enjoei

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
enjoei
Fachada da sede da empresa em São Paulo.
Razão social Enjoei.com.br Atividades de Internet S.A.
Empresa de capital aberto
Slogan Um chuchuzinho de website
Cotação B3ENJU3
Atividade Comércio eletrônico
Fundação 15 de abril de 2009 (12 anos)
Fundador(es)
  • Tiê Lima
  • Ana Luiza McLaren
Sede Jardins, São Paulo, SP
Área(s) servida(s)  Brasil
Empregados 150[1]
Faturamento Lucro R$ 200 milhões (2018)[1]
Website oficial https://www.enjoei.com.br

O enjoei é uma empresa brasileira de comércio eletrônico que oferece soluções de consumo colaborativo.[2] Atualmente, conta com cerca de 7,5 milhões de usuários cadastrados em sua plataforma,[1] e têm foco principalmente no setor móvel, que também produz e oferece conteúdos em diversos formatos, com destaque na divulgação em redes sociais. Os produtos mais vendidos no site são vestidos, calças e blusas usadas.[3] Destaca-se pelos anúncios humorados e uso de web celebridades,[4] atrizes[5] e até uma integrante da Família Imperial Brasileira em suas lojas.[6]

História[editar | editar código-fonte]

A empresa foi criada em abril de 2009 em São Paulo, São Paulo. Fundado em formato de blog por Ana Luiza McLaren e Tiê de Lima[7] o site vendia as roupas usadas do casal e de amigos. Com o passar do tempo, aumento da demanda e experiência prévia em comércio virtual de seus fundadores transformou-se em loja virtual em 2012. Neste ano faturou 3 milhões de reais,[8] atraindo investimentos externos.[9]

Inicialmente recebeu dois aportes em 2013 e 2014, o primeiro da Monashees Capital (3 milhões de dólares) e o segundo da Bessemer Venture Partner respectivamente, totalizando 25 milhões de reais.[10] Após o somatório faturou 30 milhões de reais em 2014, com aumento de lucros e do número de vendedores nos anos posteriores, chegando a 200 mil lojas internas em 2015.[11][12]

Em 2014 ocorre o lançamento do aplicativo para celular disponível para sistemas Android, Windows Phone e iOS.[13] Um ano depois houve o início do Projeto Ponta-a-Ponta que constitui a venda de produtos de terceiros por afiliados do site, recebendo outros investimentos externos.[14] Neste mesmo ano, atingiu trinta milhões de reais de faturamento.[15]

Em 2016 o site iniciou a parceria com o canal de televisão GNT com lançamento da série Desengaveta, apresentada por Fernanda Paes Leme.[16] Além disso, iniciou a primeira campanha publicitária de sua história para esta mídia, com o slogan: "amei, usei, Enjoei.com".[17][18]

O Enjoei lançou no ano de 2018 um novo produto também focado no comércio colaborativo, o Enjoei Pro.

O site prepara o início de atividades na Argentina no final de 2016 com o site “yafue.com”.[19]

Em junho de 2018 anunciou o serviço enjoei pro, em que seus usuários enviam seus produtos para um depósito de distribuição do próprio site para que guarde e gerencie o envio da encomenda para o comprador.[20]

O empresa está localizada em Embu das Artes, São Paulo e conta com 12 estúdios de fotografia, cerca de 35 funcionários e tem capacidade para receber até 1 milhão de peças.

Referências

  1. a b c «Com Grupo Globo como sócio, Enjoei quer ampliar público». Meio & Mensagem. 29 de janeiro de 2019. Consultado em 2 de maio de 2019 
  2. “Economia colaborativa ganha adeptos no Brasil", "Empreendedor", Publicado em 27 de julho de 2016.
  3. “ENJOO COLETIVO", "Revista Trip", Publicado em 13 de novembro de 2015.
  4. "Conheça cinco famosas que vendem suas roupas em brechós online, "extra.globo", Publicado em 19 de Abril de 2015.
  5. "Site de venda de roupas usadas fatura 30 milhões de reais por anos", "Estadão", Publicado em 20 de fevereiro de 2015.
  6. "Princesa da família real brasileira abre brechó na internet, "Veja SP", Publicado em 13 de Agosto de 2016.
  7. «Por que millenials sem tempo para nada são o futuro do Enjoei | EXAME». exame.abril.com.br. Consultado em 2 de dezembro de 2018 
  8. "Empresários querem faturar R$ 3 milhões com site de objetos usados", "g1", Publicado em 4 de Setembro de 2012.
  9. “Loja virtual Enjoei dá novo destino a roupas e acessórios usados", "idgnow!", Publicado em 4 de março de 2015.
  10. “O brasileiro é muito disposto para experimentar', diz Tiê Lima", "O Globo", Publicado em 27 de julho de 2016.
  11. “Badulaques de segunda mão são a especialidade da Enjoei", "Exame.com", Publicado em 27 de fevereiro de 2014.
  12. "BESSEMER VENTURES LEADS R$18M INVESTMENT IN ENJOEI (EM PORTUGUÊS)", "Lavca.org", Publicado em 19 de Setembro de 2014.
  13. "App Enjoei vira moda entre jovens do ABC", "metodista.br", Publicado em 11 de Dezembro de 2015.
  14. "Brechó online Enjoei recebe investimento de R$ 20 milhões da Monashees e Bessemer", "Época Negócios", Publicado em 16 de Fevereiro de 2016.
  15. "Site fatura R$ 30 mi em 2014 com venda de artigos de moda usados", "G1", Publicado em 20 de março de 2015.
  16. "Desengaveta - GNT, "gnt", Pesquisado em 11 de Novembro de 2016.
  17. "AG2 Nurun cria primeira campanha de TV para Enjoei", "grandesnomesdapropaganda.com.br", Publicado em 7 de outubro de 2016.
  18. "amei, usei, enjoei.com - Ag2", "AG2 Nurun", Publicado em Outubro de 2016.
  19. "Enjoei prepara operação na Argentina, "meioemensagem.com.br", Publicado em 7 de Outubro de 2016.
  20. «enjoei lança serviço inédito para quem quer vender itens usados, mas não tem tempo». E-Commerce Brasil. 18 de agosto de 2017. Consultado em 18 de setembro de 2018