Enel Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Enel Brasil
Razão social Enel Brasil S.A.
Empresa de capital fechado
Slogan #MaiorEnergiaDoBrasil
Atividade Energia
Gênero Subsidiária
Fundação 2005 (14 anos)
Sede Niterói, RJ, Brasil
Proprietário(s) Enel
Presidente Nicola Cotugno
Produtos Energia elétrica
Subsidiárias Enel Distribuição Ceará
Enel Distribuição Goiás
Enel Distribuição Rio
Enel Distribuição São Paulo
Enel Green Power
Enel Geração Fortaleza
Endesa Cachoeira
Endesa Cien
Enel X
Antecessora(s) Endesa Brasil (2005-2015)
Website oficial www.enel.com.br

A Enel Brasil é uma empresa brasileira do ramo de energia elétrica controlada pelo grupo italiano Enel fundada em 2005 e em 2015 no Brasil a Endesa passou a se chamar Enel Brasil.[1]

História[editar | editar código-fonte]

A Enel Brasil foi constituída em 2005 com o objeto de centralizar as participações societárias do grupo Enel no país e criar, por meio de uma holding de empresas, uma plataforma sólida de gestão dos ativos que preparasse a companhia para futuras expansões.

A Enel Brasil possui, desde então, participações majoritárias em quatro distribuidoras de energia (Enel Distribuição Ceará, Enel Distribuição Goiás, Enel Distribuição Rio e Enel Distribuição São Paulo), duas geradoras (Centrais Elétricas Cachoeira Dourada; CDSA, e Central Geradora Termelétrica Fortaleza; CGTF), e uma transmissora (Companhia de Interconexão Energética, CIEN). Juntas, as empresas representam aproximadamente 1% de toda a capacidade de geração de energia nacional e cerca de 8% do total de consumidores de energia do país.

Em 2007, a Enel SpA, controladora indireta da Enel Brasil, iniciou a consolidação de sua participação sobre a holding brasileira. Por meio de uma oferta pública no exterior, a Enel SpA adquiriu a totalidade das ações de emissão da espanhola Endesa – na época acionista controladora indireta da Enel Brasil. Em 2009, o controle da Enel SpA sobre a Enel Brasil foi ampliado, com a aquisição de 92,06% do capital social e votante da Endesa. Finalmente, em 2014, a Enel SpA adquiriu – por meio de uma operação de compra e venda de ações – a participação da Endesa em sociedades na América Latina, o que incluiu a Enel Brasil. Desde então, a empresa espanhola foi excluída da estrutura acionária no país.

Apesar da holding Enel Brasil ter nascido em 2005, a trajetória do grupo Enel no país começou quase uma década antes, em 1996, com a aquisição da distribuidora de energia elétrica Ampla em leilão de privatização. Novas aquisições foram realizadas ao longo dos anos, garantindo a ampliação e diversificação do portfólio. Em 2010, uma nova empresa foi criada, a Prátil, que atua no desenvolvimento e comercialização de soluções inteligentes em energia.

Em 2017, a Enel Brasil adquiriu a CELG de Goiás. Em junho de 2018 adquiriu a Eletropaulo. [2]

Usinas[editar | editar código-fonte]

A EGPB conta atualmente com uma capacidade instalada total de 2.660 MW, dos quais 670 MW são de energia eólica, 716 MW de energia solar fotovoltaica e 1.270 MW de energia hídrica. Além disso, a empresa tem 172 MW de projetos de energia eólica e 103 MW de energia solar atualmente em execução.[3]

A Enel Brasil é proprietária das usinas solares: Complexo Solar Lapa, Parque Solar Horizonte, Parque Solar Nova Olinda e Parque Solar Ituverava.

Ver também[editar | editar código-fonte]


Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]