Enaer T-35 Pillán

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
T-35 Pillán
Caça
T-35 Pillán da Força Aérea Panamenha
Descrição
Tipo / Missão Aeronave de treino, com motor turboélice, monomotor monoplano
País de origem  Chile
Fabricante ENAER
Período de produção 28 de dezembro de 1984 a 1991
Quantidade produzida 154
Primeiro voo em 6 de março de 1981 (37 anos)
Variantes Ver texto
Tripulação 2 instrutor e aluno
Especificações
Dimensões
Comprimento 7,97 m (26,1 ft)
Envergadura 8,81 m (28,9 ft)
Altura 2,34 m (7,68 ft)
Área das asas 13,64  (147 ft²)
Alongamento 5.7
Peso(s)
Peso vazio 833 kg (1 840 lb)
Peso máx. de decolagem 1 315 kg (2 900 lb)
Propulsão
Motor(es) 1 x turboélice Avco Lycoming AEIO-540-K1K5 refrigerado a ar de seis cilindros
Potência (por motor) 300 hp (224 kW)
Performance
Velocidade máxima 311 km/h (168 kn)
Velocidade de cruzeiro 266 km/h (144 kn)
Alcance (MTOW) 1 204 km (748 mi)
Teto máximo 5 820 m (19 100 ft)
Razão de subida 7,75 m/s
Notas
Dados de: Air International Magazine[nota 1]

T-35 Pillán (Pillañ = Vulcão, espírito dos vulcões na língua mapudungun), é um avião de instrução básica militar construído pela Chilena Enaer

Origem[editar | editar código-fonte]

No fim da década de setenta, a FACh começou os estudos para substituir ao seu então treinador básico Beechcraft T-34 Mentor. A situação tensa com Argentina devido ao conflito na fronteira do Canal Beagle, como não havia muitas opções, não obstante, com a ajuda da Piper Aircraft Corp. iniciou-se um programa para desenhar uma aeronave que pudesse ser fabricada no Chile, em 21 de Março de 1979 começou oficialmente o projeto.

Planejamento[editar | editar código-fonte]

Em 1980 o Engenheiro Aeronáutico Fritz Dreyer que posteriormente se tornaria general da FACh, planejou o que se tornaria um símbolo da FACh. Sua fabricação é feita com componentes de aeronaves já existentes

Versões[editar | editar código-fonte]

T-35A - corresponde a versão original dos primeiros protótipos que foram fabricados nos Estados Unidos, porem armados no Chile. Destes foram fabricados 60 unidades, que começaram a serem entregues a partir de 1985.

T-35B - basicamente é o mesmo avião, mas com a aviônica necessária para cumprir o trabalho de treinador de voo instrumental, o pedido inicial foi de 20 unidades.

T-35C - corresponde a última versão que atualmente é fabricada, seguindo as solicitações do Ejercito del Aire de España, p qual foi denominado posteriormente E-26 Tamiz. no presente momento, o T-35C integrou melhor conforto para os pilotos como um sistema de ar condicionado, com que é possível se operar da maneira melhor durante períodos longos do treinamento.

T-35D - é a denominação dada aos aviões que foram recondicionados para o Panamá, já que depois de sua compra, um deles caiu no mar com consequências fatais. esse ocorrido causou a suspensão de seu uso deixando-os guardados sem manutenção, o que causou um rápido deterioramento. porem, graças a um acordo entre a ENAER e o governo panamenho, os sete aviões foram restaurados a condições operacionais e entregues com a denominação T-35D.

Atualmente os planos de modernização para o T-35 incluem a integração de telas multifunção, como as das aeronaves de última geração.

Exportações[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Air International April 1985, p. 174.

Referências

  • "Hecho En Chile...An Innocuous Devil". Air International 28 (4): pp. 170–175, 208–209. April 1985.
Ícone de esboço Este artigo sobre aviação, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.