Enantato de testosterona

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Estrutura química de Enantato de testosterona
Enantato de testosterona
Star of life caution.svg Aviso médico
Nome IUPAC (sistemática)
[(8R,9S,10R,13S,14S,17S)-10,13-dimethyl-3-oxo-1,2,6,7,8,9,11,12,14,15,16,17-dodecahydrocyclopenta[a]phenanthren-17-yl] heptanoate
Identificadores
CAS ?
ATC ?
PubChem 9416
Informação química
Fórmula molecular C26H40O3 
Massa molar 400.60 g·mol−1
Farmacocinética
Biodisponibilidade ?
Metabolismo Fígado, Testículo e Próstata
Meia-vida 4-5 dias
Excreção Urina
Considerações terapêuticas
Administração Injeção intramuscular, transdérmica (creme, gel ou patch), oral, sub-'Q' pellet
DL50 ?

Enantato de testosterona (nomes comerciais Ciclo-6, Testenat Depot, Enantato-300, Testoviron Depot, etc) é um esteroide anabolizante, andrógeno, provindo da testosterona com aproximadamente 7-8 camadas de carbono em sua composição. O enantato de testosterona é uma versão sintética da testosterona humana. A taxa de liberação do enantato é tão lento quanto o cipionato de testosterona. Porém, se analisarmos a composição do enantato e cipionato podemos comprovar que existe uma molécula de carbono à menos no enantato do que no cipionato.[1][2] O enantato de testosterona foi introduzido no mercado em 1952.[3]

No Brasil, o enantato de testosterona não é comercializado em farmácias e tampouco em compostos químicos (como é o exemplo do propionato de testosterona, que é comercializado através do Durateston, mas não pode ser encontrado em forma única legalmente). É caracterizado por sua meia-vida longa e por ter o custo de seus sais mais baratos do que os outros compostos de testosterona sintética.

Uso do enantato de testosterona[editar | editar código-fonte]

Diferente dos outros esteroides, o enantato de testosterona não é utilizado para tratamento de reposição hormonal (que trata problemas como disfunção erétil ou simplesmente baixos níveis de testosterona na corrente sanguínea, o que provoca diversos problemas referentes à neurotransmissores, depressão e outros).[1]

O enantato é utilizado em suma para melhorar a performance de atletas e, como foco principal, por praticantes de academia objetivando a hipertrofia muscular. O risco que os praticantes de academia e atletas que utilizam o enantato correm é com o uso de outras substâncias na composição da droga. As drogas feitas por base do óleo geralmente sofrem com falsificação constante e sub-dosagem.

O cipionato de testosterona é constantemente falsificado por fabricantes clandestinos de esteroides. Eles combinam enantato e vice-versa. Vendem uma droga com o nome de enantato quando é cipionato e de cipionato quando é enantato, devido à similaridade das drogas, principalmente em relação à sua composição molecular.

Efeitos colaterais[editar | editar código-fonte]

Artigos relacionados[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b Payne, Anita H.; Hardy, Matthew P. (28 de outubro de 2007). The Leydig Cell in Health and Disease (em inglês). [S.l.]: Springer Science & Business Media. ISBN 9781597454537 
  2. Index Nominum 2000: International Drug Directory (em inglês). [S.l.]: Taylor & Francis. 2000. ISBN 9783887630751 
  3. Nieschlag, Eberhard; Behre, Hermann M.; Nieschlag, Susan (13 de janeiro de 2010). Andrology: Male Reproductive Health and Dysfunction (em inglês). [S.l.]: Springer Science & Business Media. ISBN 9783540783558