Enquadramento (finanças)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2017). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

O enquadramento é um processo aplicado a fundos de investimento que se refere a validação de todas as regras, legais e operacionais, que devem ser aplicadas a um determinado fundo de investimento. Caso todas as regras estejam sendo aplicadas corretamente, dizemos que o fundo está enquadrado e, caso contrário, dizemos que o fundo está desenquadrado.

Tipos de Enquadramento[editar | editar código-fonte]

  • Enquadramento Principal — é o conjunto de todas as validações aplicáveis à própria carteira do fundo.
  • Enquadramento Secundário — é composto das validações aplicáveis às carteiras de fundos, cujas carteiras contenham cotas de outros fundos.

Exemplo de Regra: "o fundo só pode ter em sua carteira cotas de FIFs que mantenham, no mínimo 95% de ativos atrelados (indexados) direta ou indiretamente ao CDI". Neste exemplo a regra "mínimo de 95% de ativos atrelados ao CDI" deveria ser associada ao enquadramento secundário deste fundo.

Em Arquitetura[editar | editar código-fonte]

Em arquitetura enquadramento significa emolduramento de vãos, que geram um resultado estético diferenciado nas fachadas das edificações, pois geralmente salientam o contorno das portas e janelas por serem em alto relevo.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]