Emmerico Nunes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Emmerico Hartwich Nunes
Emmerico Nunes, c. 1940
Nascimento 6 de janeiro de 1888
Lisboa
Morte 18 de janeiro de 1968
Nacionalidade Portugal portuguesa
Ocupação pintor, ilustrador, caricaturista

Emmerico Hartwich Nunes (Lisboa, 6 de Janeiro de 188818 de Janeiro de 1968), foi um pintor, ilustrador e caricaturista português. Pertence à primeira geração de artistas modernistas portugueses.[1]

Biografia / Obra[editar | editar código-fonte]

Domingos Rebelo, Eduardo Viana, Solá e Amadeo de Souza-Cardoso, Paris, 1910, desenho aguarelado, 19,8 x 16,6 cm

De ascendência portuguesa (pela parte do pai) e alemã (pela parte da mãe), a sua vida e obra seriam "fortemente marcadas pela sua condição de artista entre duas pátrias".[2]

Parte para Paris em 1906 (onde permanece até 1911), depois para Munique (1911-1914), tornando-se colaborador da revista semanal Meggendorfer Blätter. Após a eclosão da 1ª Guerra Mundial fixa residência em Zurique (1914-1918). Realiza exposições individuais na Suiça e em Lisboa e mantém a colaboração com a revista alemã. Regressa a Portugal em 1918. Torna-se colaborador efetivo da revista semanal Fliegende Blätter (1919-1936); colabora nas revistas espanholas Buen Humor, Esfera e Mundo Gráfico (1920-1936). Em Portugal, a partir da década de 1920, colabora em revistas como: ABC; ABC-zinho; Ilustração [3] (iniciada em 1926); Magazine Bertrand; O riso d'a vitória (1919-); Panorama (revista portuguesa de arte e turismo).[4][5]

Pintor, desenhador publicitário, ilustrador e restaurador de pinturas, é acima de tudo como desenhador humorista que se notabiliza, tendo exposto nas Exposições dos Humoristas entre 1912 e 1924. Para além de centenas de desenhos humorísticos publicados em periódicos alemães, suíços, holandeses, espanhóis e portugueses, a sua obra obra inclui uma importante produção de pintura (retrato, auto-retrato, paisagem).[6]

Expõe nas exposições da Sociedade Nacional de Belas Artes entre 1910 e 1956, tendo ganho a 1ª Medalha de caricatura em 1910 e a 2ª Medalha de pintura em 1917. Participa nas Exposições de Arte Moderna do S.P.N./S.N.I. de 1935 a 1951.

Entre 1937 e 1939 integra, juntamente com Bernardo Marques, Carlos Botelho, Fred Kradolfer, Thomaz de Mello e José Rocha, a equipa de decoradores do S.P.N. (Secretariado de Propaganda Nacional) encarregues da realização dos pavilhões de Portugal nas exposições de Paris, Nova Iorque e S. Francisco (Exposição Internacional de Artes e Técnicas, Paris, 1937; Feira Mundial de Nova Iorque, 1939; Exposição Internacional de S. Francisco, Califórnia, 1939). Participa na decoração da Exposição do Mundo Português, 1940, sendo agraciado com a comenda do Oficialato da Ordem de Cristo.[7][8]

Em 1972 a sua obra multifacetada foi apresentada no Secretariado Nacional de Informação, Lisboa.[9]

Em 2013 o Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão apresenta a exposição A obra perdida de Emmerico Nunes, que permite mostrar, pela primeira vez, um conjunto coerente da sua colaboração para o periódico alemão Meggendorfer Blätter.[10]

Morre em 1968, depois de ter vivido grande parte da sua vida em Sines, no Alentejo.

Embora de maneira secundária, "Emmerico Nunes ficou [...] ligado aos primórdios e à evolução do modernismo português e definindo, de certo modo, uma faceta do seu [...] ecletismo, nos anos 20 e 30, especialmente".[11]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. França, José Augusto - A Arte em Portugal no Século XX: 1911-1961 [1974]. Lisboa: Bertrand Editora, 1991, p. 33, 164.
  2. Centro de Arte Moderna, Fundação Calouste Gulbenkian – Emmerico Nunes. Página visitada em 16-04-2013
  3. Rita Correia (16 de Junho de 2009). «Ficha histórica: Ilustração (1926-)» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 06 de Novembro de 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  4. Nunes, Emmérico – Emmérico Nunes: Exposição retrospetiva da obra do pintor. Lisboa: Secretaria de Estado da Informação e Turismo, 1972
  5. A.A.V.V. – Os Anos Quartenta na Arte Portuguesa (tomo 1). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1982, p. 144
  6. Centro de Arte Moderna, Fundação Calouste Gulbenkian – Emmerico Nunes. Página visitada em 16-04-2013
  7. Nunes, Emmérico – Emmérico Nunes: Exposição retrospetiva da obra do pintor. Lisboa: Secretaria de Estado da Informação e Turismo, 1972
  8. A.A.V.V. – Os Anos Quartenta na Arte Portuguesa (tomo 1). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1982, p. 146
  9. Nunes, Emmérico – Emmérico Nunes: Exposição retrospetiva da obra do pintor. Lisboa: Secretaria de Estado da Informação e Turismo, 1972
  10. A obra perdida de Emmerico Nunes, Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão. Página visitada em 16-04-2013
  11. França, José Augusto - A Arte em Portugal no Século XX: 1911-1961 [1974]. Lisboa: Bertrand Editora, 1991, p. 165.