Empréstimo hipotecário

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Finanças

Mercado financeiro
Ações
ETFs
Títulos e Obrigações
Corretoras de Valores
Forex
Derivativos
Commodity
Debênture
Direitos de subscrição
Certificado de depósito bancário
Comissão de Valores Mobiliários
Classificação de crédito

Imóveis

Sistema bancário
Banco Central do Brasil
Depósito
Empréstimo

Um empréstimo hipotecário ou simplesmente hipoteca é um empréstimo usado tanto pelos compradores de imóveis para angariar fundos para comprar imóveis, ou, alternativamente, pelos proprietários para angariar fundos existentes para qualquer finalidade ao mesmo tempo dando como garantia real a propriedade sendo hipotecada. O empréstimo é "garantido" nas propriedades do tomador através de um processo conhecido como originação de hipotecas. Isso significa que é criado um mecanismo legal que permite ao credor tomar posse e vender a propriedade garantida ("execução duma hipoteca" ou "reintegração de posse") para quitar o empréstimo no caso de o devedor deixar de cumprir o empréstimo ou de outra forma deixar de cumprir por seus termos. A palavra hipoteca é derivada de um termo do direito francês usado na Grã-Bretanha na Idade Média, que significa "penhor de morte" e refere-se ao penhor que termina (morrendo) quando a obrigação é cumprida ou a propriedade é tomada por execução duma hipoteca.[1] Uma hipoteca também pode ser descrita como "um tomador de empréstimo considerando a forma de uma garantia por um benefício (empréstimo)"[2].

Os tomadores de empréstimos hipotecários podem ser indivíduos hipotecando sua casa ou empresas hipotecando imóveis comerciais (por exemplo, suas próprias instalações comerciais, imóveis residenciais destinados a inquilinos ou uma carteira de investimentos). O credor normalmente será uma instituição financeira, como um banco, cooperativa de crédito ou sociedade civil, dependendo do país em questão, e os acordos de empréstimo podem ser feitos direta ou indiretamente por meio de intermediários. Recursos de empréstimos hipotecários, como o tamanho do empréstimo, vencimento do empréstimo, taxa de juros, método de pagamento do empréstimo e outras características, podem variar consideravelmente. Os direitos do credor sobre a propriedade garantida têm prioridade sobre os outros credores do mutuário, o que significa que, se o mutuário se tornar falido ou insolvente, os outros credores serão reembolsados apenas pelas dívidas que lhes são devidas pela venda da propriedade garantida se o credor hipotecário for reembolsado integralmente primeiro.

Em muitas jurisdições, é normal que as compras de imóveis sejam financiadas por um empréstimo hipotecário. Poucas pessoas têm poupanças suficientes ou fundos líquidos para poderem comprar imóveis imediatamente. Nos países onde a demanda por imóveis residenciais é mais alta, fortes mercados domésticos de hipotecas se desenvolveram. As hipotecas podem ser financiadas pelo setor bancário (ou seja, por meio de depósitos de curto prazo) ou pelo mercado de capitais por meio de um processo chamado "securitização", que converte conjuntos de hipotecas em títulos fungíveis que podem ser vendidos a investidores em pequenas denominações.

Empréstimos orçamentários incluem impostos e seguro no pagamento da hipoteca; empréstimos de pacote adicionam os custos de móveis e outros bens pessoais à hipoteca.[3] As hipotecas de compra permitem que o vendedor ou credor pague algo semelhante a pontos para reduzir a taxa de juros e incentivar os compradores.[4] Os proprietários também podem fazer empréstimos de capital nos quais recebem dinheiro para uma dívida hipotecária em sua casa. As hipotecas de valorização compartilhada são uma forma de liberação de capital. Nos EUA, os cidadãos estrangeiros, devido à sua situação única, enfrentam condições de hipoteca para estrangeiros.

Referências

  1. Coke, Edward. Commentaries on the Laws of England. [S.l.: s.n.] Se ele não pagar, então a terra, que está comprometida com a condição de pagamento do dinheiro, lhe será tirada para sempre e, portanto, morta para ele, sob condição, etc. E se ele pagar o dinheiro, a promessa está morta quanto ao inquilino 
  2. «Empréstimo hipotecário: recursos e benefícios» 
  3. Mastering Real Estate Principals
  4. Homes: Slow-market savings – the 'buy-down'. CNN Money.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]