Energia primária

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Prognóstico de Energia primária
Energia primária do mundo 2010

Uma fonte de energia primária é toda a forma de energia disponível na natureza antes de ser convertida ou transformada. Consiste na energia contida nos combustíveis crus, a energia solar, a eólica, a geotérmica e outras formas de energia que constituem uma entrada ao sistema. Se não é utilizável diretamente, deve ser transformada numa fonte de energia secundária (eletricidade, calor, etc.).[1]

Na indústria energética distinguem-se diferentes etapas: a produção de energia primária, seu armazenamento e transporte em forma de energia secundária, e seu consumo como energia final.

Assim, por exemplo, a energia mecânica de um salto de água é transformada em eletricidade e ao chegar ao utente final esta pode ser empregue para diferentes usos (iluminação, produção de frio e calor, etc). A nível do utente todas as formas de energia são, pois, sutituibres. Esta série de transformações implicam uma corrente energética concreta, como por exemplo a que se dá na corrente petrolífera: extração, transporte, refinado e distribuição. A cada transformação caracteriza-se por seu rendimento, sempre inferior a 1 devido às perdas inerentes ao processo.

O conceito utiliza-se especialmente em estatística energética em decorrência da compilação de balanços energéticos. No entanto, costuma-se identificar com energia primária a energia que resulta da primeira transformação (como por exemplo o calor nuclear, a eletricidade eólica ou hidráulica) e como energia final a que chega finalmente ao utente (no contador) pois são para as que se dispõe de dados.

Definições[editar | editar código-fonte]

A CEPAL, no documento "Sustentabilidade energética em América Latina e o Caraíbas: O contribua das fontes renováveis" define a Energia primária como:[2]

Deve diferenciar-se entre disponibilidade potencial e disponibilidade efetiva. Assim, por exemplo, uma determinada bacia hidrográfica tem, por suas características físicas e a precipitação pluviométrica sobre esta, um determinado potencial hidroelétrico, mas se não se constrói uma central hidroelétrica, essa energia não poderá ser aproveitada.

O considerar a hidroeletricida como energia primária é uma convenção, já que em realidade o que se dispõe numa central hidroelétrica é uma energia mecânica que se transforma em eletricidade através de uma modificação física. O mesmo pode dizer da energia nuclear, na que os materiais radioativos produzem calor que depois é transformado em eletricidade mediante turbinas e geradores, através de processos físicos como a evaporação de água.

Complementariamente define a Energia secundária como:

Destas definições deriva-se que a Oferta total de energia se entende como a quantidade de energia (primária e secundária) disponível para satisfazer as necessidades energéticas de um país, tanto nos processos de transformação como no consumo final.

Por tanto:

Oferta Total = Produção + Importação – Exportação +/- Variação de inventários – Energia não aproveitada

Unidades[editar | editar código-fonte]

Com o fim de permitir as comparações, todos os tipos de energia são expressados numa mesma unidade. Esta pode ser, o Gigajoule (GJ), o megawatt-hora (Mwh) ou a tonelada equivalente de petróleo (tep). Como os jazigos de petróleo ou carvão podem ter características diferentes, existe uma convenção para passar de uma unidade energética a outra:

1 tep = 41,855 GJ = 11,628 MWh = 1 000 m3 de gás = 7,33 barris de petróleo

Formas de energia primária[editar | editar código-fonte]

As formas de energia primária são as seguintes:

  • Energia humana e animal: energia mecânica de tracção animal.
  • Energia química: transformação em calor (energia térmica) por combustão, e em electricidade. A cogeração consiste na produção simultânea de calor e electricidade. Os combustíveis podem também accionar motores.
    • Combustíveis minerais:
    • Explosivos: energia não controlada
    • Biomassa: madeira, produtos e desfeitos vegetais formados de matéria orgânica, transformados em combustíveis diversos: madeira e derivados, biodiésel, biogás, metanol, etanol. É também conhecida como dendroenergia, definida pela FAO como... "energia florestal): toda a energia obtida a partir de biocombústiveis sólidos, líquidos e gasosos primários e secundários derivados dos bosques, árvores e outra vegetação de terrenos florestais. A dendroenergia é a energia produzida depois da combustão de combustíveis de madeira como lenha, carvão vegetal, pellets, briquetas, etc., e corresponde ao poder calorífico neto (PCN) do combustível"[3]

Os combustíveis como o carvão, o petróleo ou o gás natural são utilizados assim mesmo como matéria prima na indústria química: petroquímica, fertilizantes e na indústria da construção e as obras públicas.

Matriz de oferta total de energia primária em América Latina e Espanha[editar | editar código-fonte]

A Oferta Total de Energia Primária (OTEP) para a região latinoamericana no ano 2000 apresenta-se a seguir.[2]

-- Petróleo Gás Natural Carvão Nuclear Biomassa não Renovável Renováveis
Centroamérica 29.6 -- 1.7 -- 21.0 47.7
Caraíbas I 50.5 43.0 -- -- 1.1 5.4
Caraíbas II 56.3 4.2 0.4 -- 3.7 35.4
Comunidade Andina 49.9 27.7 1.9 -- 0.8 19.7
Espanha 48.8 23.8 7.9 10.5 -- 9.4
Mercosul e Chile 43.1 17.2 6.0 1.0 2.8 29.9

Os dados de Espanha são de 2010 (IDAE).

Caraíbas I compreende os seguintes países: Barbados, Suriname, Guiana, Granada, Trinidad e Tobago, e Jamaica. Caraíbas II compreende os seguintes países: Cuba, República Dominicana, e Haiti

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]