Emmy Hennings

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Emmy Hennings (Flensburg, 17 de janeiro de 1885 - Sorengo-Lugano, 10 de agosto de 1948) foi uma escritora (poeta e romancista) e performer alemã associada ao Movimento Dada em Zurique [1], participante do grupo original do Cabaret Voltaire.

Informação biográfica[editar | editar código-fonte]

Tendo conhecido Hugo Ball enquanto fazia uma apresentação no "Cabaret Simplizissimus" de Munique em 1913, posteriormente tornou-se sua esposa, e foi com este fundadora do clube onde se originou o Dadaísmo e onde foi escrito o seu primeiro manifesto, em 1916. Ambos teriam se inspirado nos cafés-cabaret muito populares na cidade de Munique para criar seu clube em Zurique, quando emigraram para a Suiça fugidos da Primeira Guerra Mundial, sendo Hugo Ball desertor do serviço militar em seu país.

Não tendo sido a contribuição de Hennings ao Dada profundamente analisada à parte da sua relação com Ball, considera-se, no entanto, que a artista teve uma contribuição essencial ao movimento, tendo seu espírito criativo, impulsivo e enigmático (em desacordo com a sua própria cultura materialista) representado uma personificação deste [2]. Artista de cabaret profissional, Emmy Hennings foi, muitas vezes, a estrela do Cabaret Voltaire, concebendo novas obras diariamente [3].

Obras selecionadas[editar | editar código-fonte]

  • Die letzte Freude, 1913 (poemas)
  • Gefängnis, 1919 (romance)

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]