Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
EPAGRI
Razão social Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina
Empresa Pública
Slogan Conhecimento Para Produção de Alimentos
Fundação 1991 (em Florianópolis, Santa Catarina)
Sede Florianópolis,  Brasil
Locais Estado de Santa Catarina
Empregados mais de 2 mil
Produtos Pesquisa Agropecuária; Extensão rural
Divisões 11 Unidades de Gestão Técnica (UGT), 23 Gerências regionais
Acionistas Empresa Pública
Antecessora(s) ACARESC, EMPASC, ACARPESC e IASC
Website oficial [1]
Captação de água da Chuva. Cisterna cuja implantação se deu a partir de orientações de Extensionistas Rurais

A Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (EPAGRI) é o orgão oficial de extensão rural e pesquisa agropecuária do Estado de Santa Catarina. Está vinculada à Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca e tem sua sede administrativa nas margens da Rodovia Admar Gonzaga, em Florianópolis.

Foi criada em 1991, pela incorporação, em uma só empresa, do órgão estadual de extensão rural - ACARESC - e o órgão oficial de pesquisa agropecuária - EMPASC, da Associação de Crédito e Assistência Pesqueira de Santa Catarina (ACARPESC) e do Instituto de Apicultura de Santa Catarina (IASC).[1] Está presente na maior parte dos municípios catarinenses e possui centros de treinamentos e unidades de pesquisa voltadas primordialmente à agricultura familiar. Em termos estruturais possui 23 gerências regionais, 14 unidades de pesquisa e 02 campos experimentais, 9 estações experimentais (nas cidades de Urussanga, Caçador, Videira, Campos Novos, São Joaquim, Itajaí, Canoinhas, Ituporanga e Lages, um centro de pesquisa para a agricultura familiar sediado em Chapecó, três centros de estudos localizados em Florianópolis, além de um parque ecológico de apicultura.[2]

Seu dirigente é nomeado pela Secretaria de Estado da Agricultura e Política Rural, e atualmente é a Sra. Edilene Steinwandter. Segundo seu sítio institucional[3], as atribuições principais são "cumprir e fazer cumprir as políticas, diretrizes, estratégias e prioridades institucionais; formular e executar projetos e atividades voltadas ao desenvolvimento sustentável do meio rural e pesqueiro e apoiar os programas de desenvolvimento regionais e municipais".

O órgão público é o principal e com maior representatividade junto à Secretaria de Agricultura do Estado de Santa Catarina, que conta com outros órgãos que trabalham diretamente com a agricultura, destacando-se entre estes a CIDASC.[4] Nos últimos anos a Epagri também foi a executora do Projeto Microbacias, financiado pelo Banco Mundial, que trabalhou aspectos sociais, econômicos e ambientais na agricultura de Santa Catarina, visando uma melhor qualidade de vida dos agricultores familiares.

Histórico[editar | editar código-fonte]

AS origens da Extensão Rural em Santa Catarina remontam ao ano de 1956, quando foi instalado no estado de Santa Catarina o ETA - Escritório Técnico Agrícola.[5] O ETA em Santa catarina, a exemplo de projetos instalados em outros estados, tinha prazo de duração de quatro anos e, findo este prazo seria encerrado. Diante disto, viu-se a necessidade de instalar uma estrutura que fosse permanente para atendimento às atividades agropecuárias que estavam se expandindo no Estado e surge então a ACARESC, Associação de Crédito e Extensão Rural do Estado de Santa Catarina. Mais tarde em 1991, a ACARESC fundiu-se com a EMPASC, com a ACARPESC e com o Instituto CEPA e com o Instituto de Apicultura - IASC, dando origem à EPAGRI, unindo numa única entidade governamental a Extensão e a Pesquisa.[5]

O trabalho de extensão rural no território catarinense reconhecidamente colaborou para o desenvolvimento econômico e social do estado melhorando a qualidade de vida da população rural. Em tempos de sistemas de saúde precária, Extensionistas Rurais foram os primeiros a aplicar vacinas contra a poliomelite em crianças do meio rural no estado de Santa Catarina.[5]

Em 2016, 60 anos após a sua fundação, o serviço oficial de Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária no Estado de Santa Catarina, desenvolvido pela EPAGRI conta com 1.654 profissionais, com quadros diversos. Neste mesmo ano são comemorados especificamente 40 anos de pesquisa agropecuária.[5]

Estrutura administrativa[editar | editar código-fonte]

A estrutura administrativa da Epagri conta com uma sede localizada no Bairro Itacorubi, na cidade de Florianópolis. Conta ainda com 23 Gerências Regionais localizadas em pontos estratégicos do Estado de Santa Catarina e 293 Escritórios Municipais, que realizam trabalhos de extensão rural voltados prioritariamente à agricultura familiar.

Na área da pesquisa agropecuária existem 16 unidades, sendo 14 centros de pesquisa e duas estações experimentais.

Conta ainda com os seguintes centros:

  • Centro de Pesquisa para a Agricultura Familiar - Cepaf, localizado no Bairro São Cristóvão, na cidade de Chapecó.
  • Centro de Desenvolvimento em Aqüicultura e Pesca - Cedap
  • Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia - CIRAM
  • Parque Ecológico Cidade das Abelhas - Peca
  • Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola - Cepa

Os últimos quatro estão localizados na cidade de Florianópolis.

Principais programas[editar | editar código-fonte]

  • Fortalecimento do Capital Humano e Social
  • Melhoria da Gestão Sócio Ambiental
  • Conservação e desenvolvimento do patrimônio genético
  • Competitividade das cadeias e arranjos produtivos

Referências

  1. «Epagri - Sítio institucional». Consultado em 20 de dezembro de 2011 
  2. «Epagri - Estrutura administrativa». Consultado em 20 de dezembro de 2011 
  3. «Estrutura administrativa». Consultado em 28 de outubro de 2013 
  4. «Página da CIDASC». Consultado em 20 de dezembro de 2011 
  5. a b c d «Epagri comemorou 60 anos de Extensão Rural em SC». Consultado em 4 de março de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]