleção do Togo é metralhado ao chegar a Angola para a Copa Africana». GloboEsporte.com. 8 de janeiro de 2010. Consultado em 11 de maio de 2022 
  30. «Rebeldes de Cabinda assumem autoria de ataque à seleção de Togo em Angola». GloboEsporte.com. 8 de janeiro de 2010. Consultado em 11 de maio de 2022 
  31. Arivaldo Maia (9 de janeiro de 2010). «Segundo rádio, seleção do Togo abandona a Copa Africana de Nações». GazetaWeb. Consultado em 11 de maio de 2022 
  32. a b «Ainda abalado com ataque em Angola, Adebayor não jogará mais por Togo». GloboEsporte.com. 12 de abril de 2010. Consultado em 11 de maio de 2022 
  33. «Adebayor se aposenta da seleção de Togo». Trivela. 12 de abril de 2010. Consultado em 11 de maio de 2022 
  34. Ibrahim Sannie (10 de novembro de 2011). «Tottenham's Adebayor comes out of Togo retirement» (em inglês). BBC SPORT. Consultado em 11 de maio de 2022 
  35. «Adebayor back for Togo» (em inglês). Eurosport. 15 de novembro de 2011. Consultado em 11 de maio de 2022 
  36. «Emmanuel Adebayor - Stats and titles won» (em inglês). FootballDatabase.eu. Consultado em 11 de maio de 2022 
  37. «Emmanuel Adebayor (Player)» (em inglês). National Football Teams. Consultado em 11 de maio de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]