Epistasia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.

A interação gênica é o fenômeno em que vários genes interagem entre si para influenciar uma única característica. Ela envolve graus variáveis de complexidade. Os casos mais simples, porém, resultam da interação entre dois genes que segregam independentemente. Em um estudo clássico realizado por Bateson e Punnett, ficou demonstrado que o caráter "tipo de crista" em galinhas, por exemplo, é determinado por dois genes independentes (que equivale a dois pares de alelos). O contrário da interação gênica é a pleiotropia, em que um par de alelos (ou seja, um único gene) determina ao mesmo tempo mais de um caráter do organismo.

Epistasia (do Grego epi, sobre, stasis, parada, inibição) é simplesmente a interação entre genes. A epistasia ocorre quando a ação de um gene é modificado por um ou diversos genes que se associam independentemente.

Epistasia e interação gênica se referem ao mesmo fenômeno; entretanto, epistasia é amplamente utilizado na genética de populações e se refere especialmente a propriedades estatísticas do fenômeno.

Existem casos de alelos de um gene que impedem que outros alelos de outro par de gene se manifestem, podendo ou não estar no mesmo cromossomo.

O alelo que age inibindo é chamado epistático e o que sofre a ação inibitória é chamado hipostático.

No caso de o alelo epistático aparecer sem par, ou seja, apenas um alelo é necessário para manifestar a ação de inibição, dizemos que é epistasia dominante. Já no caso de apenas manifestar-se a ação inibidora com o par de alelos, dizemos epistasia recessiva.

Interação gênica → Quando genes diferentes juntam-se para expor uma característica.

  • Pseudo dominância → falsa dominância, ou seja, seguido de uma mutação que poderia no caso ser uma deleção, por exemplo, expondo assim o outro gene.
  • Penetrância → Podendo ser completa ou incompleta. Completa: a doença é manifestada mesmo com a presença de um alelo que a impediria. Incompleta: a doença não se manifesta mesmo com todo material genético apresentando a possibilidade de a expor.
  • Expressividade → De uma forma bem simples é determinada pelo ambiente, o indivíduo possui dois genes e apenas um será ativado por necessidade.
  • Pleitropia → Um gene pode controlar várias características e uma característica pode ser controlada por um único gene.
  • Epistasia → Quando um gene é capaz de inibir outro, sendo o inibidor chamado de epistático e o inibido chamado de hipostático.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Biologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.