Ensino público

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Entrada de uma antiga escola estadual, em Belo Horizonte.

Ensino público (ou educação pública) é aquele oferecido a todos os indivíduos gratuitamente pelo Estado, custeado por meio de impostos. Os sistemas de educação pública são diversos, variando conforme o país que o oferece, mas cobrem, usualmente, os períodos de educação básica e média e, em muitos casos, também o ensino superior. Uma tendência mundial crescente é a de inclusão da pré-escola e de creches entre os serviços públicos oferecidos pelo Estado.

No Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil, o ensino público para escolas de ensino fundamental é conhecido por ter qualidade inferior em relação ao ensino privado, embora colégios militares constituam exceções, pois, normalmente, estão entre os melhores colégios do país. Para o ensino médio, contudo, o ensino público consegue obter escolas de melhor qualidade, como, por exemplo, escolas de nível federal, escolas técnicas estaduais (ETEs) e os colégios de aplicação das universidades públicas. Além da questão de qualidade, as escolas públicas brasileiras também apresentam, como entraves, a violência,[1] [2] a baixa remuneração dos docentes,[3] [4] [5] a falta de infraestrutura[6] [7] [8] e as constantes greves.[9] [10]

O ensino público superior costuma ter melhores professores e vestibulares mais concorridos que os do ensino particular, porém é comum possuir menos equipamentos.

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Ensino público

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. "Insegurança na escola e greves prejudicam alunos de Belém do Pará" (em português). Jornal Nacional. 20 de maio de 2011. Consult. 1 de outubro de 2011. 
  2. Honorato, Renata (20 de agosto de 2010). "Insegurança compromete desempenho dos alunos das escolas públicas" (em português). Revista Veja. Consult. 1 de outubro de 2011. 
  3. "Professores reclamam de baixos salários" (em português). Jornal da Globo. 17 de março de 2009. Consult. 1 de outubro de 2011. 
  4. Constantino, Luciana (16 de outubro de 2003). "Professor estuda mais, mas salário é baixo" (em português). Folha Online. Consult. 1 de outubro de 2011. 
  5. "Baixa remuneração ameaça profissão de professor" (em português). R7. 5 de julho de 2010. Consult. 1 de outubro de 2011. 
  6. Redação (19 de outubro de 2010). "Infraestrutura e pais são os maiores problemas das escolas públicas, dizem coordenadores" (em português). Universo Online. Consult. 1 de outubro de 2011. 
  7. "Estudo da UNESCO alerta para a falta de infraestrutura nas escolas brasileiras" (em português). Associação Nacional de Jornais. Consult. 1 de outubro de 2011. 
  8. Borges, Priscila (10 de fevereiro de 2011). "Em Brasília, aulas começam sem professores e infraestrutura" (em português). Último Segundo. Consult. 1 de outubro de 2011. 
  9. "Cinco meses de greve prejudicam alunos do Paraná" (em português). Estadão. 18 de fevereiro de 2002. Consult. 1 de outubro de 2011. 
  10. "Greve prejudica 23,7 mil que vão fazer o Enem" (em português). Diário do Nordeste. 27 de setembro de 2011. Consult. 1 de outubro de 2011. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre educação ou sobre um educador é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.